skip to Main Content
14 de julho de 2020 | 07:29 pm

BANDIDOS OUSADOS – E LIVRES

Tempo de leitura: < 1 minuto

A polícia ainda não conseguiu prender a dupla de criminosos que, por volta das 13 horas de ontem, invadiu a loja de informática Compshop, na rua Ruffo Galvão, em Itabuna, e levou 14 notebooks.

Os bandidos aproveitaram o horário de menor movimentação para agir, armados. O prejuízo é estimado em cerca de R$ 30 mil. Os assaltantes, pelo menos, já foram identificados.

ITABUNA: QUATRO SÃO EXECUTADOS EM CHACINA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Quatro pessoas foram assassinadas em um barraco no Gogó da Ema, na região do São Caetano, em Itabuna. As execuções ocorreram por volta da 1h deste domingo. Três homens invadiram um barraco na rua Hélio Aragão e efetuaram os disparos, informa o Xilindró Web.

Das quatro vítimas, só uma foi identificada até agora. Chamava-se Hugo Soares da Silva Filho, 45 anos. Outro executado pelos bandidos foi reconhecido apenas pelo prenome Lucas.

Os homens estavam fortemente armados. Usaram escopeta, espingarda calibre 12 e uma metralhadora. O atendimento foi feito pela Polícia Militar, já que a Civil está em greve desde o dia 19. As investigações somente serão iniciadas com o fim da paralisação nacional.

SOLDADINHOS DE CHUMBO

Tempo de leitura: 2 minutos

Daniel Thame

O estudante José Denisson da Silva Neto, de 17 anos, foi assassinado brutalmente na porta do Colégio Ciso, em Itabuna, na tarde de quinta-feira, dia 20.

Denisson estava na porta da escola, quando dois homens se aproximaram em uma moto e um deles deflagrou quatro tiros que atingiram o estudante na perna direita, abdome, braço esquerdo e nas costas. O jovem, que cursava a oitava série, morreu na hora.

“Não, José Denisson não era apenas um estudante e sim um jovem envolvido com o tráfico de drogas, que morreu numa guerra pela disputa dos pontos de venda”, bradaram os simplistas, reverberando o noticiário policial, quase que com o alivio de que há um marginal a menos em circulação.

Mas não é tão simples assim.

José Denisson era apenas um estudante, jovem da periferia paupérrima de Ilhéus que se mudou para a periferia paupérrima de Itabuna.

O consumo de drogas foi o caminho natural de uma existência em meio a grandes dificuldades e nenhuma perspectiva de futuro.

(Foto Pimenta na Muqueca - 20.05.10).

Um perfil que se encaixa perfeitamente no padrão de crianças e adolescentes que são recrutados pelos traficantes.

De consumidor, ele passou a vendedor de drogas.

Um desses inúmeros soldadinhos do tráfico, que comercializam pequenas quantidades em portas de escolas e bares, ganhando um dinheirinho que mal dá pra sustentar o próprio vício.

E que de tão abundantes no, digamos, mercado, acabam se tornando absolutamente descartáveis, visto que não faltam peças de reposição.

José Denisson foi apenas mais uma peça descartada nessa engrenagem macabra, em que o tráfico encurta a vida de milhares de jovens e adolescentes.

No momento em que José Denisson deixou de ser apenas estudante para se tornar estudante e soldadinho do tráfico, selou o próprio destino.

Morreu como morrem tantos e tantos soldadinhos, tombados numa guerra que quase sempre só atinge a parte de baixo do submundo das drogas.

É lícito supor que se existissem políticas públicas de inclusão de jovens e adolescentes, José Denisson não estaria na porta do colégio, onde encontrou a morte, mas na sala de aula, onde poderia encontrar um futuro melhor.

Inúteis perorações, verborragia pura, diante de um corpo estendido no chão, diante dos colegas de escola, testemunhas de uma lição de violência cotidiana que assusta, mas que não se faz absolutamente nada para evitar.

Não foram apenas quatro tiros que mataram José José Denisson.

Foi também uma arma letal que atende pelo nome de omissão.

Daniel Thame é jornalista, blogueiro e autor do recém-lançado Vassoura.

ITABUNA: VÍTIMA REAGE E FRUSTRA ASSALTO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais uma para o rol das histórias dos assaltos frustrados em Itabuna. Um rapaz nervoso, trêmulo como se aquela fosse a sua primeira vez, depois de chegar arrotando valentia, saiu com o ‘rabo entre as pernas’, ao ter sua arma tomada pela vítima. O fato ocorreu no interior do frigorífico Frigosul, na avenida Juracy Magalhães, ontem à noite.

Antônio Barbosa Neto anunciou o assalto, apontando um revólver 38, carregado, para o proprietário do frigorífico, que estava no caixa. Este, ao perceber que o molecote à sua frente tremia mais que vara verde, também sacou seu brinquedinho da gaveta e desafiou Neto, que desistiu de sua tarefa e resolveu fugir. Foi capturado pela polícia em seguida e levado ao Complexo Policial.

