skip to Main Content
17 de maio de 2021 | 12:42 am

ACADÊMICOS: MASTURBADORES OU CRIADORES?

Tempo de leitura: 2 minutos

Felipe-de-PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Nossas universidades estão repletas do que costumo chamar de praticantes de masturbação intelectual. A analogia com a prática do “auto-prazer” vem da ideia de que aquilo não gera nada além de satisfação para aquele que a pratica.

 

Li uma matéria jornalística a respeito de um projeto da Universidade do Minho, em Portugal, que desafiava seus doutorandos a apresentarem suas pesquisas num pub da cidade. Público externo ao ambiente acadêmico, exigindo uma linguagem mais objetiva, direta, que permita a comunicação com aquelas pessoas.

A proposta é, segundo os organizadores, promover um ambiente descontraído e informal, com uma linguagem e profundidade adequadas. É, na minha opinião, um pouco mais do que isso. A proposta de levar o que é feito na Academia para um ambiente externo significa refletir sobre o sentido do que se faz dentro das universidades. Qual o sentido de produzir se o que é feito se esgota nos limites do campus, preenche uma estante na biblioteca, garante uma nota ao formando ou uma progressão funcional ao docente?

Nossas universidades estão repletas do que costumo chamar de praticantes de masturbação intelectual. A analogia com a prática do “auto-prazer” vem da ideia de que aquilo não gera nada além de satisfação para aquele que a pratica. Acadêmicos das mais diversas áreas gastam infindáveis horas com discursos rebuscados, debates acalorados com os seus pares, textos de linguagem distante e destinados apenas a congressos e publicações altamente especializadas. Ruim? Não necessariamente. Útil para a sociedade? Também não necessariamente.

Complicado pensar numa instituição – e em seus profissionais – sustentada por uma população que nem ao menos tem a chance de conhecer o que se passa lá dentro. O acadêmico moderno deve ter a obrigação de apresentar a universidade “ao mundo de fora”. Ali não é (ou não deveria ser) um panteão para privilegiados. Ali está um recorte de mundo com extremo potencial para produzir conhecimento. E esse conhecimento deve ser útil para a sociedade, de domínio da sociedade, com caráter libertador a fim de desatar os nós da ignorância e da opressão que vem associada a esta.

Acadêmicos: ao mundo! Uma universidade que morre em si, ajuda a sociedade morrer junto com ela. Uma universidade que não está em seu devido lugar – em meio ao povo – não tem razão de existir.

Se o dito popular afirma que traduzir é trair, a Academia tem o dever de reverter esse pensamento. Traduzir o academicismo, no caso, é permitir. O desenvolvimento, a integração, os saberes. Construamos universidades com cada vez menos “masturbadores” e cada vez mais criadores. A sociedade agradece.

Felipe de Paula é professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

UFSB PROMOVE 2ª ETAPA DE FORMAÇÃO PARA OS CIEs

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) inicia nesta segunda-feira, 15, a segunda etapa de formação de profissionais que atuarão em seus Complexos Integrados de Educação (CIEs). A primeira etapa da formação aconteceu no período de 1º a 4 deste mês. Participam professores de Itabuna, Porto Seguro e Itamaraju.

Entre os temas que fazem parte da capacitação, estão educação em tempo integral, planejamento participativo e metodologia de projetos.

Os CIEs propõem inovações como o Encontro de Saberes, que introduz conhecimentos e práticas de comunidades tradicionais do sul da Bahia na grade curricular de seus cursos.

HOJE É ÚLTIMO DIA DE INSCRIÇÕES NO SISU

Tempo de leitura: < 1 minuto
UFSB oferece 480 vagas pelo Sisu nesta edição (Foto Gabriel Oliveira).

Uesc oferece mais de 1,6 mil vagas e UFSB (imagem acima) tem 480 vagas pelo Sisu (Foto Gabriel Oliveira).

Hoje (14) é o último dia para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O sistema receberá inscrições até as 23h59, no horário de Brasília. Até a noite de ontem (13), 2.217.738 estudantes haviam feito a inscrição, segundo o último balanço do Ministério da Educação (MEC).

Pode se inscrever o estudante que participou da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obteve nota acima de 0 na prova de redação. É necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem.

