skip to Main Content
24 de fevereiro de 2020 | 05:09 pm

VIEIRA TENTA AMENIZAR CRÍTICA A FG

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ao que parece, o médico Antônio Vieira, vice-prefeito de Itabuna, costuma às vezes acordar com uns arroubos de coragem que lhe estimulam a criticar o amigo de longa data, e ex-prefeito de Itabuna, Fernando Gomes. Mas o surto acaba rápido e logo o vice retoma o estado normal, voltando a afagar seu chegado.

O último surto se deu durante entrevista do médico à revista Contudo. Nesta, Vieira falou de um rombo de R$ 10 milhões encontrado na Secretaria da Saúde de Itabuna, dívida herdada do governo passado. Leia-se Fernando Gomes.

Ocorre que a febre passou e o vice-prefeito retorna às páginas da Contudo neste fim de semana, mas agora para colocar panos quentes e retratar-se pela “ousadia”. Respeitoso, ele afirmou que em momento algum atribuiu qualquer rombo ao ex-prefeito e, se assim lhe entenderam, é porque não se fez interpretar da maneira correta.

Durma-se com um barulho desses.

OS ELEITOS DITAM O RITMO

Tempo de leitura: < 1 minuto

A recomposição do governo itabunense por enquanto é ditada pelos deputados estaduais eleitos Augusto Castro (PSDB) e Coronel Santana (PTN). Coube ao primeiro indicar o substituto de Antônio Vieira na Saúde, enquanto o segundo deverá emplacar o novo titular da Secretaria da Assistência Social.

O nome que aparece com maior probabilidade de substituir o professor Formigli Rebouças é o da assistente social Bernizzeth Zorthea.

MAGELA TOMA POSSE NO DIA 4

Tempo de leitura: < 1 minuto

Segundo informações obtidas pelo PIMENTA, o professor de história Geraldo Magela será empossado na Secretaria da Saúde de Itabuna no próximo dia 4 de janeiro. O horário ainda não foi confirmado.
Magela, que tem pós-graduação na área da saúde pública, é indicação do deputado estadual eleito Augusto Castro (PSDB) e terá como principal desafio devolver a gestão plena da saúde a Itabuna.
O secretário que dá tchau, Antônio Vieira, que também é vice-prefeito, manifestou um último desejo ao prefeito José  Nilton Azevedo.  Detectando movimentações para que Antônio Carrero volte ao Departamento de Planejamento da Saúde, Vieira pediu encarecidamente que o nome seja vetado.
Por enquanto, a informação é de que o pleito será atendido.

VIEIRA DEVE DEIXAR A SAÚDE, MAS "NA PAZ"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Surgiram rumores na manhã desta quarta-feira, 15, de que o médico e vice-prefeito Antônio Vieira deixaria a Secretaria da Saúde de Itabuna. A decisão teria sido tomada após uma reunião da qual participaram o próprio Vieira, o secretário da Fazenda Carlos Burgos, o prefeito José Nilton Azevedo e o ex-prefeito Fernando Gomes.
A informação era a de que Vieira teria entregado o pedido de exoneração no início desta manhã, mas o secretário negou. Ele disse, porém, que a intenção de sair é real e deve ser concretizada em uma reunião com o prefeito Azevedo na próxima segunda-feira, 20.
Vieira também declarou ao PIMENTA que sai em clima de paz e que pretende colaborar com a Secretaria da Saúde após deixar o comando da pasta. “Não há briga com o prefeito, estamos bem e minha saída se deve também a uma necessidade de preservar a minha atividade profissional como médico, que estava sendo prejudicada”, assegurou.

CAPS AD ENFRENTA O MAIOR PERRENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Se o problema das drogas é uma preocupação social da maior gravidade, em Itabuna o tratamento que  o governo municipal confere ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) vai totalmente na contramão do que deveria ser a postura correta do poder público.

O Caps, que é mantido com verbas federais, é menosprezado pelo secretário municipal da Saúde, Antônio Vieira, que não disponibiliza os recursos mínimos para a prestação de um serviço digno. E ainda existem situações absurdas, como o funcionamento em um imóvel precário (o telhado ameaça desabar), de péssima localização e pelo qual o erário desembolsa um aluguel mensal de R$ 4.500,00.

Outra: um veículo (Kombi), que deveria ser usado para o deslocamento de pacientes do Caps, tem servido ao transporte de material de construção e até de animais. Um absurdo total!