Leia mais no Trombone

HISTÓRICO DE ALUNO EXECUTADO ERA “LIMPO”

Tempo de leitura: < 1 minuto

No dia em que foi executado na porta da escola, José Denisson não compareceu à sala de aula. O aluno não possuía histórico de violência nem de excesso de faltas. “Ele chegou e nem entrou na escola”, afirma o vice-diretor Eugenio Abreu.

José Denisson era novato no Ciso. Aos 17 anos, cursava a oitava série. Era o primeiro ano do jovem na escola estadual. Até o ano passado, Denisson morava em Ilhéus, também no sul da Bahia.

O vice-diretor observou que o aluno estava com uniforme incompleto. Estava de bermuda tactel e, do uniforme, travaja apenas uma blusa. No momento da execução, ele estava sentado no passeio da escola.

ALUNO DO CISO É MORTO A TIROS NA PORTA DA ESCOLA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Jovem foi assassinado na porta da escola (Foto Pimenta na Muqueca).

Um crime bárbaro foi cometido há cerca de uma hora, em frente ao Colégio Ciso, um dos mais tradicionais e respeitados da rede pública de ensino em Itabuna. O estudante José Denisson da Silva Neto, de 17 anos, estava na porta da escola, quando dois homens se aproximaram em uma moto, desceram e um deles deflagrou quatro disparos à curta distância.

Os tiros atingiram o estudante na perna direita, abdome, braço esquerdo e nas costas. O jovem, que cursava o primeiro ano do ensino médio, morreu na hora.

Segundo infomações, José Denisson morava na Rua 5, no Parque Boa Vista. A polícia informa que o menor tinha envolvimento com o tráfico de drogas e sua morte teria ligação com uma guerra entre traficantes do Parque Boa Vista, Califórnia, Nova Califórnia e da “Favela da Portelinha”.

Uma hora após o homicídio, o corpo ainda se encontrava no passeio do colégio, à espera dos peritos da polícia civil e do rabecão para fazer o transporte até o Departamento de Polícia Técnica.

PROTESTO NO VILELA INTERDITA A ILHÉUS-ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os moradores do Teotônio Vilela interditaram a rodovia Ilhéus-Itabuna por mais de quatro horas nesta quinta-feira, 13. A interdição marcou o protesto contra a violência num dos bairros mais carentes de Ilhéus.

Ontem à noite, Larissa Andrade, de 6 anos, foi assassinada com três tiros. A polícia suspeita que ela tenha sido utilizada como escudo numa briga de criminosos do bairro. A interdição da pista começou por volta do meio-dia e a liberação ocorreu depois das 16h.

FINAL DE SEMANA SANGRENTO EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos

São 68 homicídios de janeiro a maio

Município enfrenta violência crescente (Foto Google).

Itabuna registrou seis homicídios em menos de 48 horas, em mais um final de semana sangrento. A violência não deu trégua, apesar do Dia das Mães. A polícia contabiliza quatro execuções somente no domingo. De 1º de janeiro a 9 de maio, são 68 homicídios, pelo menos. A maioria, segundo a polícia, tem ligações com o tráfico de drogas.

As primeiras mortes foram registradas na feira livre do Conceição, às 2h10min da madrugada de sábado. Janaína Santos Lins, 27, estava morta quando a polícia chegou ao local. Valter Nascimento Lima Neto, o Bisqui, ainda respirava. Levado ao Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), não resistiu. Os dois tinham ligações com o tráfico de drogas.

O primeiro assassinato deste domingo ocorreu no bairro São Caetano, na rua Floresta. Wesley Costa Santos levou vários tiros e ainda recebeu atendimento de equipe do Samu 192, porém, não resistiu. Um trio executou Alex Andrade Santos, 32 anos, no Parque Boa Vista. O bando invadiu uma casa para dar fim à vítima.

A noite do Dia das Mães registraria mais duas vítimas. Por volta das 21h, Jackson Jesus foi assassinado por um conhecido. O crime ocorreu em plena praça do bairro Novo Horizonte, periferia de Itabuna. A sexta vítima foi Adailton Lima, executado por dois tiros, no bairro Maria Pinheiro. (Números atualizados sem computar as mortes de confrontos de polícia e criminosos.)

Atualizada às 9h12min

EM ITABUNA, PAULO SOUTO “MATA” 77 PESSOAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Souto, o "homicida" itabunense.

A passagem do ex-governador Paulo Souto (DEM) por Itabuna, nesta quinta-feira, tem se revelado desastrada. A Vily Modesto, da rádio Jornal, ele afirmou que ocorreram 242 homicídios no município sul-baiano em 2009.

As estatísticas apontam, no entanto, o registro de 165 assassinatos em Itabuna no ano passado, o que já é altíssimo para um município de pouco mais de 210 mil habitantes.

De uma hora para outra, o ex-governador matou 77 pessoas. Talvez seja o calor da pré-campanha eleitoral

Em tempo: Itabuna estava há uma semana sem registro de homicídio. Ontem, às 23h, Reinaldo Santos Farias foi assassinado com seis tiros, no bairro Nova Califórnia. No ano, são mais de 60 homicídios por aqui.

Back To Top