As inscrições são feitas exclusivamente pela internet, no site do Sisu. Nesta edição, são ofertadas 228 mil vagas em 131 instituições públicas de educação superior.

O resultado da chamada regular será divulgado no dia 18 de janeiro. Os selecionados deverão fazer a matrícula na instituição nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. Assim como na edição anterior, só haverá uma chamada regular. AB.

SISU ABRE INSCRIÇÕES COM MAIS DE 2,1 MIL VAGAS NA UESC E UFSB

Tempo de leitura: < 1 minuto
Uesc oferece mais de 1,6 mil vagas pelo Sisu em 2015.

Uesc oferece mais de 1,6 mil vagas pelo Sisu em 2015.

Começaram hoje (11) e seguem até a quinta (14) as inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). São mais de 228 mil vagas em universidades e institutos federais em todo o país.

No eixo Ilhéus-Itabuna, são quase 2 mil vagas nas universidades Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Federal do Sul da Bahia (UFSB), além do Instituto Federal Baiano (IF Baiano), em Uruçuca.

As inscrições são feitas somente pela internet, no site do Sisu, e podem concorrer às vagas quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e não zerou a prova de redação.

A Uesc oferece 1.676 vagas para os seus cursos de graduação, dentre os quais vários nas áreas de Engenharias, e os mais disputados, como Medicina e Direito.

A UFSB oferece vagas em cursos de licenciatura e bacharelados interdisciplinares em Itabuna, assim como Porto Seguro e Teixeira de Freitas. Para este semestre, são 480 vagas nos três campi.

O resultado da chamada regular do Sisu sairá no dia 18, com matrículas devendo ser efetivadas no período de 22 a 26 de janeiro.

UESC E UFSB OFERECEM 2,1 MIL VAGAS PELO SISU

Tempo de leitura: < 1 minuto
UFSB oferece 480 vagas pelo Sisu nesta edição (Foto Gabriel Oliveira).

UFSB oferece 480 vagas pelo Sisu nesta edição (Foto Gabriel Oliveira).

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) oferecerão total de 2.156 vagas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições começam na próxima segunda (11) e encerram-se no dia 14.

A maior oferta de vagas é da Uesc. São 1.676 para os mais de 30 cursos de graduação. Dentre as opções de cursos, os mais concorridos são Medicina e Direito.

Já a UFSB, que possui campi em Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas, oferta 480 vagas para licenciatura e bacharelados interdisciplinares. Os bacharelados oferecem, após período de formação geral, vagas em cursos como Medicina, Engenharia Sanitária e Ambiental e Direito (confira aqui).

O resultado da primeira chamada sairá no dia 18. Antes da abertura das inscrições, o Ministério da Educação divulgará, na sexta (8), as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015.

O Sisu oferece mais de 13 mil vagas em em faculdades públicas em toda a Bahia, sendo 4.442 delas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), 1.490 pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e 1.455 pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB). Confira todas as vagas disponíveis clicando aqui.

MEU PROFESSOR

Tempo de leitura: 2 minutos

Felipe-de-PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Algumas perguntas passaram pela minha cabeça, mas mesmo encontrando todas as respostas nenhuma poderia se comparar com a minha descoberta: – Meu professor comia acarajé!

 

Não sei se alguém já escreveu uma crônica sobre seu professor. Aliás, nem sei se isso é uma crônica. Apenas me senti tentado a escrever sobre essa figura de incrível unicidade que era o meu professor, ainda mais depois da incrível descoberta que tive na época da graduação: – Meu professor comia acarajé!

Não que o fato de comer acarajé seja algo fora do comum, mas dificilmente se imagina alguém como meu professor sentado em uma praça se deliciando com essa apimentada iguaria baiana. Aquela figura com um pequeno déficit de tecido adiposo, com os cabelos levemente escassos na testa, porém com volume na parte de trás da cabeça. Meu professor, sempre com seus óculos contornando seus olhos arregalados, sempre com camisas e calças que realçam seu “fino” porte físico. Ah! E sempre também com sua voz pausada, de fala elaborada, que em uma aula mais longa sempre provocaram sono em alguns (para não dizer todos) alunos.

