skip to Main Content
18 de fevereiro de 2020 | 04:54 am

MAIS DE 400 ALUNOS DA REDE PÚBLICA DO SUL DA BAHIA SÃO APROVADOS EM UNIVERSIDADES

Ellen Barros, Guilherme, Brenda Ketlyn, do Colégio Modelo, e Samilly Kauany, Gustavo Salomão e Larissa Alves , do Félix Mendonça
Tempo de leitura: 3 minutos

Entrar para uma universidade no Brasil é um sonho que parece distante para milhões de estudantes de baixo poder aquisitivo. Muitas vezes, a qualidade do ensino público, aliada a fatores como falta da incentivo dos pais e escassez de dinheiro até para pagar uma passagem, cria uma enorme barreira para o acesso a um bom curso no ensino superior. Mas, no sul da Bahia, mais de 400 estudantes do ensino médio conseguiram provar que é possível superar os obstáculos. A história de muitos deles será tema de uma série de reportagens exclusivas que o PIMENTA publica a partir desta semana.

Muitos dos futuros universitários estudaram sempre em escolas públicas em bairros periféricos de suas cidades e apostaram na educação como ferramenta de transformação social. Na lista dos que conseguiram pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ingresso no ensino superior neste ano estão filhos de donas de casas, porteiro, dona de bar, desempregados, motorista de ônibus, trabalhador rural, faxineira, pedreiros, servidores públicos,  comerciantes, dentre outros profissionais.

Na região do Núcleo Regional de Educação do Sul da Bahia (NRE-05), que abrange 26 municípios, pelo menos cinco escolas se destacaram pelo número de estudantes que obtiveram notas para ingresso em diversos cursos de graduação, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e Universidade Federal da Bahia (UFBA), além de instituições de outros estados (assunto de outra reportagem da série).

No topo da lista de escolas com maior número de aprovados em Itabuna estão o Colégio da Polícia Militar de Itabuna, Colégio Universitário e Complexo Integrado de Educação de Itabuna, Colégio Estadual Félix Mendonça, Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães e Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf). Juntas, essas unidades tiveram cerca de 130 alunos aprovados para as mais diferentes áreas.A expectativa é que, pelo menos 80, estudantes ainda sejam chamados nas próximas listas.

MAIORIA ESCOLHEU A UESC

A maioria dos jovens foi aprovada para a Uesc. Os estudantes vão começar 2020 em cursos de graduação como Administração, Agronomia, Matemática, Engenharia de Produção, Direito, Letras, Medicina, Ciência da Computação, História, Matemática, Biologia, Pedagogia, Comunicação Social e Química.

Estudantes aprovados ao lado de professores do Félix Mendonça

Entre os aprovados estão Larissa Alves, primeiro lugar no curso de Pedagogia, e Samilly Kauany, quarta colocada em Economia. Quem também conseguiu uma vaga na Uesc foram os estudantes Gustavo Salomão, no curso de Educação Física; Ellen Barros Barcelar, em Matemática; Guilherme Lima da Silva, em Administração, e Brenda Ketlyn Silva de Jesus, em Ciências Biológicas. Ellen, Guilherme e Brenda estudaram no Modelo, no Lomanto. Larissa, Samilly e Gustavo são do Felix Mendonça, no Sarinha Alcântara.

Por sinal, o Félix Mendonça registrou, neste ano, um número recorde de candidatos que garantiram vagas no ensino superior. São mais de 30 alunos aprovados, 26 deles na Uesc, instituição que aparece entre as 60 melhores do país no Ranking Universitário da Folha (RUF). No geral, são 10 estudantes aprovados a mais que na edição anterior, quando pouco mais 20 de conseguiram êxito. A escola teve estudantes aprovados em mais de 10 cursos de graduação.

O CPM de Itabuna, no bairro Jardim Primavera, mais uma vez, está celebrando o sucesso de uma metodologia de ensino. Cerca de 30 alunos foram aprovados em cursos de graduação, 27 deles na Uesc. A escola conseguiu aprovação em cursos como Engenharia (Civil, Elétrica e Química), Direito, Ciência da Computação, Agronomia, Geografia, Matemática, Biologia e Educação Física. Além disso, aprovou Levy Jardim no curso de Estatística da UFBA.

