skip to Main Content
11 de agosto de 2020 | 11:15 pm

FERNANDO GOMES, BIA DORIA E OS PESOS E MEDIDAS DA GRANDE MÍDIA

Tempo de leitura: 3 minutos

A pandemia do coronavírus e suas consequências socioeconômicas levaram milhares de pessoas a morar nas ruas. Porém, a grande mídia deu pesos e medidas completamente diferentes às duas falas.

Cláudio Rodrigues || aclaudiors@gmail.com

A primeira semana de julho chega ao fim com mais de 64 mil óbitos vitimas da Covid-19, essa pandemia que mudou por completo nossas vidas. Além da tragédia da pandemia, a semana foi marcada por duas declarações, no mínimo infelizes: uma do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, e outra da primeira-dama e presidente do Fundo Social de São Paulo, Bia Doria.

Em uma entrevista coletiva por videoconferência, na última terça, dia 30, o prefeito da cidade sul-baiana soltou uma frase que lembrou o “E daí?” do presidente Jair Bolsonaro. “Primeiro, lutar pela vida, a vida é uma só. [Depois que] morrer, acabou [a vida]. Não tem fortuna, não tem pobreza, não tem falência, não tem nada. Mas não posso abrir uma coisa que não tenho cobertura. Com a dúvida, com os nossos morrendo por causa de um leito em Itabuna, vou transferir essa abertura. No dia 8, mandei fazer o decreto, que no dia 9 abre, morra quem morrer”, disse o prefeito.

O “morra quem morrer” do prefeito Gomes foi a principal notícia do day after. Todos os veículos de comunicação em seus programas noticiosos, de entretenimento e até algumas agências de notícias internacionais deram destaque à fala do prefeito, além dos comentários nas redes sociais.

Já a primeira-dama do estado de São Paulo, em uma entrevista publicada em rede social, para a socialite Val Marchiori, aquela do empréstimo irregular de R$ 2,79 milhões, junto ao Banco do Brasil, segundo atestou o Tribunal de Contas da União (TCU), travaram um diálogo com algumas “pérolas” que beiraram o ridículo.

“Falando sobre projetos sociais, algo muito importante é assim… as pessoas que estão na rua… não é correto você chegar na rua e dar marmita, porque a pessoa tem que se conscientizar que ela tem que sair da rua. Porque a rua hoje é um atrativo, as pessoas gostam de ficar na rua”, disse a senhora Doria. A entrevistadora questionou: “eles querem ficar na rua porque no abrigo eles têm horário pra entrar, eles têm responsabilidades, limpeza e eles não querem, né, Bia?

A presidente do Fundo Social do estado mais rico do Brasil afirmou: “Não querem! A pessoa quer receber a comida, a roupa, uma ajuda, e não quer ter responsabilidade. Então, isso tá errado”. Sem perder o embalo, a socialite e dublê de jornalista emendou: “todo mundo tem responsabilidades”. Não se fazendo de rogada, a mulher do governador João Doria completou: “Nós temos, se a gente não pagar nossas contas, vai pra cartório. E o povo fala!”.

O que difere a falta de empatia do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, e a da primeira-dama de São Paulo, Bia Doria? O primeiro é um senhor de 81 anos, em seu quinto mandato de prefeito e no final da carreira política. Ex-vaqueiro, semialfabetizado, como uma dicção quase que incompreensível e sofrendo uma forte pressão por parte do setor econômico da cidade. Gomes tem uma carreira política muito controversa. Foi destaque na revista Veja como “O marajá dos marajás” por ter um salário de quase U$ 18 mil, no inicio dos anos de 1990, em um de seus mandatos de prefeito.

Bia Doria é artista plástica, tem no currículo exposições realizadas em todo o Brasil e em países da Europa e Estados Unidos, filha de imigrantes italianos. Estava em um bate-papo descontraído, nas dependências do Palácio dos Bandeirantes e, aos 60 anos, preside um órgão do Governo do estado de São Paulo responsável por atender pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A fala da primeira-dama paulista foi tão chocante e repulsiva quanto a do prefeito itabunense. Vale lembrar que a pandemia do coronavírus e suas consequências socioeconômicas levaram milhares de pessoas a morar nas ruas. Porém, a grande mídia deu pesos e medidas completamente diferentes às duas falas.

