skip to Main Content
17 de janeiro de 2021 | 03:57 pm

BAHIA REGISTRA 5,8 MIL NOVOS CASOS DE COVID-19 EM 24 HORAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia registrou, neste sábado (16), o segundo maior número de casos de covid-19 em apenas 24 horas. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), foram 5.832 pessoas com resultado positivo para infecção pelo vírus.

No período das últimas 24 horas, o número de recuperados da doença chegou a 3.987. O total de registros superou o contabilizado nesta sexta-feira (15), passando a ocupar o segundo dia com maior número de confirmações em 24 horas desde o início da pandemia.  O recorde do número de casos, dentro de um dia, ocorreu em 22 de julho, quando foram totalizados 6.401 casos.

Segundo a Sesab, o aumento expressivo do número de casos é reflexo, sobretudo, “das festas e aglomerações ocorridas no final do ano e da retomada das notificações por parte de alguns municípios que tiveram as equipes de vigilância reestruturadas devido às novas gestões”. Dos 534.371 casos confirmados desde o início da pandemia, 512.176 já são considerados recuperados e 12.589 encontram-se ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,5%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (10.671,37), Muniz Ferreira (8.811,64), Conceição do Coité (8.608,06), Itabuna (8.378,55) e Itororó (8.276,91).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 935.870 casos descartados e 131.045 em investigação até as 17 horas de hoje. Na Bahia, 38.561 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

ÓBITOS

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 31 óbitos. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.606, representando uma letalidade de 1,80%. Dentre os óbitos, 56,56% ocorreram no sexo masculino e 43,44% no sexo feminino.

ITABUNA: FUNDADO POR 4 MÉDICOS, HOSPITAL BEIRA RIO COMPLETA 25 ANOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Carlos Ernani, Vável Andrade, Ronaldo Netto e Wandick fundaram hospital

Há 25 anos, quatro médicos oftalmologistas – Carlos Ernani, Ronaldo Netto, Wandick Rosa e Vável Andrade, apaixonados pela profissão e por Itabuna, decidiram fundar uma clínica que servisse como referência em qualidade dos serviços e responsabilidade social. Criaram a Clínica de Olhos de Itabuna, que posteriormente se tornou Hospital de Olhos Beira Rio e mais recentemente o Hospital Beira Rio. O empreendimento completa um quarto de século nesta semana.

Encarar e superar desafios, unidos, sempre foi uma marca dos quatro médicos sócio-fundadores do Hospital. Ao longo desses anos, o Hospital Beira Rio vem passando por um processo permanente de modernização e capacitação de seu corpo clínico e colaboradores, sempre com foco no atendimento de qualidade aos pacientes.

Atualmente o Hospital Beira Rio possui uma estrutura completa que oferece serviços considerados de excelência em todas as áreas da oftalmologia e um moderno Day Hospital, com capacidade para realizar cirurgias de todas as especialidades médicas, de baixa e média complexidades.

A excelência dos serviços prestados pelo Hospital Beira Rio foi reconhecida com a conquista do ISO 9001, um selo de qualidade, sustentabilidade e responsabilidade social. O envolvimento com a sociedade sempre foi prioridade e uma importante ação do Hospital Beira Rio é a realização anual, em parceria com a ONG Unidos pelo Diabetes, do Mutirão do Diabetes de Itabuna, coordenado pelo médico Rafael Andrade. O Mutirão é considerado o maior evento de tratamento e prevenção da doença no Brasil.

Hospital Beira Rio foi fundado por 4 oftalmologistas

MEDIDAS PREVENTIVAS NA PANDEMIA

Em função da pandemia da Covid 19, o Hospital Beira Rio adotou uma série de protocolos determinados pela Organização Mundial de Saúde, como adequação e higienização permanente dos espaços de circulação, consultórios e salas de cirurgia, sinalização para distanciamento, dispensers com álcool em gel e treinamento dos colaboradores, além de atendimento aos pacientes com hora marcada.