ELIMINANDO O “CORPO ESTRANHO”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Informações de bastidores dão conta de que o secretário da Saúde de Itabuna está prestes a resolver uma de suas maiores dores-de-cabeça no comando da pasta, haja vista que comprometia a própria autoridade do gestor. Quem viu o secretário nesta segunda-feira, percebeu que seu semblante já era mais tranquilo do que na semana passada. Já o clima na antessala era de forte receio com a tábua-de-graxa iminente.

Vieira se encontra estrategicamente postado para dar o empurrão.

A SAÚDE EM “BOAS MÃOS”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Pense na seguinte situação: paciente na sala de cirurgia, entre a vida e a morte, e os dois médicos que realizam a operação começam a brigar feio, esquecendo do infeliz que se encontra estendido no leito…

Substitua o paciente pela saúde pública em Itabuna e troque os cirurgiões pelo secretário Antônio Vieira e o seu xará Antônio Carrero, diretor de Planejamento Estratégico da Secretaria Municipal da Saúde.

Na manhã desta quarta-feira (28), Vieira e Carrero participavam de uma reunião, quando começaram a se desentender. A discussão entre os dois elementos mais importantes da SMS não foi em tom ameno, chegando ao ponto do secretário ameçar exonerar e o subordinado desdenhar do chefe imediato, afirmando que ele não teria autoridade para pedir a sua cabeça.

 Criou-se uma situação de quebra de hierarquia que deixou Vieira totalmente fragilizado. Em outras palavras, o desafio de Carrero (que não deverá ser exonerado) significa que o secretário não tem o comando de sua pasta.

Isso é para o itabunense entender porque lá na outra ponta (nas unidades de saúde), a coisa anda cada vez mais feia. E com tendência (haja oração!) de piorar…

HIPERTENSÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário da Saúde, Antônio Vieira, passa por dias mais do que agitados. Ontem, soltou nomes à altura do maior prédio do mundo e disse em alto e bom som, nos corredores da prefeitura, que iria sair daquela p… (prefeitura…).

Quando tudo parecia mais calmo, achou de comparecer ao programa de Bom Dia, Bahia, na rádio Nacional, hoje. O secretário até que desenvolvia bem. Só não contava com a participação especial de um radialista que lhe tem como ídolo.

E foi então provocado se seria capaz de despertar nos trabalhadores da saúde sentimento (e manifestação) igual ao da ameaça de exoneração de Gustavo Lisboa, da Educação, que assistiu ao “fica, secretário”. Vieira caiu no jogo, perdeu as estribeiras e usou adjetivos para qualificar o radialista.

E explicou o motivo de tanto desdém e futrica de Val Cabral. Nas palavras de Vieira, o radialista anda choroso em relação ao governo porque o prefeito Azevedo não lhe promoveu a coordenador do programa DST e Aids. E não esquecendo de acrescentar que Val não foi escolhido para o cargo e deveria respeitar a escolha do capitão.

Daí em diante, e como se diz na linguagem dos gramados, foi só chute na canela.

SPARRING

Tempo de leitura: < 1 minuto
vieiraerenan

Vieira, alvo preferido de Renan.

Após ejetar o secretário de Saúde de Itabuna da sua chapa reeleitoral à provedoria da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, Renan Moreira parece ter tirado Antônio Vieira para “sparring”.

Estocadas em restrito e em público são direcionadas a Vieira – e devolvidas, naturalmente. A última delas foi desferida hoje, na TVI, durante o programa Fórum de Debates, apresentado pelo empresário e jornalista José Adervan. Ao analisar o ex-companheiro de provedoria, Renan atacou:

-É um excelente médico, mas péssimo administrador.

O telefone da emissora de tevê a cabo não parou de tocar – para alegria do apresentador e de convidados como Manuela Berbert e Paulo Lima.

DRAGON – NOSTRADAMUS AVISOU

Tempo de leitura: < 1 minuto
.

Enquanto isso, agentes de combate a endemias denunciam que a partir dessa segunda-feira (11), Itabuna estará sem o larvicida “Larvicita” (Temephos), usado no combate ao mosquito da dengue.

Segundo informações, no dia 4 de janeiro uma caçamba da prefeitura foi a Salvador em busca do produto na Divep. A carga seria de 3.000 quilos do produto (150 caixas do larvicida).

Agora, é rezar.

Às 18h40min.: A quantidade é considerada ideal para duas semanas de trabalho, segundo informam técnicos. Portanto, não haveria razões para alarme. A quem interessa esse joguinho?

Back To Top