skip to Main Content
13 de julho de 2020 | 03:57 pm

CIENTISTAS BAIANOS PROMOVEM NO 2 DE JULHO MARCHA CONTRA CORTE DE VERBAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Pesquisadores baianos organizam marcha para denunciar cortes na educação

Pesquisadores e professores baianos vão aproveitar o desfile do Dois de Julho para denunciar o grave momento vivido pela ciência no Brasil, carente de recursos para financiamento de pesquisas e outros projetos. A articulação está sendo feita pela Academia de Ciências da Bahia e a meta é reunir cerca de 500 cientistas, além de reitores e professores representantes de universidades.

De acordo com presidente da Academia de Ciências da Bahia, Jailson Andrade, a falta de apoio à ciência no Brasil chegou a uma situação dramática. Ele observa que a mobilização da sociedade se faz necessária como forma de chamar a atenção para o problema do corte de verbas nas instituições de ensino federais.

Apoiador da iniciativa, o reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, está especialmente empenhado em conseguir a adesão de diversas instituições acadêmicas. Ele relata que  praticamente todas as universidades baianas já foram contatadas e prometeram apoiar a manifestação enviando os seus representantes para a festa da Independência da Bahia.

Leia Mais

MORRE O PROFESSOR NILTON LAVIGNE, AOS 74 ANOS; REITORIA DA UESC LAMENTA PERDA

Tempo de leitura: 2 minutos

Professor Nilton Lavigne, da Uesc, faleceu aos 74 anos

O professor Nilton Lavigne, de 74 anos, faleceu nesta quinta-feira (27), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, vítima de complicações cardíacas. Nascido em Itajuípe, Nilton Lavigne era professor do Curso de Filosofia da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Nilton Lavigne formou-se em nível superior pela extinta Faculdade de Filosofia de Itabuna (Fafi), uma das instituições que mais tarde deram origem à Fespi, hoje Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Especializou-se em Filosofia pela Fusve (RJ).

Além de Filosofia, também foi professor de Artes no Colégio Gato de Botas (Nossa Senhora da Glória), lecionou no Imeam e coordenou o Projeto Teatro para Estudantes. Educador dos mais respeitados e antigos da universidade sul-baiana, ele dirigiu o Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH) e o colegiado do Curso de Filosofia da Uesc

Amigo e aluno de Nilton Lavigne, o jornalista Ederivaldo Benedito lembra do educador como uma das figuras mais bonitas que a geração dos anos 1960 a 1980 conheceu. “Nilton Lavigne foi uma figura doce, calma, inteligente, de bem com a vida. Era um bom papo, principalmente sobre literatura e Teatro. Foi meu professor no curso de Filosofia da Uesc e um grande parceiro da noite itabunense”, disse Benedito.

VELÓRIO

O corpo de Nilton está sendo velado no SAF, na Rua Juca Leão, em Itabuna, em frente ao Grapiúna Tênis Clube (GTC). O enterro será às 14h desta sexta (28), no Cemitério Campo Santo, em Itabuna. A Reitoria da Uesc lamentou a perda

UESC APARECE ENTRE AS 150 MELHORES UNIVERSIDADES EM RANKING INTERNACIONAL

Tempo de leitura: 2 minutos

Uesc aparece em 101º em ranking do qual participaram mais de 450 universidades

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) figura na 101ª posição entre as instituição de ensino superior nos rankings universitários da Times Higher Education – Latin America 2019 (THE). Os Rankings Universitários da Times Higher Education World são as únicas tabelas de desempenho global que julgam as universidades pelas suas pesquisas em todas as principais missões – ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais. No ranking nacional, a Uesc aparece na 50ª colocação.

O Latin America University Rankings do THE usa os mesmos 13 indicadores de desempenho calibrados para fornecer as comparações mais abrangentes e equilibradas, confiáveis por estudantes, acadêmicos, líderes de universidades, indústria e até governos. As ponderações são especialmente direcionadas para refletir as características das universidades de economia emergente.

Em geral, as avaliações de universidades consideram que são boas as instituições que produzem pesquisa científica robusta, recebem alunos internacionais e têm muitas patentes e prêmios. Para a nova classificação lançada pela THE as instituições de excelência são aquelas que promovem igualdade de gênero e redução de pobreza.

O ranking inédito recebeu o nome de Ranking de Impacto das Universidades”. Foi lançado pelo THE, mesmo grupo britânico que faz avaliação anual de instituições de ensino do mundo com indicadores voltados sobretudo à pesquisa científica.

