skip to Main Content
10 de maio de 2021 | 02:17 am

REITORA DA UFSB LAMENTA A PERDA DE R$ 7 BILHÕES NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

Reitora reclama de perda de R$ 7 bilhões nas universidades federais
Tempo de leitura: < 1 minuto

A reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Joana Angélica Guimarães, lamentou, nesta sexta-feira (7), o descaso do governo com as universidades federais brasileiras, que deveriam receber neste ano, em valores corrigidos, pelo menos R$ 11 bilhões. No entanto, o Orçamento da União prevê o envio de apenas R$ 4 bilhões.

Joana Guimarães observa que o valor é quase metade da quantia repassada em 2014, quando as universidades federais receberam R$ 7,5 bilhões. ” Então a situação é bastante crítica. Todas as universidades estão extremamente preocupadas como chegarão ao final do ano com esse orçamento (de R$ 4 bilhões). Temos feito ações buscando sensibilizar várias pessoas no Parlamento”, relata a professora, em vídeo publicado na página da UFSB.

A reitora afirma que hoje já há um déficit de R$ 1 bilhão em relação a 2020. “Ontem (quinta-feira (6), nós, reitores de todas as universidades federais, tivemos uma reunião com o secretário-executivo do Ministério da Educação (Victor Godoy Veiga) para tratarmos dessa questão financeira e qual saída teremos para que não comprometamos as nossas universidades nos seus funcionamentos”.

UFBS possui campi em Itabuna, no sul da Bahia, Porto Seguro e Teixeira de Freitas, no extremo-sul do estado. A reitoria fica em Itabuna, onde está sendo construído um campus. Já a sede da reitoria funcionará no centro da cidade, no prédio do antigo Fórum Ruy Barbosa, que está sendo reformado e deve ser inaugurado neste ano.

ESPECIALISTAS DEBATEM FUTURO DA MOBILIDADE URBANA EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta terça (4), audiência pública na Câmara de Vereadores discutirá a mobilidade urbana em Ilhéus. Proposta pelo vereador Augustão (PT), a audiência analisa as perspectivas de grandes investimentos no municípío nos próximos anos, principalmente com a chegada da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e terminal marítimo do Porto Sul e os seus impactos na mobilidade ilheense. A audiência começará às 16h e será transmitida pela TV Câmara nas redes sociais.

O evento terá a participação da professora Peolla Paula Stein, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Priscila Costa, da Ecolev Soluções Sustentáveis, dos professores Elvis Barbosa e Zina Cáceres Benavides, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e da professora Adriane Batata, da Faculdade Madre Thais.

MAIS DE 70% DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS FEDERAIS TÊM ÍNDICE DE QUALIDADE 4 E 5

UFSB obteve nota máxima no IGC
Tempo de leitura: 3 minutos

Das 106 instituições de educação superior públicas federais com o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019, 71% atingiram os conceitos 4 e 5 do indicador. Ao todo, os resultados foram calculados para 2.070 instituições (públicas e privadas), considerando os 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019.

Os resultados do IGC 2019 foram divulgados pelo Ministério da Educação  e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), na última sexta-feira (23). Do total de instituições que participaram desta edição, 87,1% (1.801) são privadas e 12,9% (269), públicas. A Universidade Federal do Sul da Bahia está entre as instituições de destaque.

A maioria (73,1%) é composta por faculdades, seguida dos centros universitários (15,6%) e das universidades (9,4%). Além de institutos federais e centros federais de educação tecnológica, que, juntos, representam 1,9% das instituições de ensino com o índice atribuído nesta edição. A concentração na faixa 3 abarcou mais da metade das instituições avaliadas (63,77%).

Quanto às 1.507 faculdades com IGC, 83,4% delas ficaram nas faixas igual ou acima de 3. Já quando se trata dos 326 centros universitários, o percentual correspondente às três faixas de maior desempenho é de 98,5% (321). No caso das 197 universidades, 99% (195) alcançaram desempenho nas faixas de 3 a 5. Dos 40 institutos federais e centros federais de educação tecnológica, 65% (26) ficaram na terceira e 35% (14) na quarta faixa do IGC.

POR ESTADOS

Proporcionalmente, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte apresentaram os melhores resultados no IGC 2019, obtendo, respectivamente, 9,2%, 6,7% e 4,2% de suas instituições de educação superior com faixa 5 no indicador. Do total de 2.070 instituições avaliadas, apenas 2,2% alcançaram essa faixa.

