skip to Main Content
28 de maio de 2020 | 07:33 pm

BIOFÁBRICA ANUNCIA MUDANÇA DE NOME E NOVA MARCA

Tempo de leitura: 2 minutos

Após mudança, Instituto agora será Biofábrica da Bahia || Foto André Fofano/SDR

O Instituto Biofábrica de Cacau mudou de nome e agora será Instituto de Fomento e Desenvolvimento Agro-Sócio-Ambiental da Bahia – Biofábrica da Bahia. A organização social faz a gestão da Biofábrica de Cacau há 20 anos e nessa nova fase agregará novos objetivos ao equipamento público, que ganhou uma marca comemorativa pelo aniversário de fundação. A marca está sendo lançada na 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, durante a Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro), que vai até domingo (1º), no Parque de Exposições de Salvador.

Agora, a Biofábrica da Bahia insere em seu catálogo mudas de palma forrageira. Inicialmente, as palmas serão distribuídas exclusivamente para agricultores familiares contemplados pelo Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Para o público geral, foram agregadas à produção mudas de cacau ortotrópicas. O material ortotrópico produz plantas com crescimento inicial vertical, formação de forquilha e arquitetura semelhante à da árvore seminal. Essas características reunidas facilitam o trabalho do produtor, uma vez que formam plantas de copa mais compacta, facilitando o manejo e os tratos culturais.

“Todos nós da comunidade rural – grandes e pequenos produtores rurais do Brasil, agricultores familiares da Bahia, governo do estado, instituições de pesquisa, região cacaueira, povos da Mata Atlântica e da cabruca, estamos tendo a honra de fazer parte da transição do Instituto Biofábrica de Cacau para Instituto Biofábrica da Bahia nesses 20 anos de história de promoção do desenvolvimento rural por meio da tecnologia, ciência e inovação. Temos uma importante missão – conscientizar a todos sobre a necessidade de produzir preservando, e a Biofábrica da Bahia tem toda a capacidade e competência para indicar o caminho”, destacou o diretor presidente Lanns Almeida.

BIOFÁBRICA DA BAHIA

Situada no distrito de Banco do Pedro, no município de Ilhéus, Litoral Sul da Bahia, a Biofábrica da Bahia é a primeira unidade do mundo destinada à produção contínua, em escala industrial, de clones de cacaueiros de alta produtividade e resistentes a doenças como vassoura-de-bruxa. O equipamento público possui a maior área de viveiro em campo aberto do mundo, com 40 mil metros quadrados, 20 viveiros e capacidade para armazenar 4,8 milhões de plantas. No local, está instalado um dos mais modernos laboratórios de micropropagação do Brasil.

Atualmente, além das mudas de palma forrageira e cacau ortotrópico, a Biofábrica da Bahia produz 10 variedades de mudas frutíferas, 12 clones de cacau, 14 variedades de essências florestais, mandioca e orquídeas. A produção acontece com financiamento da SDR e certificações da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Os protocolos trabalhados foram desenvolvidos junto à Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

PEQUENOS PRODUTORES DE CACAU NA BAHIA DEVEM TER ACESSO A CRÉDITO

Tempo de leitura: 2 minutos

Produtores de cacau debatem acesso ao crédito rural

Produtores de cacau da Bahia devem voltar a ter acesso a dinheiro para implantar, ampliar ou modernizar a estrutura de produção, beneficiamento e agroindustrialização do cacau. As possibilidades de acesso ao crédito foram estudadas durante encontro em Ilhéus, nesta terça-feira (12), por dirigentes e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR) e do Banco do Nordeste.

Segundo o superintendente do Banco do Nordeste, José Gomes, com a SDR surgiu a possibilidade de voltar a atender os produtores de cacau. “Estamos aprofundando a discussão para atender os produtores que se encaixarem no perfil para o crédito para que possam retornar as atividades preponderantes na região”, disse.

O secretário em exercício da SDR, Jeandro Ribeiro, apresentou ações do governo baiano para fortalecer a cacauicultura no estado, como assistência técnica e extensão rural (Ater), apoio à reforma agrária, regularização fundiária, mecanização rural, além dos investimentos feitos por meio de projetos como o Pró-Semiárido e o Bahia Produtiva.

Leia Mais

UBAITABA OBTÉM APOIO PARA REFORMA DO MERCADO MUNICIPAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Suka e Jailton com o secretário Jeandro Ribeiro em visita ao mercado || Foto Aleiton Oliveira

As obras de reforma do Mercado da Farinha, executadas pela Prefeitura de Ubaitaba com recursos do governo baiano, foram visitadas, neste final de semana, pelo secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jeandro Ribeiro. Ele fez uma visita técnica, acompanhado pela prefeita Suka Carneiro, o vice-prefeito Jailton Araújo, secretários municipais e técnicos.
Nesta primeira etapa, os trabalhos consistem na colocação de piso e de azulejo, reforma dos balcões e recuperação do telhado e pintura. Além de agradecer à cooperação da SDR na reforma da unidade, a prefeita de Ubaitaba obteve o apoio do secretário para mais recursos para as próximas etapas, que incluem a reforma dos mercados de carnes verdes e carnes secas, verduras e frutas.
Suka ainda relatou a necessidade de mais verbas para que o município implante o Mercado da Confecção, com dois pavimentos, para abrigar restaurantes no segundo andar.

COOPERAST VENCE EDITAL E AMPLIA ATUAÇÃO NO SUL DA BAHIA

Tempo de leitura: 2 minutos
Sede da Cooperast, vencedora de chamada para o Litoral Sul.

Sede da Cooperast, vencedora de chamada para o Litoral Sul.

O governo baiano publicou, neste final de semana, resultado de chamada pública de assistência técnica e extensão rural da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR). A Cooperativa de Desenvolvimento Territorial (Cooperast) foi a vencedora de um dos editais da Bahiater Litoral Sul.

Por meio da chamada, a Bahiater pretende atender agricultores familiares nos Territórios de Identidade da Bahia com assistência técnica e extensão rural. Somente no sul, baixo-sul e Vale do Jequiriçá, devem ser atendidas 3,6 mil famílias.

O diretor executivo da Cooperast e responsável técnico pela elaboração dos projetos, Thiago Guedes, comemorou a publicação destacando que o momento atual é de superar os desafios do campo, principalmente ao se tratar dos protocolos que darão aos agricultores acesso às Políticas Públicas de direito.

– É com muita alegria que mais uma vez enfrentaremos os desafios de planejarmos e executarmos ações que ajudarão agricultores familiares à acessarem políticas de beneficiamento através da melhoria dos processos de comunicação, articulação e instrumentalização como o Crédito Rural (Pronaf, Pronaf Agroecologia), mercados institucionais PAA (Programa de Aquisição de Alimento) e PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), PNHR (Programa Nacional de Habitação Rural), Luz para Todos e Água para Todos – afirmou Thiago.

Segundo ele, outros pontos de interesse são a “agroindustrialização, estradas vicinais possíveis de serem transitadas, escola do campo, saúde, DAP ativa e outras estruturas necessárias para ser viável viver com dignidade e qualidade na área rural, produzindo com sustentabilidade a alimentação da população.

Leia Mais
Back To Top