Foram pesquisadas 462 universidades de 76 países que preencheram os dados solicitados pelo THE. Deste total, somente 150 são incluídas no “Times Higher Education Latin America 2019”, segundo publicação da instituição.

Na Uesc, a sistematização dos dados para avaliação ficou a cargo da Assessoria de Relações Internacionais (Arint), e  coordenação dos professores Leandro Lopes Loguércio e Ronan Xavier Corrêa, apoiados pelos diretores de departamentos, assessorias e demais órgãos da instituição de ensino superior. O reitor Evandro Sena Freire comemorou a entrada da Universidade no THE – Latin America 2019 como mais um estímulo aos programas de internacionalização da Uesc.

– Esse reconhecimento certamente influenciará positivamente a escolha da instituição por estudantes de pós-graduação de diferentes países da América Latina que vêm fazer seus cursos de mestrado e doutorado na Uesc – disse Evandro, que assumiu a reitoria no final de abril, após Adélia Pinheiro deixar o comando da universidade para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia (Secti).

Os dados da UESC e demais universidades dos “Latin America University Rankings” podem ser acessados  no link https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2019/latin-america-university-ranking

AULAS DE GRADUAÇÃO DA UESC SERÃO RETOMADAS EM JULHO; DECISÃO É DO CONSEPE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Aulas dos cursos de graduação da Uesc serão retomadas apenas dia 3

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) aprovou, nesta quarta-feira (19), a recomposição do calendário acadêmico após mais de 60 dias de greve dos docentes das universidades estaduais da Bahia. A decisão tomada hoje é de que as aulas da graduação serão retomadas somente em 3 de julho.

“Diante da situação de excepcionalidade, aliada à conjuntura de afastamento de estudantes para os seus locais de residência acrescida a inexistência de transportes de prefeituras ou associações e, ainda a limitação econômica de parcela de estudantes que dificultam ou impedem seu comparecimento ao Campus da UESC, os Conselheiros fixaram e mantém atividades avaliativas no período de 17 de junho e 01 de julho e levando, também, em consideração a mobilização estudantil”, informou a instituição em nota.

A Resolução nº 37/2019 aprovada na 43ª. Reunião Extraordinária do Consepe altera a Resolução nº 49/2018. No artigo 1º da Resolução ficou definido que “eventuais avaliações realizadas na graduação nos dias 17, 18 e 19 de junho de 2019 serão objeto automático de realização de segunda chamada.” O novo calendário deverá ser divulgado na próxima semana, após as devidas alterações.

TERMO DE COMPROMISSO É ASSINADO PARA O FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES BAIANAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Reunião desta noite de segunda resultou em assinatura de compromisso || Foto Suami Dias

Representantes do governo baiano, da Assembleia Legislativa (Alba) e do Fórum das Associações dos Docentes assinaram, hoje à noite, termo de compromisso para encerrar a greve dos professores das universidades estaduais, segundo o governo estadual. A gestão se compromete a enviar para a Assembleia Legislativa projeto de lei de reestruturação do quadro de vagas da carreira de professor e R$ 36 milhões para que as quatro universidades apliquem em investimentos. As propostas do governo serão votadas em assembleias nas universidades.

O acordo foi assinado pelos secretários Cibele Carvalho (Relações Institucionais) e Jerônimo Rodrigues (Educação), o líder do Governo, Rosemberg Pinto, e representantes da Comissão de Educação da Alba, Fabíola Mansur e Hilton Coelho, além dos representantes do Fórum das Associações Docentes, conforme o governo.

Outro ponto acordado, segundo o governo, foi o pagamento dos salários mediante reposição das aulas, “devendo o plano de reposição ser submetido a Reitoria da Instituição de Ensino e à Secretaria da Administração do Estado (SAEB)”.

Segundo o governo, a proposta é que a greve seja encerrada, pelo menos, até dia 14 para que o Estado pague, integralmente, o salário de junho. Mediante execução do plano de reposição das aulas, será pago o mês de maio junto com o mês de julho, e, em sequência, os dias de greve do mês de abril serão pagos no mês de agosto mediante execução do plano de reposição de aulas. O termo de compromisso será analisado durante assembleias nas quatro universidades estaduais – Uesc, Uesb, Uefs e Uneb.