O CPM teve, ainda, quatro estudantes aprovados em Direito, que é um dos cursos mais concorridos em universidades públicas em todo País. Um aumento significativo em relação à edição anterior do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), quando um aluno conseguiu a pontuação para ingressar no curso.

Os estudantes, pais e professores do Modelo, no bairro Lomanto Júnior, também estão em festa. De 120 alunos que fizeram o Enem no ano passado, ao menos, 32 conseguiram aprovação e outros 30 estão na lista de espera. Muitos não ficaram com a vaga na primeira chamada por causa de uma colocação, mas estarão nas próximas listas de aprovados.

No Ciomf, no bairro Santo Antônio, são, por enquanto, 21 aprovados em cursos como Direito, Economia, Matemática, Química e Enfermagem. A expectativa da vice-diretora Isis Conrado Haun é que, pelos menos, outros 14 estudantes estejam nas próximas chamadas para ingresso em universidades públicas na Bahia. No ano passado, foram 32 aprovados.

O Complexo Integrado de Educação, no bairro São Caetano, foi outra escola que conseguiu um alto índice de aprovação de estudantes no ensino público superior. A unidade tinha 41 alunos cursando o último ano do ensino médio e, desse total, 35 fizeram as provas do Enem ano passado, sendo que 23 foram aprovados na Uesc, UFSB, Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e Universidade Federal de Sergipe (UFS). Atualizado às 21h57min.

MESB QUER ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES SUL-BAIANAS NA POLÍTICA

Hannah Maruci será a conferencista do seminário em março, na Uesc
Tempo de leitura: < 1 minuto

Cerca de 700 participantes devem ser reunir no I Seminário da Mulher, no dia 26 de março, das 8h às 18h, na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus. O evento é promovido pelo Movimento Empresarial Sul da Bahia (Mesb) e busca estimular o público feminino a ocupar posições de destaque nos mais diversos segmentos sociais, inclusive participação efetiva na política. Os participantes recebem um certificado com carga horária de 8 horas.

Nessa primeira edição, o seminário tem como tema “Poder e Cidadania” e palestrante Hannah Maruci Aflalo, coordenadora de projetos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo.

Hannah Maruci é mestra e doutoranda em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisadora do Grupo de Estudo de Gênero e Politica (Gepô) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No evento, Hannah apresentará dados de pesquisas sobre a participação da mulher na política, que irá evidenciar a quantidade de mulheres eleitas no país e ações que possam ser implantadas para melhoria do ecossistema.

INSCRIÇÕES

As inscrições estão sendo feitas no site www.suldabahiaemacao.org.br. Mais informações pelo telefone (73) 99845-8183 ou pelo e-mail movimento@suldabahiaemacao.org.br.

GESTÕES INOVADORAS PARA CIDADES REAIS

Tempo de leitura: 2 minutos

 

Cabe a todos, inclusive ao eleitor, a valorização de um novo modo de administrar, rompendo com os vícios que nos aprisionam ao longo das décadas.

 

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

As necessidades apresentadas pelos munícipes derivam de longos ciclos de gestores que administram nossos territórios como se estivessem gerindo uma propriedade que herdaram e que, portanto, supostamente, deveria servir aos interesses pessoais. O passar do tempo demonstra que a administração pública vem sofrendo transformações e seguindo rumo a um melhor controle social, impondo a necessidade de se desenvolver gestões inovadoras.

Essas mudanças são impostas pelas legislações e atuação mais sistematizada dos órgãos de controle. É visível a melhoria da consciência crítica. Essa constatação é perceptível de forma crescente e tem como uma das variáveis mais importantes o amplo acesso às informações por parte de camadas cada vez maiores da população.

Esse novo tempo obriga aos gestores se esforçarem para reduzir os conflitos existentes na espacialidade urbana, afinal, parafraseando o geógrafo Milton Santos, a cidade é o espaço dos conflitos onde os fixos determinam os fluxos.

Assim sendo, cabe aos gestores adotarem ferramentas que reduzam a distância entre a cidade virtual e a cidade real. A cidade virtual é aquela que se apresenta nos mapas de arquivo e que, quase sempre, norteiam as decisões nos “quadrados do poder”, enquanto a cidade real se apresenta no ir e vir dos cidadãos, na ocupação do espaço urbano e na sua funcionalidade, influenciando diretamente na qualidade de vida de todos.

