skip to Main Content
19 de setembro de 2020 | 12:59 pm

PREFEITURA DIZ QUE CRISE IMPEDE REAJUSTE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Em crise, Prefeitura diz que não tem como reajustar salários

Em crise, Prefeitura diz que não tem como reajustar salários

A Prefeitura de Itabuna divulgou nota na qual reitera a impossibilidade de conceder reajuste salarial neste momento, em razão da crise financeira e política. Segundo o governo municipal, tem sido registrada queda na receita tributária e de repasses constitucionais.

Na nota, o governo diz que está aberto ao diálogo e que mantém o compromisso de pagar salários em dia, mas sem poder autorizar reposição este ano.

O Sindicato dos Servidores recusou a proposta de reajuste zero e diz que tentará obter a reposição de perdas pela via judicial (confira).

SERVIDORES INICIAM GREVE EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Sem reajuste, servidores cruzam os braços em Itabuna

Sem reajuste, servidores cruzam os braços em Itabuna

O serviço público municipal parou nesta quarta-feira (11), em Itabuna. Uma greve por tempo indeterminado foi deflagrada pelo Sindicato dos Servidores, que não aceita a proposta de reajuste zero apresentada pelo prefeito Claudevane Leite (PRB).

A paralisação foi decidida em assembleia no último dia 5. Na mesma reunião, ficou acertada a busca do Ministério Público do Trabalho para mediar as negociações entre sindicato e governo,  e para pleitear a reposição das perdas salariais na Justiça.

De acordo com representantes do sindicato, desde a assembleia que deliberou pela deflagração da greve, o governo não procurou a entidade. A informação é de que o movimento tem boa adesão e está respeitando a exigência de manter um efetivo de 30% em atividade.

SERVIDORES DA UESC FAZEM NOVO PROTESTO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Servidores da Uesc fazem nova paralisação (Foto Pimenta).

Servidores da Uesc fazem nova paralisação (Foto Pimenta).

Funcionários da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) fecharam os portões de acesso ao campus Soane Nazaré de Andrade, hoje, em novo protesto. Os servidores técnico-administrativos cobram reparação de perdas salariais e reajuste do  auxílio alimentação.

os servidores das universidades estaduais estão há mais de 10 anos sem reajuste do tíquete, congelado em R$ 198,00, segundo a Associação de Funcionários da Uesc (Afusc). A pauta é a mesma para as demais estaduais (Uefs, Uesb e Uneb).

Portões foram fechados na parte da manhã (Foto Pimenta).

Portões foram fechados na parte da manhã (Foto Pimenta).

Os funcionários também cobram ampliação do quadro de cargos das carreiras de analistas e técnicos universitários. Assim como os professores, os servidores técnico-administrativos cobram do governo que o orçamento das universidades estaduais tenham orçamento equivalente a 7% das Receitas Líquidas de Impostos.

Os servidores prometem radicalizar nas manifestações para obter resposta do governo baiano, inclusive com bloqueio de rodovia. É o segundo protesto em menos de dez dias. Na semana passada, os portões foram fechados, na parte da manhã.

SERVIDORES DE ITABUNA FAZEM PARALISAÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Servidores votam paralisação com indicativo de greve.

Servidores votam paralisação com indicativo de greve.

Os servidores municipais de Itabuna farão paralisação de 24 horas nesta quarta (30), além de um protesto em frente à prefeitura, às 9h. Eles protestam contra a proposta de reajuste salarial da prefeitura: 6% em abril mais 2% em outubro para quem recebe abaixo de R$ 1.000,00. A paralisação foi definida em assembleia ontem à noite.
A presidente do Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais (Sindserv), Wilmaci Oliveira, diz que o funcionalismo também cobra implantação do tíquete alimentação e do Plano de Cargos, Carreira e Salários.
– Os trabalhadores já sofrem com precárias condições de trabalho e com o assédio moral. A prefeitura comete um grande erro ao se recusar a debater benefícios como tíquete alimentação e PCCS e com esta proposta salarial indecente , recusada de forma veemente pela categoria – afirmou a dirigente sindical.
Wilmaci diz esperar que a manifestação de amanhã “abra os olhos do governo”. “Os servidores não aceitam mais serem massacrados. Se o governos mantiver esta postura intransigente, entraremos greve”.

E QUEM AUTORIZOU…

Tempo de leitura: < 1 minuto

É notável o sururu criado em torno de servidores públicos itabunenses que engordaram os contracheques em manobras consideradas suspeitas e que resultaram em auditoria determinada pela atual administração.

De fato, se a investigação – de teor ainda desconhecido em seus detalhes – apontou irregularidades, que os responsáveis sejam punidos. Porém, quem são os responsáveis? São apenas os barnabés – peixes pequenos – ou também, e mais ainda, os secretários que autorizaram os “incrementos salariais”.

Um advogado que conhece a história desde o início afirma que, em determinados casos, as alterações nos contracheques foram precedidas de processo administrativo e tiveram parecer favorável da Procuradoria Geral do Município, inclusive no governo Geraldo Simões (2001-2004). O problema é que a autorização da incorporação de certas parcelas remuneratórias, a exemplo de horas extras, sempre dependeu das boas relações entre servidores e governante de plantão.

O fato é que há práticas indevidas, mas corriqueiras, na administração municipal itabunense, desde sempre. Como a de conceder funções gratificadas, que chegam a dobrar os salários, apenas com uma canetada, sem qualquer processo administrativo que respalde o ato.

