skip to Main Content
6 de junho de 2020 | 08:49 am

BUERAREMA: GOVERNOS QUEREM MEDIAR CONFLITO

Tempo de leitura: 2 minutos
Governador e ministro também se reuniram com representantes de órgãos ligados à questão indígena e à área da segurança (foto Alberto Coutinho)

Governador e ministro também se reuniram com representantes de órgãos ligados à questão indígena e à área da segurança (foto Alberto Coutinho)

Cautelosamente separados, representantes de índios e produtores rurais do sul da Bahia se reuniram nesta sexta-feira (25) com o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Foram seis horas de diálogo, primeiro com os agricultores, na Procuradoria Geral do Estado, e em seguida com lideranças indígenas, na Fundação Luís Eduardo Magalhães.

O que ficou encaminhado foi a proposta de uma mediação para facilitar a busca de entendimento na questão em torno da disputa de uma área de 47 mil hectares, que abrange fatias significativas dos municípios de Ilhéus, Buerarema e Una.

“O que garante a legalidade de qualquer ato é uma sentença do Poder Judiciário. Fora isso, só teremos a pacificação se as partes aceitarem a mediação que estamos tentando construir. O fundamental é não sacrificar as duas partes com esse ambiente de hostilidade permanente em Buerarema e esta é uma questão que o Estado brasileiro precisa resolver” – declarou Wagner.

A informação oficial é de que, até a próxima semana, Governo da Bahia e Ministério da Justiça assinarão um termo de cooperação técnica para formatar uma versão do Plano de Segurança com Cidadania, especificamente voltado para comunidades indígenas. O governador e o ministro também se reuniram ontem com representantes de órgãos ligados à questão indígena e da área de segurança

WAGNER E A SUCESSÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

O governador não perdeu sua intuição política. Não é nenhum neófito, iniciante, marinheiro de primeira viagem, bobo e desorientado. Continua sendo o Jaques Wagner de carne e osso.

Não tenho nenhuma dúvida de que o nome do governismo para disputar o Palácio de Ondina vai sair do Partido dos Trabalhadores (PT). E nenhuma hesitação de que a escolha está entre Rui Costa e Walter Pinheiro.

Rui Costa é o chefe da Casa Civil. A seu favor o fato inquestionável de que é o candidato da preferência do governador Wagner. Do lado do senador Walter Pinheiro, as pesquisas de intenção de voto.

De fora mesmo, sem perspectiva, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano, respectivamente secretário estadual de Planejamento e ex-prefeito de Camaçari.

Se não fosse o republicanismo do governador Wagner, reconhecido e enaltecido até pelos opositores, o martelo já teria sido batido: o candidato é Rui Costa e ponto final.

Na época do carlismo, sob a batuta de ACM, com o mandonismo a todo vapor, não teria nem discussão sobre a composição da chapa.

O desejo de ACM era uma ordem, o “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Correligionários do senador Walter Pinheiro defendem as consultas populares como critério para a escolha do candidato, já que a diferença entre ele e Rui é considerável.

O governador Wagner até que concorda com a opinião de que a pesquisa pode ser um indicativo, mas faz a seguinte ressalva: “Não é para mim o critério preponderante.”

Os pretendentes da base aliada são dois: Marcelo Nilo (PDT) e a senadora Lídice da Mata (PSB). A pré-candidatura do pedetista tem a compreensão de Wagner e do PT.

O engraçado fica com Lídice. Ela quer o apoio de Wagner para o Palácio de Ondina fazendo campanha para Eduardo Campos (PSB) para o Palácio do Planalto.

Leia Mais

NILO DIZ QUE PODE FAZER MAIS QUE WAGNER

Tempo de leitura: 2 minutos
Nilo é reeleito presidente da Assembleia Legislativa baiana.