Na segunda maior faixa do indicador, Rio Grande do Sul (39,4%), Ceará (33,3%) e Distrito Federal (30,6%) foram os que obtiveram, proporcionalmente, o maior número de instituições com IGC 4. Considerando o total das instituições de educação superior avaliadas, 21,64% se enquadraram nessa faixa.

POR REGIÕES

Em valores absolutos, o Sudeste apresentou o maior número de instituições com faixa 5. A região também é a que possui mais instituições com o IGC calculado, destacando-se Minas Gerais (265) e São Paulo (509). Este último lidera o conjunto de instituições mais bem avaliadas: são 16 na faixa 5 e 84 na faixa 4.

No Nordeste, Bahia e Ceará são os estados com a maior quantidade de instituições nas faixas 4 e 5 do indicador, sendo 27 e 19 instituições, respectivamente, participando desse processo avaliativo.

Leia Mais

UFSB OBTÉM NOTA MÁXIMA NO IGC E UESC ATINGE CONCEITO 4

UFSB obtém conceito máximo e Uesc atinge 4 no IGC
Tempo de leitura: < 1 minuto

As duas universidades públicas sul-baianas obtiveram bom desempenho no Índice Geral de Cursos (IGC) relativo ao período 2017 a 2019. O IGC é divulgado anualmente pelo Ministério da Educação, por meio do Instituto de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), fundada em 2014, obteve conceito máximo (5), enquanto a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) atingiu 4 numa escala que vai de 0 a 5.

A avaliação considera a média do Conceito Preliminar de Curso (CPC) a cada triênio, a distribuição de alunos entre graduação e pós-graduação e as notas dos programas de pós-graduação de cada instituição. A nota de um curso no CPC representa o valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos.

Além da UFSB, que tem reitoria em Itabuna, apenas outras 45 instituições obtiveram esse conceito máximo, com doze universidades federais nessa lista. Além de Itabuna, a instituição possui campi em Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

Para a reitora, professora Joana Angélica Guimarães da Luz, o resultado mostra o valor do trabalho desenvolvido pelas equipes em cada campus e na reitoria. Segundo a gestora, a nota máxima do IGC representa a consolidação dos cursos, incluindo os de segundo ciclo que começaram a funcionar em 2018, além da tranquilidade institucional perante a legislação.

– Isso mostra para nós, da gestão, que estamos no caminho certo, na proposição e organização administrativa e acadêmica que estamos realizando. Quando você tem fluxos mais claros, isso dá mais tranquilidade para que a comunidade obtenha resultados como este – pondera a reitora.

MULHERES OCUPAM 60% DAS VAGAS DO 2º CICLO DE GRADUAÇÃO NA UFSB

UFSB tem predominância de mulheres nas entradas de 2º ciclo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) publicou, nesta segunda (8), os resultados de estudo sobre a ocupação de vagas por mulheres nos cursos de segundo ciclo da instituição. Os números se referem ao período de 2019 e 2020.

A cada dez novas matrículas no segundo ciclo, seis são de mulheres, com destaque para a área das Engenharias. A média nacional aponta uma ocupação de pouco mais de 37% das vagas por mulheres, enquanto na UFSB, a média está em torno de 50% nas últimas entradas. A UFSB tem no comando uma mulher, a reitora Joana Guimarães.

Segundo Sandro Ferreira, Pró-Reitor de Ações Afirmativas (Proaf), apesar dos dados nacionais, que apontam um crescimento proporcional de mulheres mesmo nas Ciências Exatas, a reprodução de estereótipos de gênero em algumas áreas de conhecimento ainda persiste. Segundo ele, essa reprodução impacta, inclusive, na capacidade destas áreas em produzir conhecimentos científicos que reconheçam direitos e saberes próprios das mulheres.

“A avaliação destes estudos, e de suas expressões no cotidiano acadêmico da UFSB, passa a ser uma tarefa central para que os objetivos de inclusão e promoção da diversidade definidos em nossos documentos e resoluções sejam alcançados”. Para conferir a íntegra do estudo, clique aqui.

