skip to Main Content
28 de outubro de 2020 | 11:55 am

TRT JULGA "ABUSIVA" GREVE DOS VIGILANTES E DETERMINA RETORNO AO TRABALHO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Vigilantes estavam há nove dias em greve (Foto Zeka)

Vigilantes estavam há nove dias em greve (Foto Zeka)

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-BA) determinou o retorno imediato dos vigilantes ao trabalho na tarde desta quinta-feira (7), quando foi julgado o dissídio coletivo que tratou sobre a greve dos trabalhadores. Os vigilantes exigem pagamento de adicional insalubridade de 30%, que passou a vigorar em dezembro, por meio de lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff, mas até agora as empresas resistem à ideia.
O órgão considerou abusiva a paralisação da categoria, que começou no dia 26 de fevereiro. Por conta da “abusividade”, foi aplicada uma multa de R$ 50 mil, por dia – contando desde a deflagração da greve. A quantia será revertida, segundo o TRT-BA, para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e para o Conselho Tutelar da Criança do Adolescente.
O dissídio foi ajuizado no dia 25 de fevereiro pelo Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado da Bahia (Sindesp-BA), que representa os empregadores. Os trabalhadores são representados pelos sindicatos Sindivigilantes (do Estado da Bahia), Sindmetropolitano (de Camaçari e Região) e SVITABUNA (de Itabuna). A relatora foi a desembargadora Sônia França. Com informações do G1.

SEM DINHEIRO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Quem precisou realizar algum saque nas agências bancárias de Itabuna neste fim de semana, ficou mesmo de bolsos vazios. Nos monitores dos caixas eletrônicos, a informação era de que os equipamentos se encontravam indisponíveis tanto para retiradas quanto para depósitos. O problema é consequência da greve dos vigilantes, deflagrada no dia 26.
A expectativa é de que a situação seja parcialmente normalizada nesta segunda-feira, já que na sexta, 1º, o Tribunal Regional do Trabalho determinou que pelo menos 50% dos vigilantes retomem o serviço, sob pena de multa diária de R$ 50 mil ao sindicato da categoria.
A greve dos vigilantes está relacionada à exigência de cumprimento da lei que determina pagamento de adicional de 30% referente à periculosidade.

GREVE DOS VIGILANTES ENTRA NO 3º DIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Vigilantes protestam e conseguem impedir que carro-forte abasteça agência do Bradesco (Foto Zeka)

Vigilantes conseguem impedir que carro-forte abasteça agência do Bradesco (Foto Zeka)

Os vigilantes entraram hoje no terceiro dia de greve na Bahia para cobrar das empresas de segurança o pagamento dos 30% de adicional de periculosidade. O adicional deveria ser pago a partir de dezembro do ano passado, após sanção presidencial, mas as empresas se negam a pagar o benefício.
A paralisação dos vigilantes afeta vários serviços, principalmente os bancários. Nesta quinta pela manhã, 28, vigilantes em greve conseguiram impedir que um carro-forte da Prosegur abastecesse a agência do Bradesco da Avenida do Cinquentenário, em Itabuna, aos gritos de “fura-pneu” e apitaço.

VIGILANTES PARALISAM ATIVIDADES

Tempo de leitura: < 1 minuto
Categoria exige pagamento de 30% pela insalubridade (foto Blog do Thame)

Categoria exige pagamento de 30% do adicional de periculosidade(foto Blog do Thame)

Do Blog do Thame
Cerca de 100 vigilantes das agências bancárias de Itabuna paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (26). A greve é um protesto contra a falta de pagamento do adicional de periculosidade de 30%, garantido por lei desde dezembro de 2012.
A greve atinge todas das agências bancárias. Na entrada da agência do Banco do Brasil, no centro de Itabuna, os vigilantes promoveram manifestação cobrando o pagamento do adicional.
A paralisação também atinge parcialmente escolas e órgãos públicos. O Sindicato dos Vigilantes de Itabuna alega que os bancos só aceitam pagar o adicional de insalubridade a partir de fevereiro de 2014, o que não foi aceito pela categoria.

Back To Top