skip to Main Content
9 de julho de 2020 | 08:42 am

AZEVEDO NÃO VAI

Tempo de leitura: < 1 minuto

Na próxima terça, 1º, às 11h30min, haverá transmissão de cargo de prefeito de Itabuna, no estacionamento do Centro Administrativo Firmino Alves. Certo é que o prefeito Capitão Azevedo lá não estará.

Ainda não foi definido o “premiado” que passará as chaves da Prefeitura de Itabuna ao novo gestor, Claudevane Leite, Vane do Renascer (PRB), que bateu Azevedo nas urnas por diferença de 1.107 votos.

ORÇAMENTO DE 2013 DE ITABUNA É APROVADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os vereadores de Itabuna aprovaram hoje à tarde, 28, o projeto de Lei Orçamentária para 2013. De acordo com a proposta que irá à sanção do prefeito Capitão Azevedo (DEM), o município terá orçamento global de R$ 414.315.000,00 no próximo ano.

O prefeito de Itabuna a partir do dia 1º de janeiro, Vane do Renascer (PRB), terá direito a suplementação de verba no percentual de 80% do orçamento, o que representa mais de 30% acima do percentual proposto originalmente (60%).

Tanto Vane como o vice-prefeito eleito, Wenceslau Júnior (PCdoB), se abstiveram de votar a proposta de lei, respeitando o Código de Ética do legislativo – que, de vez em quando, é lembrado!

VANE ANUNCIA SECRETARIADO E DIZ QUE ITABUNA PRECISA “DE NOVO MODELO DE GESTÃO”

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito eleito de Itabuna, Claudevane Leite (Vane do Renascer), acaba de anunciar o secretariado e os presidentes das fundações e da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) com os quais inicia o seu governo em 1º de janeiro. Evangélico, Vane fez agradecimento à sociedade e a Deus pela vitória e ainda brincou com a camisa que vestia, de cor verde, do PRB e “da esperança”.

Ele também falou que desde o primeiro momento após a vitória já estava trabalhando para que Itabuna não sofra processo de “descontinuidade”. Vane disse que pensa em fazer reforma administrativa ainda no primeiro momento do governo. O vice-prefeito Wenceslau Júnior, que assumirá a pasta do Planejamento, falou do processo de escolha e do projeto coletivo para colocar Itabuna no caminho do desenvolvimento econômico e social.

OS NOVOS SECRETÁRIOS
Administração – Mariana Duarte Alcântara
Agricultura e Meio Ambiente -Lanns Almeida Filho
Assistência Social – José Carlos Trindade
Controladoria-Geral do Município – Otton Matos
Desenvolvimento Urbano – Marcos Antônio Monteiro
Educação – Dinalva Melo
Esporte, Recreação e Cidadania – Evans Maxwel Silva
Fazenda – Marcos Antônio Cerqueira
Governo – Cleide Sousa de Oliveira
Indústria, Comércio e Turismo – José Humberto Ramos Martins
Planejamento – Wenceslau Júnior
Procuradoria-Geral do Município – Harrison Ferreira Leite
Saúde – Ubiratan Pedrosa
Transporte e Trânsito – Clodovil Soares
Fundação Marimbeta – José Teles da Silva Júnior
FICC – Roberto José da Silva
Emasa – Ricardo Campos Pereira
Fasi (Hospital de Base) – (ainda não definido)

ITABUNA: CANDIDATOS A PREFEITO GASTARAM “SÓ” R$ 1,35 MILHÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Candidatos informaram gastos de apenas R$ 1,35 milhão em 2012 (Montagem Pimenta).

A julgar pela prestação de contas final dos candidatos a prefeito de Itabuna, o município sul-baiano teve a campanha eleitoral mais barata para cidades de médio porte com emissoras de televisão. Os candidatos informaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) arrecadação de R$ 1.432.058,30 e gastos de (apenas) R$ 1.357.486,61.

De acordo com a prestação de contas, a campanha mais cara foi a da terceira colocada na disputa municipal. Juçara Feitosa (PT) informou ter arrecadado R$ 614.400,00. Os gastos de campanha somaram R$ 614.052,82.

As principais doações foram oriundas da Cervejaria Schincariol (R$ 50 mil) e de repasses do Diretório Nacional do partido (R$ 389.500,00). Juçara teve o voto mais caro desta eleição: R$ 36,47.