ESTUDANTE DA UFSB É APROVADO EM PRIMEIRO LUGAR NO MESTRADO EM HISTÓRIA DA FIOCRUZ

Saulo Carneiro, ao lado da orientadora, professora Francismary Alves da Silva,
Tempo de leitura: 3 minutos

Estudante da Universidade Federal do sul da Bahia (UFSB) é aprovado em primeiro lugar na seleção para o Mestrado em História das Ciências e da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocrz do Rio de Janeiro. O estudante Saulo Carneiro Pereira dos Santos é licenciando em História do Centro de Formação em Ciências Humanas e Sociais do Campus Sosígenes Costa (CFCHS-CSC), em Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia.

Saulo Carneiro Pereira também é egresso do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades do Centro de Formação em Políticas Públicas e Tecnologias Sociais do Campus Jorge Amado (CFPPTS-CJA), em Itabuna.

O projeto de pesquisa apresentado ao PPPG da Fiocruz é um desdobramento direto da monografia (trabalho de conclusão de curso) que o estudante desenvolveu no Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades do CJA (BIH-CJA), sob orientação da professora Francismary Alves da Silva.

A pesquisa defendida no BIH-CJA em setembro de 2020 é um estudo histórico interdisciplinar sobre a cannabis sp e seus usos no Brasil, com um enfoque para os processos de descriminalização e regulamentação. Por meio de alguns dos problemas sociais gerados pela proibição e pelo proibicionismo, o estudo histórico elaborou uma breve cronologia desde as primeiras proibições até a regulamentação do uso da maconha medicinal no Brasil.

Essa análise serviu de subsídio para refletir sobre a influência do discurso médico-científico nas proibições, no proibicionismo e suas interrelações com o discurso jurídico e com o lobby da indústria farmacêutica na recente regulamentação do uso medicinal da cannabis sp pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

ESTUDOS INTERDISCIPLINARES

Envoltos nessa temática, são diversos os atravessamentos que a análise histórica oferece para refletir sobre as interrelações da cannabis com o Estado, a eugenia, o racismo, o controle étnico legitimado por meio das leis, o encarceramento em massa e a guerra às drogas.

Leia Mais

SISU 2021: UFSB OFERECE 1.400 VAGAS EM 44 CURSOS DE GRADUAÇÃO EM TRÊS CAMPI

Ufsb oferece mais de 1400 vagas em cursos de graduação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) publicou edital de ingresso em cursos de graduação para a primeira edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu 2021). São 1.438 vagas ofertadas em 44 cursos nos três campi em Itabuna (512), Porto Seguro (660) e Teixeira de Freitas (266).

Do total de vagas, 275 são destinadas à modalidade de ampla concorrência,44 para as ações afirmativas da UFSB (candidatos indígenas aldeados; origem cigana; comunidades remanescentes de quilombos ou comunidades identitárias tradicionais; transexuais, travestis e transgêneros) e 1.119 para as modalidades de políticas afirmativas constantes da Lei de Cotas.

As inscrições para o Sisu deverão ser feitas pela internet, no site sisu.mec.gov.br, de 6 a 9 de abril. A inscrição é condicionada à participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 e a ter nota acima de 1,0 ponto na prova de redação, conforme disposto na Portaria MEC n. 391/2002.

Dos 44 cursos ofertados pela UFSB, nove são graduações de Segundo Ciclo aprovadas em 2020 e que participam pela primeira vez da oferta de vagas no Sisu. As vagas são para os campi Jorge Amado, em Itabuna; Paulo Freire, em Teixeira de Freitas; e Sosígenes Costa, em Porto Seguro.

Entre os novos cursos estão os de Jornalismo, Gestão Pública e Social, Produção Cultural, Mídia e Tecnologia e Políticas Públicas, Engenharia Civil, Engenharia Sanitária e Ambiental. Acesse todos cursos aqui.

UFSB INSTAURA PROCESSO PARA APURAR DENÚNCIAS DE FRAUDE EM COTAS

UFSB abre vagas para ingresso em cursos de graduação
Tempo de leitura: 2 minutos

Depois de analisar a admissibilidade de dezenas de denúncias de fraude às cotas registradas na Ouvidoria da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB),  o Comitê de Acompanhamento da Política de Cotas (CAPC)  da instituição recomendou a apuração da maioria das reclamações. O processo de investigação das denúncias será iniciado ainda neste mês, com a retomada do calendário acadêmico.

