skip to Main Content
31 de outubro de 2020 | 01:58 pm

PODE ISSO, ARNALDO?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Recém-criadas, as universidades federais do Sul da Bahia (UFSB) e do Oeste da Bahia (UFOB) abriram concurso para professor adjunto.
A remuneração é a mesma (mais de R$ 8 mil), mas o valor da taxa de inscrição…
Enquanto a UFSB cobra R$ 300,00 de taxa, a Ufob anunciou que a inscrição custará R$ 115,00.
Nos dois casos, as provas serão aplicadas pela mesma instituição, a Universidade Federal da Bahia (Ufba).

UFSB PRORROGA INSCRIÇÕES DE CONCURSO PARA PROFESSOR ADJUNTO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Sede da Reitoria da UFSB em Ferradas foi inaugurado em setembro do ano passado (Foto Pimenta).

Sede da Reitoria da UFSB em Ferradas, em Itabuna (Foto Pimenta).

A reitoria da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) prorrogou o prazo de inscrição no concurso para contratar 49 professores adjuntos. Após retificação no edital, o prazo foi esticado de ontem (10) para a próxima sexta (14).
Os candidatos precisam ter, pelo menos, doutorado e dedicação exclusiva. A inscrição custa R$ 300,00 e a remuneração ao professor será de R$ 8.344,54 (salário mais retribuição por título de doutorado). O concurso prevê reserva de cota para candidatos negros.
CONFIRA EDITAL
O concurso será dividido em três etapas. A prova escrita será aplicada em 7 de dezembro, enquanto a prova de títulos ocorre no período de 15 a 17 de dezembro. As duas fases são de caráter eliminatório. A última etapa – classificatória- será a prova oral, prevista para o período de 12 a 19 de janeiro de 2015.
Os professores contratados atuarão nos campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

OBRAS DO CAMPUS DEFINITIVO DA UFSB EM ITABUNA COMEÇAM EM 2015

Tempo de leitura: 3 minutos
Reitor da UFSB, Naomar Almeida, explica detalhes do projeto (Foto Águido Ferreira).

Reitor da UFSB, Naomar Almeida, explica detalhes do projeto (Foto Águido Ferreira).

Domingos Matos
Representantes da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) começaram a discutir aspectos da parceria entre as duas instituições, especialmente em relação ao início das obras do campus Jorge Amado e do Parque Tecnológico do Sul da Bahia. O evento, realizado no auditório da Ceplac, serviu para apresentar as instalações do órgão aos novos professores da UFSB, assim como também para detalhar a parceria das duas instituições a representações do funcionalismo da Ceplac.
O professor Naomar Almeida, reitor da UFSB, observa que lei que criou a universidade trouxe algumas exigências, sendo a principal delas a de que a reitoria deverá ser no município de Itabuna. Com a doação de dois terrenos, pelos municípios de Itabuna e Ilhéus, e a parceria com a Ceplac, que garantiu, por exemplo, a cessão de uma área de 37 hectares, a UFSB já planeja o início das obras do campus Jorge Amado e do Parque Tecnológico para o próximo ano.
O reitor afirma que a escolha da área geográfica mais próxima à Ceplac é estratégica. Como determina a lei, a reitoria será construída em solo itabunense e o campus Jorge Amado vai utilizar as áreas doadas pelos dois municípios e se conectar com a estrutura existente no órgão, a exemplo dos laboratórios do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec).
– Na região existem muitos equipamentos de construção do conhecimento, que são agregados pela Ceplac, fundamentalmente. Isso representa um enorme potencial para a nossa universidade mais rapidamente começar produzir conhecimento e tecnologia e ajudar a redinamizar a região – define Naomar Almeida.
Já o superintendente da Ceplac, Juvenal Maynart, definiu a chegada da universidade nessa parceria com a Ceplac. “A UFSB nos ajudará no nosso processo de modernização, enquanto nós a ajudamos no processo de amadurecimento institucional. Em breve, essa região terá uma bela constelação, e poderá retomar, agora em bases sustentáveis, seu desenvolvimento, depois de mais de duas décadas de estagnação”.
INÍCIO DAS OBRAS
A vice-reitora Joana Angélica Guimarães afirma que o cronograma de construção do campus Jorge Amado se inicia a partir da contratação, nos próximos meses, das empresas que vão elaborar todos os projetos, até o fim do primeiro semestre de 2015. “Com todos os projetos prontos, vamos iniciar o processo licitatório para, ainda em 2015, no segundo semestre, iniciar as obras”.
A visita de terça-feira contou ainda com a participação do professor da faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Sérgio Erkeman, que será o responsável pelo projeto arquitetônico do campus Jorge Amado e dos demais campi da UFSB.