É ponto passivo a necessidade de enfrentamento dos problemas na cidade real, buscando superar as dificuldades que se apresentam. Esse esforço precisa ser exercido cotidianamente pelos que gerenciam as “engrenagens públicas”, por meio da otimização dos recursos existentes e captação de novos e da apresentação de ações que dotem as cidades de mecanismos de controle capazes de melhorar o seu modelo, por consequência, o nível de vida da sua população.

Temos em Itabuna e Ilhéus um conjunto de células de conhecimento que podem ajudar as cidades-pólo e, por conseguinte, o conjunto regional. Essas células precisam ser chamadas para dentro das administrações públicas, com o propósito de, a partir do tripé ensino, pesquisa e extensão, ajudarem o desenvolvimento regional: Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Estadual de Santa Cruz, faculdades privadas, Institutos de Educação, Sistema S (Sebrae, Sest Senat, Senac), CEPLAC, Instituto Biofábrica da Bahia e ONGs – com especial destaque para o “Sul da Bahia em Ação”.

Enfim, pelo elenco de instituições, podemos presumir os mecanismos que podem ser desenvolvidos para a construção dos “saberes” que podem ajudar as administrações municipais, possibilitando expertise para alterarmos qualitativamente as características, como diria o saudoso Eduardo Anunciação, do nosso “Planeta Cacau”. A sociedade regional exige essa mudança de olhar e direção na busca por melhor condição de vida. Cabe a todos, inclusive ao eleitor, a valorização de um novo modo de administrar, rompendo com os vícios que nos aprisionam ao longo das décadas.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc).

ADVOGADO SOFRE INFARTO E MORRE EM HOTEL NO CENTRO DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Flávio sofreu infarto fulminante em um hotel no centro de Itabuna

O advogado e empresário Flávio Cavalcanti Júnior sofreu um infarto, na tarde desta segunda-feira (10), no Hotel Royal (antigo Lord), no Centro de Itabuna. Não houve tempo para socorro à vítima.

Flávio é filho de Flávio Cavalcanti, dono do lendário Chão de Estrelas, além de ser sobrinho de Luiz Cavalcanti, ex-presidente da OAB de Itabuna, e do ex-deputado Murilo Cavalcanti.

O jornalista Ederivaldo Benedito lamentou a perda e lembrou que ambos foram colegadas nos bancos da Faculdade de Direito, na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

– Flavinho estava bem na carreira jurídica, entre Vitória da Conquista, Salvador e Itabuna. Sempre que vinha à cidade, ele ligava pra mim, quando não almoçávamos, colocava a conversa em dia por telefone – disse “Bené” por meio de um aplicativo de mensagem.

APÓS FALHA, LISTA DE ESPERA DO SISU DEVE SAIR NESTA SEGUNDA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uesc está entre as instituições que aderiram ao Sisu || Foto Divulgação

O Ministério da Educação deve publicar ainda nesta segunda-feira (10) alista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste primeiro semestre de 2020. A lista é válida para instituições de ensino públicas técnicas e de nível superior que aderiram ao Sisu.

Candidatos alegaram erros na lista de espera do Sisu desde o final de janeiro. Por último, na sexta (7), universidades adiaram divulgação de aprovados na lista de espera devido a falhas no sistema do MEC.

No sul da Bahia, a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) está entre as instituições de ensino que adotam o Sisu como método de seleção para os mais de 30 cursos de graduação.

“A UNIVERSIDADE DEVE TRANSFORMAR A VIDA DAS PESSOAS”, AFIRMA NOVO REITOR DA UESC

Tempo de leitura: 2 minutos

Alessandro Fernandes assume a reitoria da Uesc || Foto Júlia Barreto

Novo reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), o professor Alessandro Fernandes Santana defendeu que a instituição, juntamente com institutos federais e a Ufsb, transforme o sul da Bahia numa região de pessoas que possam escolher o seu destino, tendo a educação como pilar básico. “Uma Universidade não deve fazer apenas ensino pesquisa e extensão. A universidade deve transformar a vida das pessoas”, disse Alessandro, que tomou posse na noite desta terça (4).

Falando para um auditório repleto de servidores, professores, estudantes, além de vereadores e prefeitos e de secretários estaduais, Fernandes enfatizou compromisso assumindo na fase de campanha.