Hoje, o corpo clínico do Hospital Beira Rio conta com mais de 20 médicos, incluindo as novas gerações dos sócios-fundadores. A Superintendência Médica é assinada por Rafael Andrade ,que possui trajetória profissional reconhecida internacionalmente, mas que decidiu manter suas raízes no sul da Bahia. Filho de Vável Andrade, faz parte do processo de renovação do Hospital, mantendo a chama empreendedora dos fundadores.

ILHÉUS: CÂMARA INTEGRA GRUPO QUE DISCUTE SOLUÇÃO PARA MATERNIDADE SANTA HELENA

Vereadores integram grupo de trabalho que discute solução para maternidade
Tempo de leitura: 2 minutos

A Câmara Municipal de Ilhéus integra o grupo de trabalho que busca diálogo e soluções para o funcionamento da Maternidade Santa Helena em Ilhéus, que, segundo a Santa Casa de Misericórdia, sua mantenedora, passa por dificuldades financeiras.

Os vereadores Fabrício Nascimento e Paulo Carqueija participaram de uma reunião com o Ministério Público, representações da Prefeitura e da instituição hospitalar, com o objetivo de buscar alternativas que viabilizem a regularidade no funcionamento da unidade hospitalar. Os parlamentares lamentam que, logo no início do ano, tenha havido a suspensão do atendimento na Maternidade Santa Helena, causando sérios transtornos à população.

Fisioterapeuta e servidor da Santa Casa, o vereador Fabrício Nascimento disse que é dever da Câmara cobrar que o fato não se repita, já que as grandes prejudicadas com as interrupções são as gestantes que residem em Ilhéus e não podem contar com a assistência quando mais precisam.

“Foram seis dias sem atendimento. Isso não pode mais acontecer. Mas é preciso frisar que este é um problema que vem se agravando desde nos últimos anos, desde quando a Santa Casa admitiu que o valor recebido pelos procedimentos não é suficiente para cobrir os custos operacionais”, afirmou. A direção da SCMI alega que o fato foi agravado com o fechamento do Hospital Geral Luiz Viana Filho.

NOVA FASE

Ex-presidente da Comissão de Saúde na Câmara, Paulo Carqueija disse que o Poder Legislativo deve – e vai – participar dos debates como instrumento importante para viabilizar o entendimento entre Prefeitura e Santa Casa. A presença dos vereadores neste grupo de trabalho, de acordo com o presidente Jerbson Moraes, fortalece este início de um novo mandato, com a Câmara presente e com voz nas principais discussões coletivas sobre os problemas vivenciados pela cidade.

Leia Mais

SOBE PARA 7,7 MIL NÚMERO DE VÍTIMAS DA COVID-19 INTERNADAS OU EM ISOLAMENTO NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia registrou 3.094 casos de covid-19, 2.111 recuperados e 32 óbitos. Dos 518.955 casos confirmados desde o início da pandemia, 501.688 já são considerados recuperados e 7.755 encontram-se ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,35%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram, até aqui, Ibirataia (10.573,41), Muniz Ferreira (8.676,91), Conceição do Coité (8.558,52), Itabuna (8.178,29) e Jucuruçu (8.174,45).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 907.587 casos descartados e 123.404 em investigação até as 17 horas desta quarta-feira (13). Na Bahia, 37.935 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

ÓBITOS

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 32 óbitos e o total de mortes desde o início da pandemia chegou hoje a 9.512. Dentre os óbitos, 56,51% ocorreram no sexo masculino e 43,49% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 55,10% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,27%, preta com 14,66%, amarela com 0,65%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,20% dos óbitos.

POLICLÍNICA REGIONAL DE CONQUISTA CONTRATA MÉDICOS; REMUNERAÇÃO CHEGA A R$ 10 MIL

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Policlínica Regional em Vitória da Conquista está contratando médicos com remuneração de até R$ 10 mil, no regime CLT, o que garante férias e 13º salário. São vagas para médico angiologista e neurologista, com cargas horárias que variam de 12 a 20 horas semanais. O processo seletivo simplificado analisa os currículos e os títulos dos candidatos e o período de inscrição vai de 13 a 19 de janeiro de 2021.

