skip to Main Content
27 de setembro de 2020 | 04:41 pm

DIRETO AO PONTO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta quarta à noite, a Câmara Municipal realizou sessão itinerante em Ferradas. Lá, os vereadores abriram os microfones para os moradores dizer o que sentem na pele todos os dias.

Os ferradenses tinham um sem-fim de carências: da falta de segurança pública a sistema de transporte coletivo precário, ruas esburacadas, saúde ruim, água salobra fornecida pela Emasa e inexistência de área de lazer

Tudo foi anotado com presteza pelos nobres edis para, mais adiante, ser cobrado do prefeito e dos secretários municipais – que, convidados, não compareceram.

A fatura era alta para ser entregue e atendida lá nas bandas do centro administrativo Firmino Alves. Desconfiado, um astuto morador se levanta, pede o microfone e dispara:

– Seria bom que vocês [vereadores] realizassem uma nova sessão, daqui a três meses, pra dizer o que a prefeitura atendeu. É pras coisas não ficar só no papel, vocês tirar os seus da reta e a gente ficar aqui do mesmo jeito.

A sinceridade calou fundo e os edis concordaram com uma nova sessão itinerante.

Em tempo: se é certo que faltou representante do município, o mau exemplo começou em casa. Apesar da Câmara contar com 13 vereadores, na sessão em Ferradas compareceram apenas os vereadores Vane do Renascer, Wenceslau Júnior, Clóvis Loiola e Ricardo Bacelar.

Back To Top