Representantes do governo, da Alba e dos docentes assinam termo de compromisso || Foto Suami Dias

Além disso, até 72 horas após o encerramento da greve, será instalada uma nova mesa para negociação de outros pontos colocados pelas Associações Docentes (ADs) envolvendo as outras secretarias de Estado, a exemplo da Fazenda (Sefaz) e Administração (Saeb).

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destaca os avanços da negociação. “A intermediação da ALBA foi muito importante desde o início, com a presença do líder do governo e da Comissão de Educação nesta mediação para o acordo assinado aqui. E longe da gente querer extrapolar o nosso papel, nós sabemos que as ADs irão para as assembleias e, com toda a autonomia, irão pautar e negociar isso com seus pares”.

Jerônimo disse avaliar o momento desta noite de segunda “como muito positivo”. Segundo ele, a discussão “serviu para ponderar aquilo que a gente acha importante, mas não abrimos mão de reconhecer a importância das universidades para o desenvolvimento da Bahia. Em momento algum, o governador ou qualquer órgão de governo duvidou disso. E estamos confiantes com os pontos pactuados”.

SEMINÁRIO DISCUTE O FUTURO DO TRABALHO E OS DESAFIOS DO PROFISSIONAL DE RH

Tempo de leitura: < 1 minuto

Caroline Magno, Shirlene Magalhães e Wladimir Martins participam do seminário

O presidente da seção Bahia da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Wladimir Martins, será o conferencista do seminário que debaterá o futuro do trabalho e os desafios do profissional de RH. O evento ocorrerá neste sábado (8), a partir das 9h, no auditório do curso de Direito da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), na Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415).

Além da palestra de Wladimir, o seminário terá painel com a gerente de RH da Nestlé em Itabuna e Feira de Santana, Caroline Magno, e a gerente de RH da Barry Callebaut (Negócio Cacau), Shirlene Magalhães. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas pelo site https://www.abrhba.org.br/nucleosul ou pelo telefone (71) 3341-0877.

De acordo com Tamires Prado, da delegacia regional da ABRH-BA, o evento é uma comemoração ao Dia do Profissional de RH. “A palestra e o painel possibilitam a ampliação da consciência e a mudança de mindset, entendendo que para moldarmos o futuro com sucesso, nesse ambiente de grande complexidade e incertezas, é preciso que exista uma verdadeira parceria entre a alta direção e a área de Recursos Humanos”, afirma.

GOVERNO LIBERA R$ 7,5 MILHÕES PARA PRÉ-VESTIBULAR NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Tempo de leitura: 2 minutos

Pré-vestibular terá R$ 7,5 milhões neste ano

A Secretaria da Educação da Bahia (SEC) está liberando R$ 7,5 milhões para a implementação do Programa Universidade para Todos (UPT) na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

O pré-vestibular ofertado pela SEC, em parceria com as universidades estaduais, tem o objetiva de fortalecer a política de acesso à Educação Superior e está beneficiando, neste ano letivo, 11.505 estudantes. Para os cursistas da Uneb e Uesb, que obtiverem frequência superior a 75% nas aulas, está garantida a isenção da taxa de inscrição no vestibular.

Com a assinatura dos contratos, a Uneb receberá R$ 4.812.500,00; a Uesb, R$ 1.032.500,00; a Uefs R$, 743.750,00 e a Uesc, R$ 411.250,00. Além das aulas, os alunos têm acesso aos projetos complementares, como seminários, oficinas, simulados, revisão para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e orientação vocacional.

Leia Mais

GOVERNO ENVIA À ALBA PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO DE CARREIRA NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Tempo de leitura: 2 minutos

Projeto de Lei assegura progressão para técnicos e analistas universitários

Já tramita na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) o Projeto de Lei Nº 23.332/2019, do Executivo, publicado neste último final de semana, que altera a estrutura remuneratória da carreira de Técnico Universitário e o quantitativo de cargos, por grau e instituição, das carreiras de Técnico e Analista das Universidades Estaduais. A proposição é fruto do acordo firmado, na última semana, entre o Governo e o Fórum dos Sindicatos dos Servidores Técnico Administrativos das Universidades Estaduais, com apoio do Legislativo no processo de negociação.

O acordo assinado entre as partes prevê a reestruturação da tabela de vencimentos dos técnicos administrativos das quatro universidades estaduais. Aceito pelos servidores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), o acordo também estabelece o ajuste do quadro de vagas para permitir a promoção na carreira de 244 servidores destas duas instituições, sendo 184 da Uneb e 60 da Uesc, entre técnicos administrativos e analistas.