Não quero fazer defesa do alcaide baiano, pois Fernando Gomes é o tipo de político que conta com minha completa aversão, mas o comportamento de Bia Doria, uma elitista que já se envolveu em outras polêmicas, não difere em nada. Faltou a ambos sentir o que sentiria outra pessoa caso estivesse vivendo a mesma situação.

Cláudio Rodrigues é consultor em comunicação.

ÔNIBUS FRETADO DE SÃO PAULO ENTRA NA BAHIA COM 10 INFECTADOS PELA COVID-19

Passageiros vindos de São Paulo passam por exame em barreira sanitária em Nova Soure || Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um ônibus saiu de São Paulo com destino a nove cidades baianas, com, pelo menos, 10 contaminados pela covid-19. Dos infectados, nove tinham como destino final a cidade de Nova Soure, que viu o número de casos saltar de 15 para 25 no boletim epidemiológico do município, divulgado no último domingo (7). O veículo, que fez a viagem de forma clandestina, da empresa Moacir Tur saiu do lado de fora da rodoviária de Socorro, na capital paulista, na sexta-feira de manhã, com 32 passageiros.

Desses, 14 (9 contaminados e 5 que tiveram contato com eles) desembarcaram no sábado à noite em Nova Soure. As outras 18 pessoas desembarcaram em outras oito cidades: um homem em Santo Estevão, um homem em Feira de Santana, um homem em Alagoinhas, um homem em Sátiro Dias, quatro mulheres e três homens em Inhambupe, duas mulheres em Cipó, uma mulher e um homem em Crisópolis, e três homens em Olindina.

Essa última cidade também teve um caso de coronavírus vindo do veículo confirmado pela secretária de saúde do município, Sheila Matos de Oliveira. Nova Soure e Olindina fazem divisa entre si e estão localizadas no nordeste da Bahia, com uma população de cerca de 25 mil cada. Já a secretaria de Saúde de Cipó, com 15 mil habitante, informou que as duas passageiras testaram negativo e estão sendo monitoradas. A cidade possui cinco casos de coronavírus, três vieram de São Paulo. Confira a íntegra no Correio24h.

ITABUNA: PRF PRENDE CASAL COM 30 QUILOS DE MACONHA

Apreensão de drogas ocorreu no posto da PRF de Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um casal foi preso ao ser flagrado transportando 30 quilos de maconha em um carro de passeio, em Itabuna, na noite desta segunda (8). A prisão ocorreu em frente ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Km 503 da BR-101, no município sul-baiano.

O casal, que não teve o nome divulgado, passava pelo posto da PRF por volta das 23h em um Fiat Siena e recebeu ordem para parar. A droga era transportada no porta-malas do Fiat Siena, com placa de Coronel João Sá, na Bahia.

Segundo os patrulheiros da PRF, o casal estava nervoso na hora da abordagem. A droga estava dividida em 35 tijolos e escondida em duas caixas de papel. Na balança, registrou-se 29 quilos e 960 gramas da droga, conforme a PRF.

Motorista do veículo, o homem de 53 anos disse ter sido procurado por dois homens para trazer a encomenda para a cidade natal. Aos policiais rodoviários, também afirmou que não imaginava estar transportando drogas, mas roupas. A mulher, de 32 anos, professora, falou aos policiais que não sabia que as caixas estavam com produto ilícito.

O casal foi preso em flagrante por tráfico de drogas e levado para o Complexo Policial de Itabuna e deverá ser encaminhado para o Conjunto Penal de Itabuna.

DESENVOLVIDA PELA USP, VACINA EM SPRAY SERÁ TESTADA CONTRA A COVID-19

Bahia tem quase 90 mil casos confirmados de covid-19
Tempo de leitura: 2 minutos

Uma vacina por spray nasal é a nova aposta da Universidade de São Paulo (USP) contra a COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. O modelo de imunização, já testado em camundongos contra hepatite B, foi redirecionado para tentar frear a disseminação do vírus SARS-Cov-2.

A equipe, coordenada pelo médico veterinário Marco Antonio Stephano, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP, desenvolveu uma nanopartícula a partir de uma substância natural. Dentro dela, foi colocada uma proteína do vírus.