Os interessados devem entregar a documentação na sede do Consórcio Interfederativo de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga (Cisvita), localizado na Avenida Juracy Magalhães, nº 3340, Ed. Multiplace Conquista Sul, Sala 303, no bairro Boa Vista, em Vitória da Conquista. Mais informações estão disponíveis no site www.cisvita.ba.gov.br ou pelo telefone (77) 3025-6417.

HOSPITAL COSTA DO CACAU FAZ SEGUNDA CAPTAÇÃO DE MÚLTIPLOS ÓRGÃOS NA PANDEMIA

Equipe envolvida na captação de múltiplos órgãos no Costa do Cacau, em Ilhéus
Tempo de leitura: < 1 minuto

Na última quinta-feira (07), o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, realizou mais uma captação de múltiplos órgãos. Foi o segundo procedimento do gênero realizado desde o início da pandemia da Covid-19. Mais uma vez, conforme estabelecido, a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) seguiu o protocolo de segurança sanitária estabelecido pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

De acordo com o enfermeiro Ronaldo Vital Pereira, coordenador do CIHDOTT do HRCC, por coincidência a mídia local repercutia a importância da doação de órgãos, devido a captação múltipla realizada recentemente pela unidade hospitalar. “A divulgação do nosso trabalho, com a repercussão em sites e emissoras de rádio, ajuda no esclarecimento da população sobre a relevância da doação de órgãos”, disse.

O coordenador ainda expressou gratidão à família da doadora. “Quero agradecer profundamente aos familiares que entenderam e tiveram a compreensão sobre essa causa nobre, confesso que aprendi muito com a humanidade dos pais da doadora, que tiveram plena ciência que a doação ajuda a salvar outras vidas. Que Deus conforte e abençoe essa família, só temos a agradecer”, confessou.

SEGURANÇA NA CAPTAÇÃO

O HRCC segue a orientação da Coordenação do Sistema Estadual de Transplantes (COSET) da Bahia, resguardando o nível máximo de segurança no serviço de captação, inclusive com ajustes necessários para o fluxo desse procedimento. É feita a coleta do material biológico do doador, por meio do exame PCR, para detecção da Covid-19, caso o teste apresente resultado negativo a doação prossegue, caso positivo a captação é suspensa.

EM 24 HORAS, BAHIA CONFIRMA 1.649 CASOS E 32 ÓBITOS DE COVID-19

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia confirmou 1.649 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,3%), 1.570 casos de recuperação da doença (+0,3%) e 32 óbitos nas últimas 24 horas, informou a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab).

Dos 512.841 casos confirmados desde o início da pandemia, 496.542 já são considerados recuperados e 6.875 encontram-se ativos. A covid-19 causou 9.424 mortes apenas na Bahia.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,37%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram, até aqui, Ibirataia (10.514,63), Muniz Ferreira (8.636,49), Conceição do Coité (8.533,00), Jucuruçu (8.163,49) e Pintadas (8.096,20).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 902.102 casos descartados e 121.681 em investigação até as 17 horas deste domingo (10). Na Bahia, 37.642 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

COVID-19: BAHIA TEM 6,8 MIL PACIENTES EM ISOLAMENTO OU INTERNADOS, DIZ SESAB

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia registra, por quase uma semana, aumento do número de pacientes em isolamento domiciliar ou em internamento em decorrência da covid-19, os chamados casos ativos. No primeiro sábado do ano, dia 2, eram 5.090 casos ativos. Hoje (9), são 6.828, aponta a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab).

Nas últimas 24 horas, o estado registrou 2.497 novos casos de infectados (taxa de crescimento de +0,5%) e 1.908 recuperados (+0,4%), além de 28 óbitos. Dos 511.192 casos confirmados desde o início da pandemia, 494.972 já são considerados recuperados e 9.392 não resistiram à doença, conforme a Sesab.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,42%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes são, até aqui, Ibirataia (10.462,38), Muniz Ferreira (8.623,01), Conceição do Coité (8.528,49), Jucuruçu (8.163,49) e Pintadas (8.096,20).