Na história dos contracheques “bombados”, há casos e casos. E cada um deve ser analisado criteriosamente, à luz da verdade e da justiça.

SERVIDORES REJEITAM CORTE DE SALÁRIO E GREVE CONTINUA EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Servidores rejeitam proposta que cortava salários (Foto Fábio Bomfim/Ilhéus 24h).

Servidores rejeitam proposta que cortava salários (Foto Fábio Bomfim/Ilhéus 24h).

Os servidores ilheenses decidiram manter a greve iniciada em 22 de julho. A assembleia foi realizada nesta manhã de quarta (25), no Ginásio de Esportes Herval Soledade. Os servidores consideraram a proposta do prefeito Jabes Ribeiro indecente, pois acabava anulando a reposição inflacionária.

O prefeito acenou com reposição de 5,84%, mas cortando 20% do salário de 90% dos trabalhadores. Cobrindo a assembleia, o Ilheús 24h informa que a proposta foi considerada indecente pelos servidores. Neste momento, há manifestação do funcionalismo na região central.

APÓS 2 MESES, JABES CEDE E GREVE DOS SERVIDORES PODE TERMINAR AMANHÃ

Tempo de leitura: < 1 minuto

A greve dos servidores municipais de Ilhéus pode chegar ao fim amanhã (25), após o prefeito Jabes Ribeiro finalmente acenar com proposta de concessão de reajuste de 5,84% para todas as categorias e 7,97% para atender à política nacional do piso do magistério.

O prefeito sinalizou até com a redução de 30% do próprio salário e de 20% dos demais comissionados como forma de economia para atender à reivindicações dos servidores. O entrave, no entanto, pode ser a redução de 20% da jornada para servidores que recebem acima de R$ 1 mil.

O prefeito acena com atendimento à proposta feita pelos trabalhadores há um mês, após o governador Jaques Wagner afirmar que poderia participar das negociações e aconselhar o prefeito a negociar em vez de buscar culpados (relembre aqui).

A DESCONFIANÇA DO SERVIDOR

Tempo de leitura: < 1 minuto

fgtsA Prefeitura de Itabuna, novamente, recebeu autorização do legislativo para parcelar a dívida com FGTS em 150 vezes.

A questão foi abordada ontem (19) durante audiência do Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais (Sindserv).

O parcelamento é importante para que os servidores voltem a ter saldo de FGTS, mas sobra desconfiança por parte do funcionalismo. A dívida hoje beira os R$ 32 milhões.

As vítimas lembram de governos anteriores que recorreram ao parcelamento apenas como forma de, novamente, botar a mão em verbas federais. Vida resolvida, a gestão deixa de depositar as parcelas devidas e os servidores ficam chupando dedo.

Da última vez, na gestão de Capitão Azevedo, as parcelas não foram pagas e os servidores ficaram com saldo de FGTS zerado, insuficiente. A saída, agora, é orar para que tudo seja diferente. Mas como tradição é tradição…

GOVERNO FICA MUDO. SERVIDOR FAZ BARULHO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Greve geral em Ilhéus mobiliza cerca de 4,5 mil servidores.

Servidores preparam manifestações

Diante do impasse na campanha salarial deste ano, servidores da Prefeitura de Ilhéus, em greve há quinze dias, optaram por adotar novas estratégias a partir desta semana. Como forma de pressionar o governo a retomar as negociações, os cinco sindicatos que representam o funcionalismo realizarão caminhadas e outros atos públicos na cidade.

A linha de ação foi decidida em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira, 5, quando os servidores também deliberaram pela continuidade da greve. Outra decisão pode facilitar a retomada do diálogo com o governo: os grevistas declararam que abrem mão do ganho real sobre os salários, passando a exigir somente a reposição das perdas com a inflação medida de junho de 2012 a maio de 2013, o que dá um índice de 5,84%. Já os professores cobram o cumprimento do piso nacional, o que implica em reajuste de 7,97%, retroativo a janeiro.

Na semana passada, o prefeito Jabes Ribeiro solicitou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) esclarecimento sobre as despesas do governo que devem ser consideradas como gastos com pessoal. O gestor sustenta que hoje há um comprometimento de 78% das receitas com a folha, o que é contestado pelos sindicatos.

“JABES TEM QUE NEGOCIAR”, DIZ GALO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Depois de ter passado pela “Terra da Gabriela” e conversado com os manifestantes do movimento Reúne Ilhéus, o deputado estadual Marcelino Galo (PT) fez reparos à postura do prefeito Jabes Ribeiro. Na opinião do parlamentar, o gestor precisa tomar para si a responsabilidade de resolver a questão do transporte coletivo (o movimento exige redução da passagem).

“O prefeito precisa trazer pra si a resolução de um problema grave como a questão do transporte público. E garantir o imediato retorno dos serviços do município com abertura de negociação efetiva”, referindo-se também à greve dos servidores municipais.

Para o petista, é necessário olhar as manifestações que ocorrem em Ilhéus de maneira integrada aos movimentos observados nacionalmente. “As mobilizações que ocorrem em todo Brasil não são diferentes em Ilhéus. As ruas passam um recado claro para os governantes e para nós políticos em geral. É necessário ouvir todas as pautas dos trabalhadores em greve e do movimento Reúne Ilhéus. A pauta é justa e deve ser negociada imediatamente”, orientou.

Back To Top