Uma vez administrada, dentro das narinas, espera-se que o corpo produza a IgA secretora – anticorpos presentes na saliva, na lágrima, no colostro e em superfícies do trato respiratório, intestino e útero. “Além de inibir a entrada do patógeno na célula, a vacina impedirá a colonização deles no local da aplicação”, explica Stephano.

NANOPARTÍCULA

A nanopartícula criada pelos pesquisadores possui propriedade muco-adesiva, ou seja, permite que o material permaneça nas narinas de 3 a 4 horas até ser absorvido pelo organismo e ativar a resposta imune. Essa especificidade impede, também, que o antígeno seja expelido pelo organismo por meio de espirros.

A imunoglobulina A (IgA) é um anticorpo produzido por plasmócitos – células de defesa diferenciadas a partir dos linfócitos B – quando há um agente invasor, juntamente com outras imunogloblinas, como a IgG.

Já a IGA secretora (sIgA) é a imunoglobulina A presente nas secreções e superfícies dos organismos e, devido ao componente secretor, tem a capacidade de atravessar as membranas das mucosas. Desta forma, a IgAs torna-se o primeiro anticorpo a neutralizar o vírus.

Stephano trabalha no desenvolvimento de modelos vacinais na USP desde 2009. O primeiro foi desenhado para imunizar filhotes de cães contra a parvovirose. “Pensamos nos animais que ficam desprotegidos do desmame até a primeira dose da vacina injetável v8, aplicada aos 40 dias de vida”, diz o veterinário.

Logo depois, um aluno de doutorado procurou o pesquisador com a ideia de produzir uma vacina contra a hepatite B. “Testamos em camundongos e, depois de 15 dias, eles estavam imunizados”, comemora. A tecnologia serviu de base para o desenvolvimento da vacina contra a COVID-19.

Leia Mais

QUASE 2 MESES APÓS CASAMENTO, ITACARÉ CONFIRMA PRIMEIRO CASO DE COVID-19

Itacaré, na Costa do Cacau, registra primeiro caso do novo coronavírus
Tempo de leitura: 2 minutos

Da Redação

Dos maiores destinos turísticos da Bahia, Itacaré registrou o primeiro caso positivo do novo coronavírus. O resultado do exame foi divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) neste sábado (25). Outras três pessoas aguardam resultado de testes encaminhados ao Lacen-BA.

A confirmação do primeiro caso ocorre quase dois meses depois de um casamento polêmico (confira mais abaixo). O município é dos mais implacáveis em ação para evitar o espalhamento do vírus no sul da Bahia, com fiscalização intensa e barreiras sanitárias em todos os acessos terrestres.

Segundo a Secretaria de Saúde de Itacaré, o paciente que testou positivo para covid-19 é um homem de 82 anos que já estava em tratamento, há vários dias, no Hospital Regional Costa do Cacau por causa de problemas renais. O idoso encontra-se internado no hospital ilheense e o estado de saúde dele é estável.

Contatos próximos ao idoso foram identificados e orientados a permanecer em isolamento domiciliar e monitorados pela Vigilância Epidemiológica. “O paciente não está na cidade, não foi notificado com a doença no município, mas o Comitê de Monitoramento contra o coronavírus alerta para a necessidade dos cuidados que todos devem ter”, informou a Prefeitura de Itacaré em nota.

O VÍRUS E O CASAMENTO NO TXAI

Apesar de ser o primeiro caso confirmado de covid-19 no município, Itacaré parou no noticiário nacional e internacional por causa de um casamento para 500 convidados no luxuoso Resort Txai, no início de março passado. Um dos convidados estava com a covid-19 e, após a festa, pelo menos 20 pessoas testaram positivo para a doença.

Txai Resort recebeu 500 hóspedes para casamento

O casamento foi o de Marcela Minelli, irmã da influenciadora digital baiana Gabriela Pugliesi. Dele participaram empresários, celebridades e influenciadores digitais. Um dos convidados havia retornado de viagem de férias aos Estados Unidos e estava contaminado pelo coronavírus.

Dentre as dezenas de convidados que testaram positivo para a doença, esteve Cláudio Vale. Ele viajou de Itacaré para São Paulo. E, de lá, para Porto Seguro, apesar de apresentar quadro suspeito da doença. Quatro pessoas foram contaminadas na Cidade do Descobrimento pelo empresário, segundo autoridades em saúde do Estado e de Porto Seguro, o que motivou o governador Rui Costa a acionar a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para que processasse o empresário cearense.