Eleito prefeito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB) arrecadou R$ 476.100,00 e gastos que totalizaram R$ 466.083,39. Quase metade dos recursos foi doação da UTC Engenharia e da direção nacional do partido (R$ 100 mil cada).

Moinho J Macedo, Engemont Construtora e Macro Construtora doaram, cada uma, R$ 50 mil. Vane foi eleito com 45.623 votos. Baseando-se na prestação de contas, cada  voto custou R$ 10,21.

Apesar de ter mais volume, a campanha do candidato à reeleição, Capitão Azevedo (DEM), arrecadou, oficialmente, R$ 339.616,90. Na prestação de contas, o comitê de campanha alegou gastos de R$ 275.409.00.

Dentre os maiores doadores da campanha de Azevedo, a Cervejaria Petrópolis (R$ 50 mil), Construtora Sul Bahia (R$ 30 mil) e Portal Comércio Varejista Médico, Hospitalar e de Limpeza (R$ 30 mil), além da M&S Construtora (R$ 20 mil). O voto à reeleição custou R$ 6,18.

O TSE ainda não havia informado, nesta manhã, a prestação de contas do candidato José Roberto (PSTU). Zem Costa (PSOL) informou arrecadação de R$ 11,40. Pedro Eliodório colocou R$ 1.930,00 do próprio bolso na campanha e gastou R$ 1.900,00. Cada voto saiu por R$ 2,69 no homem do bordão “farinha do mesmo saco, lixo da mesma lixeira”.

AMEAÇA DE EPIDEMIA DE DENGUE PREOCUPA VANE

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito eleito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), esteve reunido nesta quarta, 7, com o secretário de Saúde, Geraldo Magela. A pauta foi a ameaça de novo surto epidêmico em Itabuna neste verão. O alerta já foi dado pela Secretaria Estadual de Saúde.

Vane disse ter recebido tratamento cortês de Magela. Na reunião, ficou acordado o acesso da comissão de transição a informações que auxiliem na definição de medidas  para os primeiros dias de governo, em janeiro, e enfrentamento à dengue no município.

O contato do prefeito eleito é importante tendo em vista quadro relatado por agentes de combate à dengue. Dentre os problemas, falta de material de trabalho, desvio de função de pessoal e falta de qualificação técnica (relembre aqui).

VANE DIZ QUE PT DE ITABUNA PRECISA “SE ABRIR” E PROMETE GOVERNO COM PERFIL TÉCNICO

Tempo de leitura: 10 minutos

Vane do Renascer deixou o PT em 2011 para concorrer à prefeitura de Itabuna. Filiou-se ao PRB e derrotou não apenas a escolhida pelo antigo partido, Juçara Feitosa, como o prefeito Capitão Azevedo (DEM). A peleja não foi fácil. “Eleitoralmente, nós vencemos uma guerra”.

Agora, Vane trabalha em outra missão: compor a equipe de governo. Ele espera definir o secretariado até o dia 15 deste mês. Pelas informações colhidas, uma das áreas mais urgentes é a da Saúde. E o prefeito eleito promete trabalhar para que o município tenha o retorno da Gestão Plena logo no início do governo, em janeiro. Para isso, vai a Salvador nesta semana.

O futuro prefeito de Itabuna concedeu entrevista exclusiva ao PIMENTA na qual fala de temas espinhosos, anuncia trabalho conjunto com o prefeito eleito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), e avalia que o PT itabunense precisa “se reestruturar, se abrir”. Vane já fala em ter petistas no seu governo, mas exclui da lista a ala geraldista do antigo partido.

Confira a entrevista.

PIMENTA – O senhor já provou ser bom de urna, vencendo as três eleições que disputou, mas agora o desafio é outro. Como tem se preparado para administrar Itabuna?

VANE DO RENASCER – Eleitoralmente, nós vencemos uma guerra. Teremos governo sério, de austeridade, de redução de custos e de enxugamento da máquina para que possamos fazer os investimentos necessários. A preocupação é fazer governo com secretariado técnico, com planejamento, e atender com eficiência as necessidades da comunidade.

O sr. esperava embate eleitoral na intensidade como ocorreu?