Leia Mais

CONCURSO DA UFSB ABRE MAIS 26 VAGAS PARA PROFESSOR ADJUNTO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Campus e reitoria da UFSB em Itabuna (Foto Pimenta).

Campus e reitoria da UFSB, na BR-415, em Itabuna (Foto Pimenta).

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) publicou edital de retificação em que amplia de 23 para 49 o número de vagas para professor adjunto. Com o aumento do número de vagas, o concurso adotou cotas para negros.
A inscrição encerra-se em 10 de novembro e custa R$ 300,00.
A UFSB exige doutorado e dedicação exclusiva e oferece R$ 8.344,64 de remuneração, correspondendo a R$ 3.804,29 de salário e R$ 4.540,35 como retribuição por título de doutorado.
CONFIRA EDITAL
O concurso será dividido em três etapas. A prova escrita será aplicada em 7 de dezembro, enquanto a prova de títulos ocorre no período de 15 a 17 de dezembro. As duas fases são de caráter eliminatório. A última etapa – classificatória- será a prova oral, prevista para o período de 12 a 19 de janeiro de 2015.
O certame terá validade de seis meses, após homologação. Os professores contratados atuarão nos campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas.
De acordo com o edital, as vagas estão distribuídas entre as áreas de Humanidades; Ciências Sociais; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Agrárias; Engenharias; Educação, Linguística, Letras e Artes.

COM BOAS NOTAS NO ENEM, ESTUDANTE OBTÉM VAGA NA UFSB SEM CONCLUIR ENSINO MÉDIO

Tempo de leitura: 2 minutos
UFSB será obrigada a matricular aluna que ainda não concluiu ensino médio (Foto Gabriel Oliveira).

UFSB será obrigada a matricular aluna que ainda não concluiu ensino médio (Foto Gabriel Oliveira).

A estudante  Tayná Santos Conceição obteve vaga na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) por meio de liminar no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), após ter a matrícula negada pela instituição de ensino por não ter concluído o ensino médio. Tayná reside em Almadina e ainda cursa o 3º ano do Ensino Médio no Colégio Luiz Viana Filho.
A liminar validou o desempenho de Tayná no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 como certificado de conclusão do Ensino Médio. A decisão foi publicada na última quinta (16) no Diário Oficial da União. O advogado de Tayná, Jackson Novas Santos, observou que a estudante já havia sido aprovada no processo seletivo da UFSB, que apenas utiliza como critério de ingresso na graduação o rendimento nas provas do Enem.
A seleção é feita por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e ou pela apresentação de desempenho no Enem no caso das vagas nos colegiados universitários. Tayná concorreu a uma das vagas em curso de licenciatura, no Colégio Universitário de Coaraci, cidade vizinha a Almadina.
A defesa havia tentado, por meio de mandado de segurança, assegurar a matrícula de Tayná, mas teve o pedido negado pela juíza da 2ª Vara Federal em Itabuna, Lilian Mara de Souza Ferreira.
A decisão em segunda instância considerou que a nota obtida por Tayná no Enem garante a vaga à estudante. Para o tribunal, garantir a matrícula de Tayná “encontra-se em sintonia com o exercício do direito constitucional à educação e com a expectativa de futuro retorno intelectual em proveito da nação, que há de prevalecer sobre formalismos eventualmente inibidores e desestimuladores do potencial científico daí decorrente'”.
O advogado de Tayná comemora a decisão. “Trata-se de um precedente judicial importante”. A estudante tem origem humilde e obteve boas notas no Enem do ano passado, o que a colocou em condições de assumir uma das vagas no Cuni de Coaraci.

UFSB ABRE CONCURSO PARA PROFESSOR. REMUNERAÇÃO CHEGA A R$ 8,3 MIL

Tempo de leitura: < 1 minuto
UFSB abre novo concurso para professor (Foto Gabriel Oliveira).

UFSB abre novo concurso para professor (Foto Gabriel Oliveira).

A Universidade Federal do Sul da Bahia abriu ontem (6) período de inscrição em concurso público para contratar 23 professores adjuntos.
A universidade exige dedicação exclusiva e oferece remuneração de R$ 8.344,64 (salário básico de R$ 3.804,29 mais R$ 4.540,35 como retribuição por titulação de doutorado.
Os professores aprovados em concurso serão distribuídos entre os campi de Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas. As inscrições serão encerradas em 10 de novembro.
O interessado deve efetuar inscrição pela internet. A taxa foi fixada em R$ 300,00.