RESORT FECHADO

Por causa do alto número de contaminados pela doença entre os convidados do casamento, o Txai tomou a decisão de fechar por, pelo menos, 90 dias. A decisão foi comunicada no final de março e o resort está fechado desde o último dia 3 de abril. A suspensão temporária das atividades, informou o Txai, segue orientação de autoridades públicas em saúde.

BRASIL REGISTRA 486 MORTES E 11.130 CASOS DO NOVO CORONAVÍRUS

Brasil já tem mais de 11 mil casos confirmados de coronavírus
Tempo de leitura: 2 minutos

O Ministério da Saúde divulgou, na tarde deste domingo (5), os números atualizados do novo coronavírus. De acordo com a pasta, o número de infectados, no momento, é de 11.130. Isso representa um aumento de 852 casos em relação ao balanço divulgado sábado (4). Nas últimas 24 horas foram confirmadas 54 mortes. Com isso, subiu para 486 a quantidade de óbitos no Brasil. A taxa de letalidade do vírus no Brasil é de 4,2%.

São Paulo é o estado que concentra o maior número de casos (4.620) e também o maior número de mortes (275). Os dados do Ministério da Saúde mostram que todas as regiões apresentaram aumento no número de casos. Em relação às mortes, apenas o Centro-Oeste não teve aumento, permanecendo com 12 óbitos registrados.

Na região Sudeste, o Rio de Janeiro, com 1.394 casos e 64 mortes; e São Paulo, com 4.620 casos e 275 mortes, se destacam. Na região Norte, o Amazonas concentra o maior número de casos, com 417, além de 14 mortes.

NORDESTE E SUL

Na região Nordeste, o Ceará se destaca, com 823 casos e 26 mortes. No Centro-Oeste, o Distrito Federal tem o maior número de casos, muito à frente dos demais, com 468 casos e sete mortes. Os estados do Sul do Brasil apresentam um número de casos mais parelho. O Paraná é o estado da região com mais casos, 438, e Santa Catarina é estado com menos casos, 357.

Leia Mais

ILHÉUS CONFIRMA O OITAVO CASO DE CORONAVÍRUS

Ilhéus registra mais três óbitos pela Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde Ilhéus confirmou, no início da noite desta quarta-feira (1º), o oitavo caso de paciente com teste positivo para o novo coronavírus. Trata-se de um homem de 43 anos, que esteve recentemente em São Paulo, onde contraiu a doença, conforme informou a Vigilância Epidemiológica.

O paciente encontra-se em isolamento social. Ele está sendo acompanhado por equipes da Secretaria de Saúde de Ilhéus desde o dia que apresentou os sintomas do novo coronavírus. Esse é o sexto caso confirmado da doença somente nesta semana. Ilhéus já registra oito casos de coronavírus.

Além disso, o município tem 89 casos descartados, outros 42 suspeitos aguardando resultado do Laboratório Central da Bahia (Lacen) e 219 ocorrências monitoradas. Em casos de aparecimento dos sintomas, a pessoa deve entrar em contato com a Central Covid-19, por meio dos telefones (73) 9995-4010, (73) 98862-6206 ou (73) 98126-8856.

ESTADOS UNIDOS JÁ TÊM MAIS DE 100 MIL CONTAMINADOS PELO CORONAVÍRUS

Estados Unidos têm mais de 100 mil casos confirmados da doença
Tempo de leitura: < 1 minuto

Os Estados Unidos são o país com o maior número de casos de novo coronavírus confirmados no mundo. Já são 105 mil ocorrências, com 1.711 mortes até a amanhã deste sábado (28).

A Itália parece na sequência, com 86.498 casos da doença confirmados e 9.134 mortes causadas pela doença. A terceira posição no ranking é ocupada pela China, com 81.340 infecções confirmadas e 3.295 pessoas que não resistiram à doença.

No Brasil, até sexta-feira (27), eram 3.147 os casos confirmados de coronavírus, aumento de 17,22% em relação ao dia anterior. O número de óbitos também aumentou em 19,4%, passando de 77 para 92.