– O meu compromisso e o de Mauricio para com esta instituição é buscarmos elevar para o nível de excelência os 33 cursos de graduação, buscar cada vez mais condições para que os nossos pesquisadores e pesquisadoras desenvolvam aqui suas pesquisas com qualidade.

A solenidade reuniu quatro secretários estaduais, dentre eles a titular da Pasta da Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, reitora da universidade estadual sul-baiana no período de 2012 a 2019. “Entregamos a Uesc hoje mais madura, sólida e legitimada como instituição universitária profundamente entrelaçada com a sua região e o desenvolvimento dela”, disse, observando que a Uesc figura hoje entre as 60 melhores universidades do país.

O secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, representou o governador Rui Costa na solenidade. “Tenho certeza que a gestão dos professores Alessandro e Mauricio será voltada para o desenvolvimento regional, inovação científica e tecnológica, além das atividades finalísticas da instituição e também para os projetos que dizem respeito ao desenvolvimento do Estado da Bahia”.

“A UNIVERSIDADE DEVE TRANSFORMAR A VIDA DAS PESSOAS”, AFIRMA NOVO REITOR DA UESC

Alessandro assume a reitoria da Uec
Tempo de leitura: < 1 minuto

Novo reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), o professor Alessandro Fernandes Santana defendeu que a instituição, juntamente com institutos federais e a Ufsb, transforme o sul da Bahia numa região de pessoas que possam escolher o seu destino, tendo a educação como pilar básico. “Uma Universidade não deve fazer apenas ensino pesquisa e extensão. A universidade deve transformar a vida das pessoas”, disse Alessandro, que tomou posse na noite desta terça (4).

Falando para um auditório repleto de servidores, professores, estudantes, além de vereadores e prefeitos e de secretários estaduais, Fernandes enfatizou compromisso assumindo na fase de campanha.

– O meu compromisso e o de Mauricio para com esta instituição é buscarmos elevar para o nível de excelência os 33 cursos de graduação, buscar cada vez mais condições para que os nossos pesquisadores e pesquisadoras desenvolvam aqui suas pesquisas com qualidade.

A solenidade reuniu quatro secretários estaduais, dentre eles a titular da Pasta da Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, reitora da universidade estadual sul-baiana no período de 2012 a 2019. “Entregamos a Uesc hoje mais madura, sólida e legitimada como instituição universitária profundamente entrelaçada com a sua região e o desenvolvimento dela”, disse, observando que a Uesc figura hoje entre as 60 melhores universidades do país.

O secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, representou o governador Rui Costa na solenidade. “Tenho certeza que a gestão dos professores Alessandro e Mauricio será voltada para o desenvolvimento regional, inovação científica e tecnológica, além das atividades finalísticas da instituição e também para os projetos que dizem respeito ao desenvolvimento do Estado da Bahia”.

UESC: MATRÍCULA PARA CALOUROS COMEÇA NESTA QUINTA (31)

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uesc abriu mais de 1.700 vagas pelo Sisu 2020 || Foto Divulgação

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) informou, na manhã desta quarta-feira (29), a partir das 8h, no campus Soane Nazaré de Andrade, o cronograma com os prazos e procedimentos de matrícula dos aprovados para ingresso na instituição por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O ingresso nos cursos de graduação da Uesc se dá apenas por meio do sistema, o que obriga o estudante a fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano anterior.

O atraso no período de solicitação de matrícula e entrega de documentos para calouros ocorreu por causa dos problemas na divulgação das notas do Enem de 2019. O prazo de solicitação de matrícula vai até o dia 4 de fevereiro, nos colegiados dos cursos, das 08h às 12h e das 13h às 16h.

UESC OFERECE MAIS DE 1.700 VAGAS EM 33 CURSOS DE GRADUAÇÃO PELO SISU

Tempo de leitura: 2 minutos

Uesc oferece mais de 1.700 vagas pelo Sisu 2020.1 || Foto Divulgação

As inscrições para o 1º semestre de 2020 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foram abertas nesta terça-feira (21). Os estudantes podem se inscrever até as 23h59min do próximo domingo (26), já que o prazo foi prorrogado após erros nas correções de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) está disponibilizando, no Sisu 1.704 vagas nos 33 cursos de graduação em Bacharelado e em Licenciatura.