De acordo com o presidente do CAPC, professor Gabriel Nascimento, admitir as denúncias que chegam via Ouvidoria ou órgãos oficiais é uma prática comum. A inovação do trabalho do comitê foi abarcar no processo, prioritariamente, as denúncias mais antigas. “Examinamos dezenas de denúncias de uma só vez e decidimos instaurar processo de apuração sobre todas elas”, explica o professor Gabriel.

OITIVAS

A UFSB informou que toda a documentação será analisada e os investigados serão convocados para participar de oitivas previamente agendadas. Depois, será emitido um parecer sobre cada denúncia. Após a deliberação do CAPC, o investigado pode apresentar recurso sobre o parecer, que será examinado por uma comissão recursal. Esse parecer é submetido novamente ao CAPC.

“Em todos os processos os denunciados têm direito a vários períodos de recurso, o que na prática nos dá mais certeza de que as decisões administrativas são de correição e de profundo zelo à coisa pública”, ressalta o presidente do CAPC.

Com a investigação finalizada, caso o denunciado seja identificado pelo CAPC como incompatível com a vaga que ocupa, poderá ter o ato de admissão no curso anulado, o que significa o cancelamento de matrícula ou mesmo do diploma.

“É um marco histórico que o CAPC tenha dado o primeiro passo para zerar o conjunto de denúncias ou até a má fama ligada à fraude às cotas em nossa universidade. Uma universidade que tem uma política tão ampla de cotas não pode coincidir com um número alto de fraudes”, completa o professor Gabriel.

Para o pró-reitor de ações afirmativas, professor Sandro Ferreira, a investigação de todas as denúncias registradas na universidade mostra-se também como um importante mecanismo de fortalecimento da política de cotas dentro da instituição.

“Há bastante tempo trabalhamos na constituição deste espaço formal de acompanhamento da política de cotas, o CAPC. Enfrentar as fraudes com o devido cuidado mas sem recuos desde sempre foi o anseio da administração central, e esse movimento do CAPC materializa esse objetivo”, afirma o pró-reitor Sandro.

Leia Mais

UFSB TEM MAIS UM CURSO DE MESTRADO APROVADO PELO MEC

Campus de Teixeira de Freitas tem mais um curso aprovado pela Capes
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) teve mais um mestrado aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação. O novo programa de pós-graduação (PPG) para o campus Paulo Freire terá a área de concentração em Saúde, Ambiente e Biodiversidade, com expectativa de oferta de 15 vagas.

A previsão é que o edital de seleção de alunos seja publicado entre março e abril. Graduados em cursos nas áreas de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde, além de áreas afins, poderão se inscrever para cursar o novo mestrado, conforme o professor Sebastião Rodrigo Ferreira, do Campus Paulo Freire, em Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia.

De acordo com o professor Rodrigo, os estudos terão infraestrutura adequada e orientação de alto nível. “Nosso corpo de orientadores é composto por profissionais com diferentes formação dentro dessas áreas e com experiência no desenvolvimento de pesquisas de importância e com qualidade”.

UFSB ABRE INSCRIÇÕES PARA MESTRADO EM ENSINO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

UFSB abre vagas para ingresso em cursos de graduação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) abriu inscrições para seleção no Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais. São 36 vagas numerárias e seis vagas supranumerárias, divididas igualmente entre os campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas, exclusivamente pela internet, até o dia 17 deste mês. No edital, é possível visualizar as linhas de pesquisa, bem como o docente responsável por cada uma delas e seu campus de atuação. Acesse aqui para se inscrever.

O processo seletivo para ingresso no Programa constará de duas etapas, sendo que a primeira etapa, de caráter classificatório e eliminatório, com avaliação da Carta de Intenção de Pesquisa.

A segunda etapa, de caráter eliminatório e classificatório, com entrevista, que inclui defesa da Carta de Intenção de Pesquisa-Intervenção entregue pelo candidato. O resultado final do processo seletivo e as matrículas terão início dia 12 de fevereiro.

COMEÇAM NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA AS INSCRIÇÕES PARA INGRESSO NA UFSB

UFSB obteve nota máxima no IGC
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) inicia, na próxima segunda-feira (14), a segunda chamada  para o processo seletivo para ingresso em cursos de 2º ciclo. O processo seletivo é voltado para estudantes que tenham integralizado um Bacharelado Interdisciplinar (BI) ou Licenciatura Interdisciplinar (LI) na instituição e que queiram dar continuidade aos estudos em cursos de 2º ciclo.