Confesso que não esperava, pelo menos, da forma acentuada como foi. Em alguns momentos, pessoas perderam o equilíbrio, foram para a baixaria. Mostramos a verdade, aquilo que sentimos, e ganhamos a eleição de uma maneira muito ética e extremamente democrática.

O novo governo foi o primeiro no sul da Bahia a montar a sua equipe de transição. Com base nesses contatos e com as informações que o senhor já dispõe, como encontrará a máquina municipal?

A gente sabe e a comunidade percebe que Itabuna vive um momento difícil na administração pública. Nossa cidade tem uma infraestrutura que está abandonada, a saúde piora cada vez mais, o índice de violência cresce, Itabuna permanece suja, mal iluminada.

Como foram os primeiros contatos da equipe de transição com o governo?

A equipe foi bem recebida no primeiro contato. Eles não colocaram obstáculo algum. Não acredito que iremos ter dificuldades e entendemos que o prefeito José Nilton Azevedo é uma pessoa acessível. A partir desses contatos e das informações, chegaremos a um diagnóstico exato dos problemas, das dificuldades de Itabuna.

Dá para definir quais as prioridades dos 100 primeiros dias de governo?

Já fizemos contatos com a Caixa Econômica e alguns programas do governo federal precisam ser renovados, de obras federais que estão sendo feitas na cidade. Pela Caixa, temos 22 convênios e alguns se encerram agora. São 22 obras de saneamento, quadra de esportes, infraestrutura nos bairros. Então, já estamos vendo essa questão com a Caixa e entendemos que a questão inicial será mesmo na área da saúde.

______________

Queremos definir logo o secretário de Saúde, mas dentro de uma realidade. Não podemos atropelar esse processo.

______________

 

Quando será anunciado o secretário da Pasta?

Queremos definir logo, mas dentro de uma realidade. Não podemos atropelar esse processo.

O ex-secretário de Saúde Edson Dantas disse ao Diário Bahia que ele é nome provável para a pasta e que o senhor diretamente ventilou essa possibilidade. Ele seria o escolhido para a Saúde?

Hoje, temos o prefeito eleito e o vice eleito [Wenceslau Júnior]. Só! Não temos mais nada definido. Estamos começando a conversar sobre isso com os partidos.

Uma das questões comentadas agora é a coleta de lixo. O município vai criar cooperativa ou esse serviço continuará sendo executado por empresas?

Durante a campanha, falamos que teríamos empresa para fazer a coleta e também que criaríamos uma cooperativa para colocar essa mão de obra a serviço da limpeza pública e nós vamos realizar isso sim. Vamos criar essa cooperativa para que as pessoas, em maior número, possam estar contribuindo com a limpeza pública e que tenham retorno financeiro.

Outro detalhe, ainda na questão do lixo, é que a empresa já teria sido definida. O que há de verdade?

Não, não.

Fala-se, por exemplo, que a escolhida seria a Eco Limp, de Itabuna.

Pode ser, mas não temos nada definido. Isso será definido em janeiro.

Itabuna enfrenta problemas na destinação do lixo. A cidade até parou a coleta devido à falta de manejo no lixão [na semana passada]. O senhor tem alguma proposta para construção de aterro sanitário?

Itabuna e Ilhéus vivem momento muito bom. Nós apoiamos Jabes [Ribeiro] em Ilhéus, como ele nos apoiou aqui. Então, muitas ações serão conjuntas, inclusive o aterro sanitário. A legislação prevê que todos os municípios tenham aterro. Vamos tentar construir isso com Ilhéus e com outras cidades.

Ilhéus possui o aterro de Itariri, que enfrenta problemas. A proposta seria a construção de um novo aterro?

Sim, outro aterro. Claro que a gente vai tentar fazer isso, estreitando essa relação com Jabes [Ilhéus]. A gente já sinalizou que algumas coisas vão ser discutidas [conjuntamente]. Se for possível, faremos em conjunto. Do contrário, faremos sozinhos.

______________

O Complexo Intermodal, por ser obra grande e ter a questão ambiental, está lento, mas é uma conquista da região e temos certeza que o processo vai acelerar agora.

______________

Quais outros projetos, propostas que o sr. já pensa em construir de forma consorciada, conjunta com Ilhéus?

A própria duplicação da Ilhéus-Itabuna, o próprio Complexo Intermodal Porto Sul, que será em Ilhéus e nós precisamos discutir como melhor aproveitar essa oportunidade.