Meu professor, que figura aquela! Esse homem que tinha no seu vocabulário algumas palavras do “informatiquês”. Sempre dizendo que as pessoas necessitam se “formatar”, as pessoas são “editadas”, ou até mesmo “deletadas”. Talvez, se dependesse da vontade do meu professor, uma comunidade vizinha à Universidade seria toda ela “deletada”.

Aquele meu professor que tinha mania de prever inovações do futuro, meu professor, que cheguei a imaginar que seria um androide que dava aula e em seguida era guardado no depósito da Universidade sendo acionado sempre que se fizesse necessária nova aula. Esse sujeito esfíngico que jamais imaginei ver realizando o ato de comer acarajé. Você pode achar estranha minha surpresa, mas, se você pudesse conhecer meu professor, também se espantaria com essa revelação: – Meu professor comia acarajé!

Após presenciar essa maravilhosa cena juntamente com minha então namorada, hoje esposa, ficamos os dois imaginando um pouco da vida do meu professor. Onde moraria? Com quem moraria? O que fazia para se divertir? Gostava de música? Que tipo? Essas foram algumas das perguntas que passaram pela minha cabeça, mas mesmo encontrando todas essas respostas nenhuma poderia se comparar com a minha descoberta: – Meu professor comia acarajé!

Ver aquela figura degustar seu acarajé acompanhado de uma Coca-Cola (obs.: Ele até arrotou quando bebeu!!!!) foi um momento que eu sabia que ficaria – e ficou – em minha memória por um longo tempo.

Mas não faça uma imagem ruim do meu professor. Ele pode ser diferente, mas é boa pessoa. Porém, sei que ainda chegará o dia em que revelarei uma grande história à minha filha: – O meu professor comia acarajé.

Felipe de Paula é professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

GERALDO, DAVIDSON E ROBERTO JOSÉ

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

 

Dos quatros prefeituráveis de partidos que dão sustentação política ao governo estadual, o ex-alcaide é o grande favorito. Percentualmente, diria que Geraldo tem 90% de chance, Davidson 5%, Roberto José 4% e Leahy 1%.

 

Já estou ficando repetitivo quando digo que o PT de Geraldo Simões e o PCdoB de Davidson Magalhães vão caminhar juntos na sucessão do prefeito Claudevane Leite.

A união entre petistas e comunistas é uma questão de pura sobrevivência política. O cenário aponta uma dependência que tende a ficar cada vez mais escancarada.

Se a junção é considerada como favas contadas, então podemos dizer que o candidato do governismo será Geraldo Simões, com o PCdoB indicando o companheiro da chapa majoritária.

E Roberto José, que é do PSD do senador Otto Alencar, que é aliado do governador Rui Costa, como fica? Vai aceitar passivamente a fritura em torno da sua pré-candidatura?

Ora, até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que o governador Rui Costa não medirá esforços para que a base aliada tenha um só candidato a prefeito.

Dos quatros prefeituráveis de partidos que dão sustentação política ao governo estadual – Geraldo Simões, Davidson Magalhães, Roberto José e Carlos Leahy, respectivamente PT, PCdoB, PSD e PSB –, o ex-alcaide é o grande favorito. Percentualmente, diria que Geraldo tem 90% de chance, Davidson 5%, Roberto José 4% e Leahy 1%.

É bom lembrar que a senadora Lídice da Mata, dirigente-mor do PSB, além de ter um bom relacionamento com o governador Rui Costa, comunga com a opinião de que qualquer cisão na base só faz ajudar a oposição.

Robertistas, obviamente os mais lúcidos e politizados, já defendem uma aproximação de Roberto José com o médico Antônio Mangabeira, pré-candidato pelo PDT do saudoso Leonel Brizola.

Muita coisa ainda vai acontecer na movediça areia da sucessão do prefeito Claudevane Leite (PRB).

GEDDEL EM ITABUNA

JuvenalMaynart CeplacAmanhã, sábado (28), o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o mano Lúcio Vieira Lima, cotadíssimo para substituir Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados, estarão em Itabuna para discutirem a sucessão do prefeito Claudevane Leite.

Serão recebidos pelo presidente do diretório do PMDB, Pedro Arnaldo, pelo médico Renato Borges da Costa, o pré-candidato Fernando Vita, o vereador Antônio Cavalcante e, principalmente, por Juvenal Maynart.