No momento da inscrição, é possível escolher até duas opções de curso, de acordo com a ordem de preferência. Alguns cursos, no entanto, têm certas restrições. O Sisu dá liberdade para as instituições de ensino definirem como usarão o Enem. Assim, determinado curso pode exigir, por exemplo, uma média mínima no Enem – que é a soma de todas as notas obtidas nas provas do exame, dividida por cinco – ou mesmo uma nota mínima em determinada prova. Isso faz com que, dependendo da nota obtida, estudantes não sejam classificados para determinados cursos.

É possível também conferir pesos diferenciados para as provas. A nota em Ciências da Natureza ou em Matemática pode valer mais para um curso de Física ou Química, por exemplo. Dessa forma, a nota do estudante pode variar dependendo do curso para o qual ele está concorrendo.

NOTA DE CORTE

Leia Mais

ESTUDANTE DA UESC PESQUISA A CURA PARA O MAL DE PARKINSON

Tempo de leitura: 3 minutos

Eliseu Junior, da Uesc, pesquisa cura para o Mal de Parkinson || Foto Júlia Barreto

O estudante Eliseu da Cruz Moreira Junior, no quarto ano, do curso de Medicina, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) durante o intercâmbio nos Estados Unidos, na University of Mississippi-Medical Center. Lá, desenvolveu uma hipótese sobre a gênese da Doença de Parkinson (Mal de Parkinson), Hyper-serotonergic state determines onset and progression of idiopathic Parkinson’s disease (Estado hiper-serotoninérgico determina início e progressão da doença de Parkinson idiopática), publicada na revista americana Medical Hypothesis, da Elsevier.

A hipótese escrita por Eliseu é única, por que foi primeira a correlacionar uma possível alteração na liberação de um neurotransmissor específico causando a morte axonal. Segundo o estudante, “apesar de décadas de pesquisa sobre a doença de Parkinson, a etiologia (estudo da causa) dessa doença permanece incerta. O artigo introduz uma nova hipótese, propondo um estado hiper-serotoninérgico como o principal mecanismo que leva ao comprometimento axonal, tanto nos neurônios dopaminérgicos quanto nos serotoninérgicos na doença de Parkinson.”

– A serotonina parece ser um candidato promissor para explicar vários dos sintomas precoces pouco compreendidos da doença de Parkinson, incluindo comprometimento do sono, ansiedade, alteração da motilidade gastrointestinal e alucinações – observa.

Eliseu Júnior e o professor e médico Marcelo Araújo || Foto Júlia Barreto

A hipótese desenvolvida por Eliseu enfatiza que um estado hiper-serotoninérgico causaria inicialmente interrupção do transporte axonal, um estado agudo no qual as alterações axonais são reversíveis e o processo neurodegenerativo pode ser interrompido. “À medida que o estado hiper-serotoninérgico persiste, o acúmulo de produtos neurotóxicos e um comprometimento sustentado no transporte axonal levariam à morte axonal e culminariam em um processo neurodegenerativo irreversível.”

Ele explica “que as implicações potenciais dessa hipótese são discutidas, bem como futuras pesquisas podem ser empregadas para elucidar ainda mais o papel da serotonina na progressão da doença de Parkinson.”

A sua orientadora, nos Estados Unidos, foi a doutora Laís Berro, que ajudou na escrita e submissão do artigo. Para Eliseu, talvez o que lhe espera à frente seja a parte mais difícil desse processo, pois precisa provar a sua hipótese ou refutá-la. “Tenho algumas certezas quanto a isso. E acredito que, se confirmada, mudaríamos totalmente a forma de ver as doenças neurodegenerativas e nos apontaria em direção à cura”.

HISTÓRIA

Eliseu da Cruz Moreira Junior é baiano de Itabuna. Antes de entrar na universidade, ele fez o ensino médio e fundamental usando os métodos do homeschool (Educação Domiciliar) e, por isso, permaneceu na escola apenas até a antiga segunda série. A sua trajetória até o ensino superior e durante o seu período na academia é bem marcado pelas skills (habilidades) que desenvolveu sendo autodidata e com pensamento crítico aguçado, reforçados pela escolha do método formativo pelos seus pais.

Leia Mais
Back To Top