37,5 MIL PROFISSIONAIS DE SAÚDE ATINGIDOS

boletim epidemiológico contabiliza ainda 900.362 casos descartados e 123.370 em investigação até as 17 horas deste sábado (9). Na Bahia, 37.531 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

SÍNDROME DA CABANA: PANDEMIA E ISOLAMENTO PODEM GERAR MEDO DE VOLTAR À ROTINA

Tempo de leitura: 4 minutos

Se, por um lado, muita gente não vê a hora de transitar com liberdade; por outro, um parcela se sente cada vez mais coagida a se expor a um realidade que considera perigosa.

Carolina Loureiro

A Síndrome da Cabana não é considerada uma doença. Trata-se de um fenômeno natural do nosso corpo que está relacionado a mudanças bruscas na rotina ou no comportamento. Tal síndrome surge quando a pessoa precisa se adaptar a uma nova realidade de forma rápida e, geralmente, sem que ela tenha total controle da situação. Ou seja, o indivíduo se vê em uma circunstância na qual é obrigado a sair da sua “zona de conforto” de maneira abrupta, adequando-se a um contexto diferente e, muitas vezes, incerto.

Essa transformação causa alterações significativas nas emoções e no modo de agir. Entretanto, a Síndrome da Cabana não pode ser confundida com problemas como depressão, ansiedade e consumo de álcool ou outras substâncias afins. Por tal razão, sempre que você sentir uma alteração intensa no seu comportamento ou no de pessoas próximas, a recomendação é buscar o suporte de um profissional da saúde.

Apenas uma avaliação neuropsicológica poderá identificar se você está vivenciando a Síndrome da Cabana ou se existem outras patologias e diagnósticos associados à sua situação.

Que sintomas estão relacionados à Síndrome da Cabana?

Alguns especialistas da área de saúde relacionam a Síndrome da Cabana com a Síndrome do Pânico. A diferença fundamental é que, na segunda, o indivíduo só se sente seguro isolado, enquanto que, na primeira, é o isolamento que leva a pessoa a ficar angustiada.

Entre os principais sintomas de quem está com Síndrome da Cabana, alguns chamam mais atenção. A seguir, destacamos os principais relatos vinculados ao problema:

Sentimento de angústia;
Perda ou ganho de apetite;
Inquietação;
Falta de motivação;
Irritabilidade;
Dificuldade de concentração;
Dificuldade para dormir ou excesso de sono;
Desconfiança das pessoas;
Tristeza persistente;
Taquicardia;
Sudorese;
Tontura; e
Falta de ar.

Vale destacar que muitos desses sintomas podem indicar outros problemas relacionados à saúde mental. Por isso, é fundamental reconhecer o que você está sentindo e o quanto tais sentimentos estão afetando a sua vida

Qual é a relação entre a síndrome da cabana e a pandemia?

A pandemia da Covid-19 pegou todas as pessoas de surpresa. Muito embora circulassem notícias pelo mundo, ninguém imaginou que a situação chegaria a tal ponto. O isolamento social foi imposto em vários países, e o Brasil foi um deles. Pessoas tiveram de mudar a sua rotina de um dia para o outro, deixando os escritórios e se isolando em suas residências, envoltos de incertezas sobre o que aconteceria a seguir.

Nesse cenário, a Síndrome da Cabana se manifestará quando a pessoa, mesmo sem uma ameaça próxima ou imediata, já não se sentir segura fora de casa. Ainda protegida ela tem dificuldade de voltar à rotina. Uma angústia e um medo paralisante a impedirão de manter o seu dia a dia, o que intensifica o problema.

Como procurar ajuda?

Se você identificar que os desafios estão sendo complicados demais e simples atividades estão mais difíceis de superar no seu cotidiano, então é hora de buscar a ajuda de um psicólogo.

Além de fazer um diagnóstico adequado, os profissional vai acompanhar a sua evolução, mostrando como lidar com sentimentos e pensamentos que o paralisam.

O momento é delicado para todas as pessoas, e os efeitos da pandemia ainda devem ser sentidos por um longo período de tempo. Precisamos nos adaptar à realidade que nos foi imposta e estabelecer formas de conviver com a situação.