Para essa segunda chamada, são ofertadas 543 vagas. Cada curso possui uma formação exigida, sempre especificada no edital. É importante lembrar que, ao finalizar o 1º ciclo, o estudante recebe o diploma de conclusão de ensino superior, sendo o 2º ciclo sua segunda graduação.

Na primeira chamada, foram 760 vagas, em 25 cursos, distribuídos nos campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas. Entre os cursos estão os novos de Biomedicina, Engenharia Civil, Engenharia de Aquicultura e Recursos Hídricos, Engenharia Sanitária e Ambiental, Gestão Ambiental, Gestão Pública e Social, Jornalismo, Mídia e Tecnologia, Mídias Digitais, Políticas Públicas e Produção Cultural.

O estudante ingressa através do Enem-SiSU ou Enem-Colégios Universitários em cursos de 1º ciclo (BI ou LI). Após integralizar um dos cursos, ele pode participar de um edital interno que possibilita o ingresso em cursos de 2º ciclo. Acesse o edital aqui.

JUSTIÇA DECIDE E UNIÃO TEM ATÉ 60 DIAS PARA AUTORIZAR CURSO DE DIREITO DA UFSB

Campus Sosígenes Costa, da UFSB, em Porto Seguro
Tempo de leitura: 2 minutos

A Justiça Federal determinou que a União conclua, no prazo de 60 dias, o procedimento de autorização do curso de Direito ofertado pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) no campus de Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia. A informação foi divulgada pela Defensoria Pública da União (DPU).

Segundo informações da DPU, a decisão foi proferida, na quarta (9), pelo juiz federal Pablo Baldivieso, da Subseção Judiciária Federal de Eunápolis. Entretanto, o órgão só obteve conhecimento da decisão nesta quinta-feira (10).

Na decisão, de acordo com a DPU, o juiz também determinou que a União dê autorização provisória para que os estudantes possam realizar atividades que exijam existência formal do curso, como contratos de estágio e participação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O juiz Pablo Baldivieso acolheu ainda o pedido da DPU para que, a partir da autorização provisória, a UFSB possa protocolar pedido de reconhecimento do curso.

Ainda de acordo com a DPU, os pedidos de prazo para a conclusão desse reconhecimento e a expedição de diplomas aos concluintes, também presentes na ação assinada pelo defensor regional de Direitos Humanos (DRDH) da DPU na Bahia, Vladimir Correia, e pelo DRDH substituto Gabriel César, foram indeferidos.

A Defensoria Pública da União informou que os estudantes que ingressaram no curso de direito procuraram a DPU ao longo do ano, porque vêm enfrentando prejuízos em razão das pendências, uma vez o curso não existe no Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Ensino Superior.

Na decisão judicial, Baldivieso destacou que seria desproporcional e sem razoabilidade que alunos matriculados fossem prejudicados, uma vez que estavam de boa fé, confiando na legitimidade dos atos da instituição de ensino.

O magistrado defendeu que o pedido de autorização deve ser deferido, pois, segundo ele, a instituição de ensino demonstrou, nos autos, que detém os requisitos necessários do procedimento autorizativo. Além disso, registrou que “entre os ganhos e perdas para a administração a melhor decisão aponta para inclusão de pessoas na educação e não o afastamento das mesmas”.

ENTENDA O CASO

Em novembro de 2017, a universidade lançou edital de processo seletivo para o curso de direito, sem autorização do Ministério da Educação. Conforme a DPU, a grade curricular da UFSB adota o regime de ciclos de formação, por meio do qual o estudante tem, primeiramente, acesso à universidade para uma formação geral e só depois avança para habilitações profissionais ou carreiras acadêmicas específicas.

Ao concluir um curso de primeiro ciclo, que lhe confere um diploma de bacharelado ou licenciatura na área cursada, o estudante pode optar, de acordo com o seu percurso e o cumprimento das exigências para ingresso, por realizar um curso de segundo ciclo, cuja seleção é regida por um edital de migração.

Diante da conclusão das primeiras turmas de Bacharelado e Licenciatura, a UFSB lançou um edital em novembro de 2017, abrindo o processo seletivo para cursos de 2º Ciclo, anunciando vagas para alguns cursos, incluindo o de Direito. Apesar de não cumprir o requisito formal de constituição do curso, as atividades foram iniciadas no mês de fevereiro de 2018. Apenas em abril daquele ano, a UFSB formulou o pedido de autorização. As informações são do G1-BA.