Existem críticas quanto à lentidão da implantação do projeto do Complexo Intermodal. O sr. compartilha dessa opinião?

O complexo, por ser obra grande e ter a questão ambiental, está lento, mas é uma realidade, uma conquista da região e temos certeza que o processo vai acelerar agora.

O senhor venceu o pleito a prefeito e logo foi afastado do mandato de vereador. Ainda há questionamento se o senhor assumirá ou não o mandato de prefeito. Há esse risco, o senhor assume no dia 1º de janeiro?

Não há essa possibilidade de não assumirmos o mandato. O que houve foi um afastamento liminar (preventivo) numa ação penal. O prazo para defesa nem foi aberto ainda. O que há é muita especulação. A parte jurídica está cuidando disso.

Muito se comenta da força do PCdoB na campanha do senhor e no governo eleito. Há até quem veja no conjunto comunista a personificação da “Joelma” de Vane. Qual será o estilo de governar do senhor?

O prefeito eleito é Vane. O PCdoB tem a sua parcela e os demais partidos, também. Todo mundo vai ter a sua oportunidade, terá vez no governo. Nós, democraticamente, vamos dar espaço aos partidos, que vão contribuir, colaborar com a administração.

_______________

O secretariado vai ser uma indicação política, mas o perfil do escolhido vai ser técnico.

______________

Qual vai ser o critério para montar o governo?

Não vamos abrir mão do secretariado ser de pessoas das áreas para as quais foram escolhidas. O secretariado vai ser uma indicação política, mas o perfil do escolhido vai ser técnico.
—–
Clique no link e confira respostas de Vane sobre choque de gestão, influência da Igreja Universal em seu governo, relação com os governos estadual e federal e participação do PT itabunense na gestão municipal

Leia Mais

VANE DEFINE MEMBROS DA COMISSÃO DE TRANSIÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito eleito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), encaminhou ao prefeito Capitão Azevedo (DEM) os nomes que irão compor a equipe de transição.

Os indicados são a advogada Cleide Oliveira, o médico Edson Dantas, o ex-vereador e economista Luís Sena, a psicóloga Mariana Alcântara, o contador Othon Matos, o vereador-suplente Rosivaldo Pinheiro e os técnicos José Antônio dos Santos, Marcos Cerqueira, Mariano Rabelo e Silas Alves.

A primeira reunião da comissão de transição será nesta sexta, às 10h, no Centro Administrativo Firmino Alves, com o controlador Antônio Calhau, que será o representante do governo que sai.

A CAIXA DE FÓSFORO E O BANCO

Tempo de leitura: 2 minutos

Cláudio Rodrigues | aclaudiors@gmail.com

A ação do MP coloca todos os membros da Câmara de Itabuna no mesmo nível. Tudo tem que ser apurado, porém separando alho de bugalho.

A ação desenvolvida pelo Ministério Público Estadual de Itabuna (MP) que culminou com o afastamento dos 13 vereadores da cidade, dentre esses o prefeito eleito Vane do Renascer e o seu vice, Wenceslau Júnior, é merecedora de muita reflexão. Como não poderia deixar de ser, o caso ganhou dimensão nacional, sendo um dos destaques do Jornal Nacional, da Rede Globo, na edição da quarta-feira, dia 10.

A ação penal do Ministério Público, denominada “Farra das Diárias”, além dos vereadores, atinge também alguns funcionário da casa legislativa. O prefeito e o vice-prefeito eleitos afirmam que, no período de 2009 a 2010, utilizaram diárias no valor de R$ 12.396,45 e R$ 11.167,09, respectivamente, o que totaliza R$ 23.563,54.

Por sua vez, o Tribunal de Contas dos Municípios ao analisar e rejeitar as contas do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, relativas aos exercícios de 2009 e 2010, constatou que há irregularidades insanáveis no valor de R$ 23 milhões, envolvendo dentre outras a empresa Marquise, que faz a coleta de lixo da cidade. Esse caso nos chama a atenção, e é o merecedor da reflexão pedida no início desse texto.

Com exceção do Ministério Público Eleitoral, que tem suas ações limitadas apenas ao processo da eleição, nenhum membro do MP de Itabuna se manifestou em relação a esse fato. A suposta “Farra das Diárias” de Vane e Wenceslau – que consumiu do dinheiro público R$ 23.563,54, deve ser apurada, assim como o caso dos R$ 23 milhões em irregularidades insanáveis na gestão Azevedo.