De acordo com informações repassadas pelos estados ao Ministério da Saúde, até as 17h de sexta-feira (27), as mortes foram registradas em Amazonas (1), Ceará (3), Pernambuco (4), Rio de Janeiro (10), Goiás (1), Paraná (2), Santa Catarina (1) e Rio Grande do Sul (2). São Paulo continua registrando o maior número de casos e de mortes, com  68 óbitos no estado.

CEARÁ É O ESTADO DO NORDESTE COM MAIOR NÚMERO DE CASOS DE CORONAVÍRUS; HÁ 25 MORTES NO BRASIL

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ceará é o estado do Nordeste com maior número de casos confirmados de Coronavírus. A última atualização do Ministério da Saúde, neste domingo (22), indica que os exames de 122 pacientes deram positivo para a doença, mas o número pode ser ainda maior, pois o boletim não traz os casos confirmados na tarde hoje.

Entre os estados nordestinos, a Bahia ocupa a segunda colocação, seguida de Pernambuco (37). No boletim do MS, a Bahia aparece com 49 casos, mas a Secretaria Estadual de Saúde confirmou 55 pessoas doentes.

De acordo com o Ministério Saúde, subiu para 1.546 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil. Até o momento, 25 mortes estão confirmadas, sendo 22 no estado de São Paulo e três no Rio de Janeiro.

Na última sexta-feira (20), o Ministério da Saúde reconheceu a transmissão comunitária do coronavírus (Covid-19) em todo o país. É fato que nem todas as regiões apresentam o mesmo nível de transmissão. Nem por isso, a população dessa região deixará de participar do esforço coletivo que passa a ser adotado pelos brasileiros. Assim, a medida é uma estratégia para que todo o Brasil se una contra o vírus.

DIÁRIO DE UM ISOLAMENTO SOCIAL – CAPÍTULO 01

Tempo de leitura: 2 minutos

É sábado à noite. Escrevo enquanto escuto um especialista explicar no Jornal Nacional, da Rede Globo, que é preciso viver um dia de cada vez para evitar o estresse e a ansiedade. Respiro fundo, mas confio na seriedade e serenidade do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Manuela Berbert || manuelaberbert@yahoo.com.br

Fui uma das pessoas que, ao ficar em casa voluntariamente, chamei o meu movimento de quarentena, até entender que não é isto o que estou vivendo. Estou isolada socialmente, em minha própria residência, respeitando uma medida preventiva dos Governos, na tentativa de amenizar a disseminação do COVID-19, conhecido popularmente como coronavírus.

Tenho um coração dividido, neste momento: de um lado, a tentativa de não acompanhar todas as notícias e me distanciar de sentimentos como medo e ansiedade. Do outro, uma curiosidade absurda para tentar entender o que está acontecendo de fato, e porque a Itália divulgou, há algumas horas, a morte de 793 pessoas em um único dia, inclusive ultrapassando o número de vítimas da China, onde tudo começou.

Uma das palavras que mais tenho escutado, há alguns dais, é Lombardia, região mais populosa da Itália cuja capital é Milão. A tão sonhada por tantos brasileiros! Tão sonhada quanto o Rio de Janeiro e São Paulo. Impossível não fazer a associação. Impossível não lembrar que as primeiras mortes pela infecção estão acontecendo por lá. Impossível não pensar que o COVID-19 está pontuando nas regiões da classe média e alta, e que se chegar a um barraquinho sequer de uma daquelas tantas favelas do Rio, ou na gigantesca população que mora nas ruas de São Paulo, o Brasil não terá a menor condição de contabilizar ou conter. Lamentavelmente.

É sábado à noite. Escrevo enquanto escuto um especialista explicar no Jornal Nacional, da Rede Globo, que é preciso viver um dia de cada vez para evitar o estresse e a ansiedade. Não sabemos quanto tempo tudo isso irá durar. Respiro fundo, mas confio na seriedade e serenidade do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O nosso presidente, Bolsonaro, chama a pandemia de gripe e desfaz das ações enérgicas dos Governadores dos Estados Brasileiros. Desconfiam que ele esteja negando a própria infecção. Desconfio que muitos ainda negam sua insanidade…

Manuela Berbert é publicitária.
Back To Top