AOS 36 ANOS, A AMURC PERMANECE FORTE, INOVADORA E DESEJADA

Tempo de leitura: 3 minutos

A associação é o espelho dos seus membros. A sua força está diretamente ligada ao desejo e a vontade dos seus atores em torná-la Municipalista, Democrática, Inovadora, Forte e Desejada.

Luciano Veiga 

Aos 36 anos de existência, a Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc) permanece forte, inovadora e desejada. Manter uma instituição viva, antenada com o seu entorno, tendo como bússola a sua missão, fortalecer o municipalismo, tornando-o forte, democrático e inovador, contribuindo, assim, para a eficiência, eficácia, efetividade e excelência da gestão pública municipal, com a visão de se tornar uma associação desejada, capaz de atender e antecipar demandas, e promover a integração associativista dos municípios, com base nos seus valores – pessoas; sustentabilidade; ética; respeito; comprometimento; transparência e inovação.

Nos últimos anos a Amurc, vem construindo uma rede de parcerias importantes, com destaque ao desenvolvimento do Programa de Apoio Institucional às Prefeituras – Agir Mais, com gestão compartilhada com a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), que conta com 11 fóruns de Secretários/as municipais, coordenadores e representantes da sociedade civil. O referido programa já capacitou centenas de profissionais, desenvolveu projetos, parcerias e captou recursos para atendimento às diversas demandas e desafios da gestão pública.

Em parceria com instituições de ensino superior privado, vem proporcionando descontos na mensalidade, com mais de 6 mil estudantes beneficiados dos municípios associados.

Durante a pandemia, vem realizando ações conjuntas com os gestores municipais, em sintonia com as Secretarias de Saúde dos Municípios, Estado e Ministério da Saúde, bem como envolvendo instituições em permanente debate na busca de melhores práticas de enfrentamento ao Covid-19. Recentemente assinou Termo de Cooperação Técnica com a Uesc, ampliando em dez mil a testagem PCR, buscando ampliar o monitoramento do contágio nos municípios.

A construção e consolidação do associativismo são contínuas. Os municípios como ente federado do mosaico federativo brasileiro não pode está numa condição de ilha/isolamento, mas deverá buscar sempre compor com os seus pares, através do associativismo como braço político de debate e do consórcio como braço de execução das políticas públicas.

O maior desafio, que sejas de uma associação ou consórcio, é o de se tornar uma instituição desejada. As instituições têm como principal base da sua força ou fragilidade o mesmo elemento, que são os seus associados ou consorciados. Estes quando fortes, imbuídos do espírito coletivo, formarão instituições fortes, mas quando forem individualistas, as instituições se fragilizam. A nossa região vem reiteradamente elegendo gestores melhores e com o pensamento de ser e agir coletivamente, tornando as suas instituições cada vez mais fortes, inovadoras e desejadas.

As lutas regionais como a Região Metropolitana do Sul da Bahia, a ampliação e estruturação da Rede de Saúde, com incorporação dos equipamentos e planejamento estratégico regional, incorporando a saúde como ponto relevante na formação da RM Sul da Bahia, a reestruturação dos potenciais econômicos, com a criação de novos polos industriais, serviços e logístico, o fortalecimento das economias do campo e do turismo, trabalhar o cavalete modal (porto, aeroporto, rodovias e ferrovia leste-oeste), ZPE (Zona de Processamento de Exportação), dentre tantas outras bandeiras, que gerarão o desenvolvimento sustentável dos nossos municípios, são temas trabalhados pela Amurc junto aos seus associados e a comunidade regional.

Fortalecer as parcerias com o Governo Federal e Estadual, as organizações municipalistas, Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e União dos Municípios da Bahia (UPB), as universidades públicas (UFSB-Uesc) e privadas com os Institutos de Ensino, agentes de fomento, fundações, sociedade civil, são as bases garantidora para atendimento aos desafios e demandas municipalista.

A Associação destaca-se como instrumento de integração política e administrativa, capaz de utilizar do escopo uno do município, a escala necessária para atendimento às suas demandas individuais e coletivas. Entretanto, não pode existir sem a participação do seu associado. A associação é o espelho dos seus membros. A sua força está diretamente ligada ao desejo e a vontade dos seus atores em torná-la Municipalista, Democrática, Inovadora, Forte e Desejada.