Não quero com isso dizer que os mais de R$ 23 mil de Vane e Wenceslau são um pecado menor que os R$ 23 milhões de Azevedo, pois como ensinou minha sábia avó, “quem rouba uma caixa de fósforo, também é capaz de roubar um banco”. Nesse fato há dois pesos e uma medida. Por que os R$ 23 mil dos dois vereadores motivaram afastamento e bloqueio de bens e os R$ 23 milhões do prefeito – pelo que se divulga – passaram batidos?

O prefeito e seu vice afirmam que as despesas de suas diárias foram utilizadas a bem do serviço público, em viagens para a capital baiana para batalhar pela construção do novo fórum, em visitas ao TCM para fiscalizar as contas da prefeitura, a participação em cursos no Rio de Janeiro ministrados pela IBAM e em Brasília na busca da implantação da Universidade Federal na região.

A ação do MP coloca todos os membros da Câmara de Itabuna no mesmo nível. Tudo tem que ser apurado, porém separando alho de bugalho. Como também devem ser apurados os prejuízos insanáveis apontados pelo TCM causados ao município pela gestão atual no período de 2009/2010.

Nesse processo que envolve o futuro prefeito e o seu vice, o princípio da inocência passou a ser o princípio da culpa. Todos são inocentes até que se prove o contrário, inclusive o prefeito Azevedo. Por isso, vamos refletir.

VANE: “NOSSOS FILHOS TERÃO UMA CIDADE MELHOR”

Tempo de leitura: 3 minutos

Vane do Renascer é cumprimentado por eleitora após vitória (Foto Pimenta).

Vane do Renascer (PRB), disse que buscará compensar com muito trabalho a vitória obtida nas urnas ontem, 7. O primeiro vereador a ser eleito prefeito de Itabuna, com 45.623 votos, derrotou o candidato à reeleição, Capitão Azevedo (DEM). “Tenho certeza absoluta que não vou decepcionar vocês”, disse.

Para Vane, o itabunense entendeu a “proposta de seriedade e compromisso de fazer de Itabuna uma cidade melhor”. “Nossos filhos terão uma cidade melhor, as nossas crianças terão uma cidade melhor”, completou.

Ao discursar para cerca de 20 mil pessoas na Avenida Princesa Isabel, em frente ao comitê central da campanha, Vane lembrou das “calúnias, perseguições e dos golpes baixos” sofridos durante a campanha. “Eu tenho 50 anos e nunca passei por isso”. E completou: “A verdade prevaleu. O bem venceu o mal e essa cidade será muito melhor”, disse.

Clique e confira discurso em vídeo do prefeito eleito

Tendo ao lado o vice, Wenceslau Júnior, e o presidente da Bahiagás e vice-presidente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães, o prefeito eleito encerrou o discurso prometendo recompensar a eleição “com trabalho e com toda dedicação porque ela merece”.

O candidato do PRB foi eleito tendo entre as suas principais promessas o Programa Cidade de Paz, um conjunto de ações que visam reduzir os índices de violência no município, e a Escola do Futuro, que promete a universalização do ensino em tempo integral para as séries fundamentais. Clique no “leia mais” e confira o discurso na íntegra.

Leia Mais

TRAVA DE MÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) foi quem puxou a trava da metralhadora giratória chamada Pedro Eliodório (PCB), ontem, no debate da TV Cabrália. O comunista incendiava o confronto com provocações fortes dirigidas a Azevedo e a Vane do Renascer (criou até as expressões “crimes de colarinho verde e colarinho azul”).

A acidez de Eliodório gerou direitos de resposta ao próprio prefeito e a Vane do Renascer (PRB). Vane foi na linha cordata, mais serena, mas foi antecedido por Azevedo, que deixou claro que iria processar Eliodório se os ataques continuassem na mesma intensidade.

Dali em diante, Pedro Eliodório aliviou mais nas críticas, temendo novos direitos de resposta… e processo. Não sem citar que possuía ali um calhamaço de denúncias e dizer que Azevedo copia duas ideias. Ao final, tascou:

– [É tudo] farinha do mesmo saco, lixo da mesma lixeira – diz.

Back To Top