Digo principalmente, porque Geddel tem a oportunidade de parabenizar pessoalmente Maynart não só pelo bom trabalho realizado na Ceplac, quando superintendente do órgão, como na valorosa contribuição para a implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

EM NOTA, SEC NEGA FECHAMENTO DO COLÉGIO ESTADUAL

Tempo de leitura: 2 minutos
Professores e alunos protestaram hoje (Foto Pimenta).

Professores e alunos protestaram hoje (Foto Pimenta).

A Secretaria Estadual de Educação emitiu nota de esclarecimento em que nega o fechamento do Colégio Estadual de Itabuna no período noturno (reveja aqui).

“A unidade escolar ampliará o atendimento dos estudantes com a implantação do Centro Noturno de Educação na Bahia (Ceneb)”, informa.

Ainda de acordo com a nota, o centro terá proposta pedagógica para estudantes do noturno, focada no “mundo do trabalho, ciência e tecnologia, e arte e cultura”.

AMÉLIA AMADO

A Secretaria Estadual de Educação confirmou o fechamento do Colégio Estadual Dona Amélia Amado, transformando-o em Centro de Educação Integral.

O espaço oferecerá educação em mais um turno para crianças, jovens e adolescentes, numa ação que também envolverá a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Confira a íntegra da nota clicando no “leia mais”, abaixo.

Leia Mais

RUI AUTORIZA RETOMADA DE OBRAS DA BARRAGEM DO COLÔNIA

Tempo de leitura: 2 minutos

 

Ao lado de Vane, Rui assina ordem de serviço para a barragem (Foto Divulgação).

Ao lado de Vane, Rui assina ordem de serviço para a barragem (Foto Divulgação).

A retomada das obras da Barragem do Rio Colônia, em Itapé, deverá ocorrer em até 60 dias. Ontem, o governador Rui Costa e o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, assinaram a ordem de serviço para as obras. A barragem beneficiará, pelo menos, 350 mil pessoas, a maior parte residente em Itabuna.

A construção da barragem terá investimento total de R$ 108 milhões, envolvendo a obra, desapropriações, desvio de rodovia e adutora. A construção da barragem será tocada pela Metro Engenharia.

“Fizemos uma nova licitação e agora a construção será realizada e pretendemos avançar, porque com a barragem pronta precisaremos de adutora e de um sistema de abastecimento e saneamento para melhorar a qualidade de vida da população “, disse Rui Costa.

A barragem vai permitir a regularização da distribuição de água em Itabuna, além de revitalizar os rios Cachoeira e Colônia, controlar as cheias no Rio Cachoeira, aumentar a produção de pescados e melhorar a qualidade da água. De acordo com o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) já iniciou os estudos para construção de um adutora destinada à melhoria do abastecimento no município.

As obras somam-se aos cerca de R$ 180 milhões em equipamentos, obras e licitações entregues pelo governador Rui Costa na manhã desta segunda, no município de Ilhéus.

UFSB

 

O governador também participou das inaugurações de auditório e pavilhões de aula e administrativo do campus Jorge Amado da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Ao lado do reitor Naomar Almeida, Rui também entregou 12 salas de aulas, biblioteca e estruturas acadêmicas. O campus Jorge Amado tem capacidade para atender 1.440 alunos em três turnos.

 

O governador acrescentou que “nos últimos anos, saímos de uma para seis universidades federais. Isso é motivo para comemorar”. Ele ainda lembrou a inauguração do campus da UFSB em Porto Seguro, que acontece em dezembro, e o campus de saúde em Teixeira de Freitas, que será implantado em uma área pertencente ao antigo Derba.

 

 

RUI INAUGURA GASODUTO ITABUNA-ILHÉUS E LIBERA CONSTRUÇÃO DE HOSPITAL E BARRAGEM

Tempo de leitura: 2 minutos
Ao lado de Vane, Rui assinará ordem para retomada de obras da Barragem do Colônia (Foto Pedro Augusto).

Ao lado de Vane, Rui assinará ordem para retomada de obras da Barragem do Colônia (Foto Pedro Augusto).