Por decisão do governador Rui Costa, aponta Rosemberg, também terão direito ao ganho salarial os servidores das universidades estaduais de Feira de Santana (Uefs) e do Sudoeste da Bahia (Uesb), cujos representantes ainda não assinaram o acordo. Já as promoções e progressões de carreira ainda não estão asseguradas até que um acordo entre as duas universidades e o Estado seja efetivado.

O deputado estadual e interlocutor do Governo na Alba, deputado Rosemberg Pinto (PT), ressalta a importância do PL não só para o destravamento das promoções e das progressões da categoria, mas para a melhoria da qualidade de ensino no estado. Antes de ir à votação em Plenário, a proposição deve ser debatida nas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ); de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviço Público; e na de Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle.

GREVE NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS FOI PARTIDARIZADA, AFIRMA RUI COSTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rui diz que greve nas universidades estaduais baianas foi partidarizada || Foto Tácio Moreira

O governador Rui Costa classificou a greve das universidades estaduais baianas como “partidarizada”. Ex-sindicalista, Costa disse que “nunca viu” uma greve começar antes mesmo da primeira rodada de negociação.

“A greve começou antes da primeira reunião. Fui sindicalista 15 anos. Nunca vi isso na minha vida. A condução não é para chegar a solução. A solução que querem encontrar é se firmar no movimento, está claro”, acusou, durante entrevista à Rádio Metrópole hoje (20).

Rui disse ainda que não liga para as ofensas que vem sofrendo na internet. “Isso não vai me fazer perder o equilíbrio”. “Quando veja que na Uefs [Universidade Estadual de Feira de Santana], se gasta o dobro de vigilância do que nas outras universidades. Só tem um campi. Gasta mais que Conquista, que tem três. Gastar o dobro com empresa de vigilâncias melhora educação? Isso pra mim é desperdício de dinheiro público”, classificou.

O petista sinalizou que deve nomear o reitor da Uefs. “O documento [que mandaram] não está de acordo com a lei. O MP respeita a lei, a Defensoria respeita, a Justiça respeita e o processo estava todo errado. Pedi que refizesse, em conformidade com a lei, com lista tríplice. Primeira vez na história que não se fez de acordo com a lei. Um governador não pode ser cúmplice de processo ilegal. Hoje devemos despachar [e nomear]”.

GOVERNO PODE DIALOGAR SE PROFESSORES VOLTAREM AO TRABALHO, AFIRMA ROSEMBERG APÓS REUNIÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Rosemberg fala em diálogo com professores em sala de aula || Foto Matheus Morais/Bahia.ba

Após encontro com representantes do movimento grevista de professores das universidades estaduais baianas, o líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Rosemberg Pinto (PT), afirmou que a gestão Rui Costa deve reabrir a mesa de negociações com a categoria caso o movimento paredista seja suspenso. O encontro foi realizado na sala da liderança na tarde desta terça-feira (7) e contou com a presença de políticos como o vereador Marcos Mendes (PSOL).

Professores e servidores das estaduais devem realizar uma nova assembleia após o encontro desta terça para deliberar sobre os rumos do movimento e elaborar uma nova contraproposta ao governo. Na leitura de Rosemberg, se os professores “derem uma trégua” e encerrarem a greve, o governo “dará outra”.

“Volta-se ao trabalho e o governo reabrirá uma mesa que irá debater a reposição de aulas, o pagamento dos salários e outros pontos a serem apresentados”, disse Rosemberg que tem atuado como mediador entre a categoria e a gestão.

Caso uma nova proposta chegue das assembleias docentes, Rosemberg deve informar a Secretaria de Relações Institucionais do Estado da Bahia (Serin). A pasta de relações institucionais, por sua vez, repassará as informações ao governador.

Como Rui Costa cumpre agenda internacional nas duas próximas semanas e o vice-governador João Leão deverá fazer o mesmo, a nova proposta dos professores deve chegar nas mãos do presidente da Assembleia Legislativa, Nelson Leal (PP), que assumirá o posto de governador em exercício.

“Vou me reportar a Serin que irá se reportar ao governador em exercício. Se esse governador vai tomar uma decisão solitária ou aguardar o retorno de Rui, é uma decisão entre governadores que não posso opinar”, disse Rosemberg. Ao suspender a negociação e cortar o salário de professores em greve, o governo sustenta a tese de que o movimento dos professores é político. Com informações do Bahia Notícias.

Back To Top