Como você pôde ver, junto à pandemia vieram muitos desafios, inclusive a Síndrome da Cabana. Esse é um problema que pode atingir qualquer pessoa, mas é possível de ser tratado. Se você tiver sentimentos paralisantes ou dificuldade de lidar com este momento, busque o apoio de um profissional. Lembre-se de que você não está sozinho

Enquanto as cidades se planejam para uma reabertura gradual de suas atividades, tentando conciliar a retomada da economia com a segurança da população, parte das pessoas que têm vivido meses confinadas em casa se vê agora invadida pelo temor de voltar ao convívio social. Tomadas por uma sensação de vulnerabilidade, para elas o novo normal não é só um conjunto de medidas de prevenção, mas uma realidade cheia de ameaças e, consequentemente, uma grande preocupação sobre como seguir em frente com suas vidas.

Se, por um lado, muita gente não vê a hora de transitar com liberdade; por outro, um parcela se sente cada vez mais coagida a se expor a um realidade que considera perigosa.

A saída do confinamento está anexada a contínuos informes sobre a expansão do contágio e do número de mortos e constantes informes sobre uma segunda e até mesmo de uma terceira onda. Resumindo, o chamado novo normal está nascendo em meio a uma confusão de expectativas de mudanças e inseguranças coletivas. Toda a vivência determinada pela pandemia é muito estressante, e essa saída é um item a mais na pauta desse estresse.

No contexto atual, o medo da contaminação também se agrega à necessidade de viver em uma realidade profissional e econômica, que entrou em um período de acentuada mudança.

Nem todas as pessoas se adequam a um uso massivo de insumos cibernéticos, muitas pessoas estão profundamente machucadas pelo confinamento, muitas relações sofreram pesados estremecimentos pela mesma razão, muitos foram economicamente afetados. Esses aspectos desafiadores não são superáveis por decreto, precisam de um ambiente mais tranquilo e seguro que garanta à todos nós um tempo de recomposição, restauração e recuperação.

O mal-estar causado pela retomada das atividades tem até colocado em evidência o termo ‘Síndrome da Cabana’, utilizado desde o início do século passado, com origem nos Estados Unidos, para falar da angústia e receio diante da ideia de sair às ruas após ficar isolado. Criado para explicar um problema que acometia trabalhadores que passavam longos períodos em cabanas, esperando o inverno passar.

Profissionais de saúde preferem não generalizar e nem transformar essa expectativa em uma doença, apesar de reconhecerem que a sensação aflige hoje grande parte da população.

É natural sentir ansiedade. Foi uma mudança brusca, precisou de todo um período para as pessoas se adaptarem ao papel do isolado. A gente sofreu com isso, mas não teve como fugir. Agora a dificuldade é inversa. Como dar conta de fazer as coisas que nos esperam? O medo é natural. Ele nos protege. Quem tenta negar isso acaba sendo negligente com a própria segurança. Afinal, vamos ter que nos reinserir, dar conta, correr atrás do prejuízo. Nossa tendência é sempre se acomodar na segurança. É inevitável sentir isso, mas o que vai nos ajudar nessa hora é não dar apenas um sentido negativo para esse medo, mas sim, entender que ele não é uma doença, mas que faz parte de um processo de transição. Lembrar que com qualquer mudança a gente também pode aprender e crescer.

Caroline Loureiro é psicóloga.

BAHIA REGISTRA 2.777 CASOS DE COVID-19 E 31 ÓBITOS EM 24 HORAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia registrou 2.777 casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas e 2.339 recuperados da doença, segundo informou, há pouco, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). No período, foram registrados 31 novos óbitos causados pela covid-19.

Desde o início da pandemia, 508.695 casos foram confirmados no estado, dos quais 493.064 já são considerados recuperados e 6.267 encontram-se ativos (infectados em isolamento ou internados).

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,44%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (10.462,38), Muniz Ferreira (8.609,54), Conceição do Coité (8.520,99), Jucuruçu (8.152,53) e Pintadas (8.096,20).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 898.105 casos descartados e 123.632 em investigação até as 17 horas desta sexta-feira (8). Na Bahia, 37.422 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

ÓBITOS

Nas últimas 24 horas, o estado contabilizou 31 novos óbitos. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.364, representando uma letalidade de 1,84%. Dentre os óbitos, 56,48% ocorreram no sexo masculino e 43,52% no sexo feminino.

Back To Top