O governador Rui Costa estará em Ilhéus e Itabuna na próxima segunda-feira (9). Em Ilhéus, a partir das 9 horas, no quilômetro 6 da Rodovia Ilhéus/Itabuna, ele assina ordem de serviço para construção do Hospital da Costa do Cacau, com investimento de R$ 77,5 milhões.

Ainda em Ilhéus, o governador inaugura o Gasoduto Itabuna/Ilhéus, com recursos da ordem de R$ 57 milhões. Além disso, será anunciada a licitação para a contratação da nova empresa que deve construir a nova ponte Ilhéus-Pontal, já que a empresa contratada anteriormente, a Constran, desistiu da obra.

Em Itabuna, às 14 horas, Rui Costa participa da inauguração de novos equipamentos no campus Jorge Amado da Universidade Federal do Sul da Bahia, que passa a oferecer laboratórios, inclusive de ensino metapresencial, novas salas de aulas, biblioteca e demais estruturas acadêmicas administrativas para os estudantes do campus, com capacidade para atender a 1.440 alunos em três turnos.

O governador também assina a ordem de serviço para a retomada das obras da Barragem do Rio Colônia, que vai garantir o abastecimento de água em Itabuna e Itapé e controlar a vazão do Rio Cachoeira.

VANE: BARRAGEM É PRIORIDADE 

O prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, diz estar confiante de que as obras serão retomadas. “O governador Rui Costa realmente tem a obra entre as prioridades de seu primeiro ano à frente do  Governo da Bahia. A conclusão da obra é investimento que vai resolver, em definitivo, o problema de abastecimento de água de Itabuna que não pode mais esperar para atender à demanda de abastecimento da população”.

A primeira ordem de construção da barragem foi assinada em 8 de janeiro de 2013, poucos dias depois de Vane assumir a prefeitura. A Construtora Andrade Galvão chegou a iniciar a obra, mas pediu um aditivo que foi negado pelo governador à época, Jaques Wagner. Agora, a obra será retomada com o valor revisto para R$ 70,9 milhões. Será tocada pela Metro Engenharia.

OBRAS DO NOVO CAMPUS DA UFSB COMEÇAM EM NOVEMBRO, DIZ NAOMAR

Tempo de leitura: < 1 minuto
Naomar Almeida anuncia início de obras da sede definitiva da UFSB.

Naomar Almeida anuncia início de obras da sede definitiva da UFSB.

As obras de construção do novo campus Jorge Amado, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), em Itabuna, começarão em novembro, de acordo com o reitor Naomar Almeida em entrevista ao Blog do Thame. O governador Rui Costa virá a Itabuna para a assinatura da ordem de serviço, na próxima sexta (6.nov.15).

O campus será erguido construído em um terreno entre os municípios de Ilhéus e Itabuna. Desde 2013, quando foi instalado, o campus Jorge Amado e a reitoria da UFSB funcionam em um imóvel em Ferradas, às margens da Rodovia Itabuna-Ibicaraí (BR-415).

A licitação para construção do campus está sendo feita nesta quinta (29). Segundo o reitor Naomar Almeida, 13 empresas participam do certame. Este é o primeiro passo para a implantação da sede definitiva da universidade.

A UFSB iniciou as atividades acadêmicas em 2013. Hoje possui 163 docentes, sendo 162 deles doutores, 140 servidores e matriculados 1.410 alunos. A instituição conta com três campi (Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas). Confira mais no site.

OFICIALMENTE, AGORA É UFSB

Tempo de leitura: < 1 minuto
Agora, universidade é, oficialmente, UFSB  (Foto Gabriel Oliveira).

Agora, universidade é, oficialmente, UFSB (Foto Gabriel Oliveira).

A Câmara dos Deputados pôs fim ao debate quanto à legalidade do uso da sigla UFSB para designar a Universidade Federal do Sul da Bahia. A instituição, ainda em 2013, fez enquete em seu site provisório para a escolha da sigla. Deu UFSB, por pequena margem e baixa votação.

A universidade foi originalmente batizada Ufesba. O reitor Naomar Almeida foi sempre contrário a ela. O professor expôs motivos para tal em artigo aqui no Pimenta (relembre).

Hoje, a Comissão de Educação da Câmara aprovou projeto de lei da deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) que altera a sigla, agora oficialmente, para UFSB.