ALUNOS DA UFSB FICAM SEM BUZU

Tempo de leitura: < 1 minuto
Campus e reitoria da UFSB em Itabuna (Foto Pimenta).

Campus e reitoria da UFSB em Itabuna (Foto Pimenta).

Alunos do campus itabunense da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) têm que bater perna pela BR-415 para chegar à sala de aula. Isso, porque as empresas de ônibus deixam os estudantes pelo caminho, na primeira entrada de Ferradas no sentido Ibicaraí. O problema é maior à noite e expõe os estudantes a risco. Além disso, motoristas têm se negado a parar no ponto de ônibus do Centro Comercial.
Como se não bastasse, os alunos estão reclamando que a Associação das Empresas de Transporte Urbano (AETU) cobra taxa de R$ 33,00 por segunda via do cartão de passe do estudante. É quase o dobro do que cobram as empresas de transporte coletivo em Ilhéus e 60% mais do que cobra a Rota Transportes na linha Itabuna-Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz).
Os alunos estão revoltados com o tratamento da São Miguel e da Expresso Rio Cachoeira e prometem manifestação.

RESPOSTAS QUE O TEMPO PROJETA NO CAMINHO QUE SE FAZ CAMINHANDO

Tempo de leitura: 2 minutos

isabel lima ufsbIsabel Maria Sampaio Oliveira Lima | isabelmsol@gmail.com

A nova universidade vai desenvolvendo relações não artificiais, não burocráticas, que se distanciam da força da autoridade do argumento, mas se enraízam na força criativa do processo coletivo de educação interdimensional.

Diante da rede que vai se armando com os textos dos docentes da UFSB, há um outro texto se construindo, igualmente rico, na práxis. Cada fio que se puxa revela que a UFSB não quer produzir uma cisão entre os vínculos cognitivos e aqueles que se constroem na sociabilidade e na dinâmica da subjetividade.
O componente curricular Fórum Interdisciplinar: Experiências do Sensível constitui, entre outros, a oportunidade de acolher linguagens novas ou até mesmo a de permitir nomear a si mesmo e às conexões intertemporais da linha do tempo de cada educando.
Mas o imprinting de integração com o professor e a delicadeza e a força desta relação só se darão em escala, quando for o próprio modus vivendi e operandi de cada ator e da própria instituição.
O exercício individual e coletivo de reconhecer a voz do educando, seja mediado pelas Tecnologias de Informação e Comunicação, seja nos esportes, na pesquisa, nas artes, no processo político participativo, vai consolidando a forma da UFSB incluí-la em todas as etapas do seu texto de instituição-com, e não apenas instituição-para.
Ao fazer assim, a nova universidade vai desenvolvendo relações não artificiais, não burocráticas, que se distanciam da força da autoridade do argumento, mas se enraízam na força criativa do processo coletivo de educação interdimensional.
Quem disse que é fácil? Quem disse que não é possível?
Isabel Maria Sampaio Oliveira Lima é professora visitante da UFSB, juíza, enfermeira e doutora em Saúde Coletiva.

HISTÓRIAS DO SENSÍVEL

Tempo de leitura: 3 minutos

denise coutinho - ufsbDenise Coutinho | denisecoutinho1@gmail.com

para que a manhã, desde uma teia tênue, / se vá tecendo […] / E se encorpando em tela, entre todos, / se erguendo tenda, onde entrem todos, /se entretendendo para todos, no toldo / (a manhã) que plana livre de armação. / A manhã, toldo de um tecido tão aéreo / que, tecido, se eleva por si: luz balão (João Cabral de Melo Neto).

A Universidade Federal do Sul da Bahia já começa com histórias para contar. Uma das inovações pedagógicas que vem sendo experimentada desde o primeiro dia de aulas é o componente curricular (semelhante ao que antes se chamava disciplina ou matéria) denominado “Fórum Interdisciplinar: Experiências do Sensível”.
Não há, entre nós, registro de qualquer universidade brasileira que tenha  ousado tanto em termos de inclusão curricular. A proposta é compatível com os projetos mais arrojados de educação no mundo. Trata-se de incluir na pauta da formação universitária, de modo concreto e visível, elementos de sensibilidade, convivialidade e afetividade, tendo como foco a produção de subjetividade por parte do estudante e, inevitavelmente, também do professor.
Apreender a ser, aprender a fazer, aprender a conhecer e aprender a conviver são os quatro pilares da educação do futuro proferidos no documento “Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI”. Dentre as tensões a serem superadas no mundo da educação, o documento da UNESCO diagnostica a tensão entre o global e o local: “o esquecimento do caráter único de cada pessoa, de sua vocação para decidir seu destino e realizar todas as suas potencialidades, conservando a riqueza de suas tradições e de sua própria cultura, se não forem tomadas as devidas providências, corre o risco de desaparecer sob a influência das mudanças em curso” (UNESCO, 2010).
Conclui o documento:

Somos levados, portanto, a revalorizar as dimensões ética e cultural da educação e, nesse sentido, a fornecer os recursos para que cada um venha a compreender o outro em sua especificidade, além de compreender o mundo em sua busca caótica de certa unidade; mas, previamente, convém começar pela compreensão de si mesmo em uma espécie de viagem interior, permeada pela aquisição de conhecimentos, pela meditação e pelo exercício da autocrítica (UNESCO, 2010).

Os primeiros relatos dos docentes da UFSB são eloquentes no que diz respeito ao alcance da proposta  e demonstram que esta inovação pedagógica veio para ficar e, com o tempo, será certamente multiplicada no sistema universitário brasileiro.
Vejamos o que relatam as Professoras Lívia Santos Lima Lemos, Doutora em Genética e Biologia Molecular pela UESC e Márcia Nunes Bandeira Roner, Doutora em Ciência Animal, ambas docentes do Campus Paulo Freire em Teixeira de Freitas: “Caros colegas, venho, em meu nome e de Márcia, expor o quanto foi prazeroso a primeira aula de ‘Cores da terra’ do CC: Fórum Interdisciplinar. Os textos produzidos pelos alunos foram emocionantes. Experiências de vida relatadas a partir daquela pequena amostra de terra, que nos deixaram muito entusiasmadas e satisfeitas.

Leia Mais

UM NOVO CICLO DE DESENVOLVIMENTO

Tempo de leitura: 3 minutos

Geraldo Simões 3Geraldo Simões

O então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, chegou a anunciar, num encontro de reitores, que a reitoria da UFSB seria em Porto Seguro. Fizemos gestões junto ao ex presidente Lula e à presidente Dilma, além do governador Jaques Wagner, para que Itabuna ficasse com a reitoria, o que de fato aconteceu.

O Sul da Bahia vive um dia histórico nesta segunda-feira, 8 de setembro, com duas importantes conquistas: o início das atividades da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), no campus Jorge Amado, em Itabuna, que também é a sede da reitoria; e o anúncio, pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, e pelo governador Jaques Wagner, da licitação para a realização das obras de duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna.
A Universidade Federal do Sul da Bahia começou a ganhar corpo em 2003, quando, como prefeito de Itabuna,  solicitamos a implantação de uma universidade federal em Itabuna ao então presidente Lula. Em 2004, chegou-se a ventilar a implantação de um campi da Universidade Federal da Bahia (Ufba), como foi eleito outro candidato, este não se interessou pela proposta.
Como deputado federal, iniciamos a mobilização junto à bancada baiana no Congresso Nacional para que a reitoria e o campus principal fossem em Itabuna, ação retomada assim que tomamos conhecimento de que a presidenta Dilma Rousseff pretendia implantar uma universidade federal no Sul da Bahia.
O então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, chegou a anunciar, num encontro de reitores, que a reitoria da UFSB seria em Porto Seguro. Fizemos gestões junto ao ex presidente Lula e à presidente Dilma, além do governador Jaques Wagner, para que Itabuna ficasse com a reitoria, o que de fato aconteceu.
Participamos na Câmara dos Deputados e acompanhamos no Senado, todo o processo que culminou na sanção da presidente Dilma, criando a universidade que hoje dá seus primeiros passos. Certamente, se consolidará como umas das principais instituições de ensino superior do país, beneficiando milhares de jovens sul-baianos e criando em torno de si toda uma cadeia que impulsiona a economia nas cidades em que ela está inserida.
A duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna é a consolidação de um sonho de várias décadas e terá impacto positivo nas duas maiores cidades do Sul da Bahia, que, longe de serem rivais, se completam em suas atividades socioeconômicas e em suas potencialidades
Desde nosso mandato como deputado estadual, na década de 90, como líder da bancada do PT, trabalhamos por essa obra. Mas, infelizmente, apesar de sucessivas promessas,  a proposta foi ignorada pelos sucessivos governos calistas, incapazes de compreender a importância da duplicação e de retribuir o muito que essa região contribuiu com o estado nos tempos em que o cacau era a base da economia baiana.

Leia Mais
Back To Top