Luciano Veiga é diretor da Amurc, advogado, administrador e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc) e Gestão do Desenvolvimento Territorial ((Ufba).

ITABUNA: AUGUSTO DIZ QUE, SE ELEITO, AMPLIARÁ PARCERIAS ENTRE PREFEITURA E UFSB

Reitora Joana Angélica e o candidato Augusto Castro || Foto Lucas Matos
Tempo de leitura: 2 minutos

O candidato a prefeito de Itabuna pelo PSD, Augusto Castro, disse que deverá ampliar parcerias com a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), caso eleito, “em vários setores da Administração pública, principalmente para colocar para funcionar projetos e serviços da Prefeitura que estão parados ou funcionam mal”.

Na manhã desta segunda (9), Augusto teve audiência com a reitora da UFSB, Joana Angélica Guimarães, quando falou dos projetos que pretende desenvolver, além de fazer um relato sobre a campanha quando vem apresentando aos eleitores temas do Plano de Governo.

“Se o povo nos garantir o mandato de prefeito, vamos precisar melhorar a interlocução com as universidades federal e estadual e as faculdades na execução do nosso projeto em favor da população”, reafirmou o candidato da Coligação Mudar Para Fazer. Augusto disse à reitora que mantém apoios em Brasília e Salvador para que a Prefeitura de Itabuna passe a prestar bons serviços às pessoas. “Contamos com importantes apoios, inclusive no Congresso Nacional”.

NOVOS CURSOS

A reitora Joana Angélica Guimarães anunciou novos curso no próximo ano em Ciências Agroflorestais – Engenharia Florestal e Engenharia Agrícola e Ambiental – para o campus Jorge Amado. Além disso, assegurou que a Reitoria passará a funcionar no antigo prédio do Fórum Ruy Barbosa, no centro de Itabuna, e que, até meados de 2021, será concluída a primeira etapa das obras da sede da UFSB, com pavilhão de aulas na área norte da cidade, próximo ao Bairro Nova Califórnia, limítrofe à sede regional da Ceplac.

No próximo ano, a Universidade Federal do Sul da Bahia também ganhará três laboratórios na área molecular, ampliando os estudos e enfrentamento do covid-19. Segundo a Reitoria, a Universidade tem como modelo a ênfase nos bacharelados interdisciplinares e cursos profissionais de segundo ciclo nos campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas. Outra novidade são os colégios universitários (Cuni) que funcionam por meio de convênio com o governo estadual.

Leia Mais

ITABUNA: ROSIVALDO PINHEIRO RECEBE O APOIO DE LENINHA VILA NOVA

Tempo de leitura: 2 minutos

Rosivaldo recebe o apoio de Leninha Vila Nova, do NTE 5, na disputa por vaga na Câmara de Itabuna

A diretora do Núcleo Territorial de Educação Litoral Sul (NTE 05), Leninha Vila Nova, declarou apoio ao candidato a vereador de Itabuna Rosivaldo Pinheiro. Leninha ressaltou a história de vida de Rosivaldo vinculada à Educação e também enumerou a participação do economista e especialista em Planejamento de Cidades em demandas ligadas ao ensino médio e superior:

– Rosivaldo tem uma história engajada na construção de cidadania em Itabuna. Ele está ligado à luta pela estadualização da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), que antes era Fespi, participou do debate para a vinda da Universidade Federal do Sul da Bahia para Itabuna e abordou pessoalmente o nosso secretário estadual de Educação para que o governo do estado construa um colégio de nível médio em Ferradas.

Prédio antigo dos Juizados Especiais será sede da NTE-5

Recentemente, Rosivaldo também ajudou a articular a instalação da nova sede do NTE 05 no antigo prédio dos Juizados Especiais, ao lado do antigo Fórum Ruy Barbosa, que também está em obras e será transformado na reitoria da UFSB.

“Agradeço muito a Rosivaldo, sobretudo pelo companheirismo e respeito na minha chegada ao NTE 05 e por ter apadrinhado a nossa ida para a nova sede, que trará imensuráveis benefícios para nossa comunidade escolar do Território Litoral Sul. Estou junto com ele nessa jornada por acreditar que, na Câmara de Vereadores, ele poderá colaborar muito mais com a construção da educação de qualidade social que almejamos”, frisou Leninha.

Back To Top