A discussão foi necessária, pois nem mesmo o sistema do Governo Federal reconhecia a sigla UFSB, adotada tempos depois da criação da universidade federal. Os campi da universidade funcionam em Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

LUGAR DE ARTE

Tempo de leitura: 2 minutos

Felipe de PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Uma Universidade de fato apropriada pelo povo pode promover revoluções inimagináveis. Tudo isso, por ser o que ela deve ser sempre: um Lugar de Arte.

 

Se questionado fosse a respeito de qual lugar a universidade deve ocupar, me atreveria a assinalar: um lugar de e da arte. Universidade, para muito além de distribuir diplomas e oferecer capacitação técnica, deve ser um espaço de capacitação humana. Independente da área de formação escolhida pelo estudante, o exercício e a fruição da arte se configuram como ações essenciais para o indivíduo contemporâneo.

Em tempos de uma vida cada vez mais acelerada, de mais atribuições e menos tempo disponível, não despendemos mais tempo para a contemplação. O ensinar e o aprender, outrora praticados com preciosismo, convertem-se em mera troca comercial a ser realizada com rapidez a fim de aumentar os ganhos. Trabalhemos por uma universidade onde se capacite um bom profissional, mas se transmitam também o respeito, o cuidado com o outro, a sensibilidade na formação. Tais atributos devem estar presentes em um bom médico, um bom advogado, um bom filósofo, um bom engenheiro, em qualquer profissional, em qualquer pessoa.

A universidade é lugar de produzir arte e de fruirmos arte. Na UFSB, temos logo no primeiro período letivo, como componente obrigatório para todas as áreas o Experiências do Sensível. A partir de um tema norteador, os estudantes são convidados a repensar e observar seu cotidiano sob uma perspectiva sensível, ligada à terra, à água, aos sons e aos saberes que formam seu território.

Exercícios expressivos, sob perspectiva artística, estimulam futuros engenheiros, médicos, professores, agrônomos e outros sujeitos em formação, a praticarem a contemplação produtiva em suas vidas. Como resultado, esperamos profissionais mais comprometidos, com uma perspectiva mais humanista e maior percepção de coletivo. Enquanto planejávamos o componente curricular, imaginávamos encontrar resistências entre os discentes. Encontramos, em sua absoluta maioria, emoções e depoimentos impressionados belo bem que tal prática oferece.

Universidade também é lugar de produção artística. De jovens (ou não) estudantes, ocuparem o campus com suas mais variadas formas de intervenção. Artes visuais, poesia, exposições fotográficas, teatro, música. Os estudantes do Bacharelado Interdisciplinar em Artes do Campus Jorge Amado (arte até no nome), turma noturna 2015.2, criaram e executam sob minha orientação o projeto Universarte.

Semanalmente o campus é tomado por apresentações nos intervalos das aulas. Bandas musicais, cantores solo e exposições fotográficas já tomaram o espaço universitário. Poesia, teatro e mais música ainda virão pela frente. Talentos diversos que fazem um papel fundamental para o sucesso de uma universidade: a comunidade acadêmica (ou não, afinal têm surgido visitantes externos para as apresentações) entender aquele espaço como dela. E uma Universidade de fato apropriada pelo povo pode promover revoluções inimagináveis. Tudo isso, por ser o que ela deve ser sempre: um Lugar de Arte.

Felipe de Paula é professor do Bacharelado Interdisciplinar em Artes da UFSB.

PROJETO DA UFSB VALORIZA ARTE REGIONAL

Tempo de leitura: 2 minutos
Artistas e alunos interagem no campus Jorge Amado, em Itabuna (Foto Felipe de Paula).

Artistas e alunos interagem no campus Jorge Amado, em Itabuna (Foto Felipe de Paula).

As artes geram conhecimento ou lazer? Os estudantes do Bacharelado Interdisciplinar (BI) em Artes da Universidade Federal do Sul da Bahia estão aprendendo qual é a resposta: os dois. O cotidiano do Campus Jorge Amado vem sendo tomado pelas artes. Na próxima terça à noite (4), Rans Spectro, vocalista da Banda OQuadro, estará presente no campus para um papo sobre Hip-hop: arte, território e identidade.

O Universarte surgiu como uma proposta dos estudantes para criar um espaço das artes dentro do campus. Os talentos da comunidade acadêmica se juntam a convidados para que, por meio da música, da poesia, do desenho, da interpretação, todos possam apreciar a arte feita no sul da Bahia, valorizá-la e desenvolvê-la.

Rans Spectro, d´OQuadro, bate papo na UFSB na terça (Foto Divulgação).

Rans Spectro, d´OQuadro, bate papo na UFSB na terça (Foto Divulgação).

A professora Cynthia Santos Barra, coordenadora do BI em Artes no Campus Jorge Amado, acredita que esta iniciativa traz um imenso ganho, “tanto para o curso, que ganha um espaço de reafirmação de sua capacidade produtiva, criativa, quanto para a região, que vê sua arte sendo vivenciada, a princípio, no espaço acadêmico e, em seguida, nas ruas, praças e escolas das nossas cidades”.

Aqueles que desejarem conhecer mais do projeto e acompanharem sua programação, podem seguir a página do Universarte: https://www.facebook.com/universarteufsb

A visita de Rans Spectro, da Banda OQuadro, faz parte de uma iniciativa do professor Felipe de Paula, como parte das atividades do componente Campo das Artes: saberes e práticas. “Como esse componente se destina a ser o primeiro contato dos graduandos em Artes com sua área de formação, pensei: por qual motivo não deveríamos debater alguns conteúdos do curso com artistas da região? Nessa lógica, já recebemos a poeta Daniela Galdino, os atores Ely Izidro e Márcia Mascarenhas e, agora, é a vez de Rans Spectro”, afirma o professor.

Com o tema Hip-hop: arte, território e identidade, Rans estará presente na turma de Campo das Artes falando sobre os modos que a arte do hip-hop dialoga com a identidade de um território, de suas vivências com OQuadro na relação com a constituição de uma arte universal que também não deixa de ser sul baiana.

O papo acontece na noite de terça, a partir das 19 horas. “Embora seja uma ação direcionada aos estudantes de artes, todos serão bem vindos para integrar forças na construção do conhecimento. A universidade, suas ações e saberes, são públicos”, afirma Felipe de Paula.

REVOLUÇÃO NAOMARIANA

Tempo de leitura: 2 minutos

jorge portugal2Jorge Portugal | jpportugal@uol.com.br

Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil.

Acaba de começar no sul da Bahia uma verdadeira revolução no âmbito do ensino superior do país, e para o ensino baiano em particular. Seu nome: UFSB. Seu comandante-em-chefe: Prof. Naomar Almeida. Sim, ele mesmo que, ainda na condição de reitor da Ufba, implantou a bem sucedida política de ações afirmativas, que mudou a cara e a cor da universidade, e ainda instituiu os Bacharelados Interdisciplinares, buscando atualizar a nossa “Federal”, ajustando-a à moderna visão de universidade, mundo afora. Sei que não foi fácil. Acompanhei a sua árdua luta de convencimento aos seus pares, e vibrei com sua vitória final.

Cumprida a missão “ufbeana”, Naomar partiu para a concretização do seu sonho maior e pleno: a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia, dando forma final e definitiva ao modelo que sempre esteve na cabeça de Anísio Teixeira, mas também no bojo do pensamento de Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Milton Santos. Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil. A outra é a Universidade Federal do ABC paulista.

A UFSB já nasce com um elenco de professores-doutores na sua totalidade; mantém e até amplia a estrutura dos Bacharelados Interdisciplinares e, culminância das culminâncias, em vez de estar narcisicamente voltada para as suas pós-graduações, inclina o seu olhar para o ensino médio da rede pública, como forma de desativar a “bomba social” do país. Por isso, a participação do Prof. Naomar e da UFSB no Pacto Social da Bahia tem sido necessariamente fundamental. Os colégios universitários nas demais cidades onde não há campus formal (Ferradas/Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas) darão nova vida e qualidade aos estudantes da região, que já respirarão o “ar universitário” antes mesmo de ingressar no ensino superior.

Reitor Naomar e sua equipe da UFSB: magníficos!

Jorge Portugal é poeta, educador e secretário estadual de Cultura.
(Artigo publicado no Facebook da UFSB.)

Back To Top