Deputado considera que Wagner merece “nomes melhores”

O grupo do governador Jaques Wagner deverá anunciar no próximo dia 15 quem será seu candidato à sucessão estadual e o petista Rui Costa, secretário da Casa Civil, aparece como o preferido do chefe do executivo. O PT, além disso, não abre mão de ter candidato próprio encabeçando a chapa majoritária, mas…

… A parada não é vista como definida pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo, do PDT. Nesta manhã, em entrevista ao programa Balanço Geral (Rádio Sociedade), o deputado afirmou ter reunido em um almoço 64 prefeitos e 41 deputados, no mesmo dia em que a presidenta Dilma Rousseff esteve na Bahia para assinar o contrato do metrô de Salvador e entregar apartamentos em Vitória da Conquista.

“Disputei horário político com a presidente Dilma Rousseff, que tem tinta na caneta”, declarou o parlamentar, que está há quatro mandatos na presidência da Assembleia Legislativa da Bahia. Em outro momento da entrevista, concedida a Armando Mariani, Nilo declarou: “Eu teria seriedade e tranquilidade em manter tudo de positivo do governo Jaques Wagner, mas, se eu for governador da Bahia, eu farei muito mais”.

Segundo o deputado, a confiança que ele deposita em si mesmo se deve ao fato de ter observado o que o atual governo fez de positivo e de negativo. A respeito dos pré-candidatos petistas ao governo, o presidente da Assembleia deixou escapar a seguinte avaliação:

“Politicamente, o governador merecia nomes melhores”.

QUEDA DE BRAÇO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Wagner confirma fábrica em Itororó (Foto Pimenta).

Foto Pimenta

Coluna Radar (Veja)

Por pouco a Bahia não perdeu o sorteio da Copa do Mundo, marcado para dezembro. A Fifa queria 15 milhões de reais do governo baiano para realizar o evento, m as conseguiu arrancar apenas 6,4 milhões de reais de Jaques Wagner. A Fifa ameaçou com um plano B, mas recuou.

LÍDICE E NILO

Tempo de leitura: < 1 minuto

lidnilo

Ao mesmo tempo em que tenta conseguir o que é praticamente impossível: ser a candidata de Wagner para encabeçar a chapa majoritária em 2014, a senadora Lídice da Mata (PSB) opera em outra frente. A estratégia é atrair o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), para sua chapa. No caso, Nilo seria o candidato a vice.

Em tempo: o deputado ainda tenta, assim como a senadora, obter as bênçãos do governador para uma sonhada candidatura ao principal cargo político do Estado. Caso não consiga, a união com o PSB poderá se tornar uma opção.

QUEM NÃO É VISTO…

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rui Costa: cada vez mais candidato

Há uma máxima em política segundo a qual “quem não é visto não é lembrado”. Ontem (15), na assinatura do contrato das obras do metrô de Salvador pela presidenta Dilma Rousseff e o governador Jaques Wagner, modificaram o ditado, já que as ausências de pré-candidatos petistas ao governo acabaram chamando atenção.

De acordo com sites da capital, o senador Walter Pinheiro e o secretário estadual de Planejamento José Sérgio Gabrielli não deram as caras na cerimônia. O ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, apareceu, mas não ficou até o final.

Quem “passeou” livre, leve e solto foi o secretário da Casa Civil, Rui Costa, aquele que as bolsas de apostas têm como o nome da preferência do governador Jaques Wagner, embora este negue, sem convencer, ter predileções.

Na real, os pré-candidatos que não foram vistos ontem podem ter sido lembrados. Mas é  pouco provável que, no próximo dia 15 de novembro (data marcada para a definição) um deles seja escolhido para a disputa.

DILMA ASSINA CONTRATO DO METRÔ DE SALVADOR E ENTREGA CASAS EM CONQUISTA

Tempo de leitura: 2 minutos
Wagner e Dilma assinam contrato de obra do metrô. Previsão é de que primeiro trecho esteja operando em junho do ano que vem (foto Alberto Coutinho/Secom)

Wagner e Dilma assinam contrato de obra do metrô. Previsão é de que primeiro trecho esteja operando em junho do ano que vem (foto Alberto Coutinho/Secom)

A presidenta Dilma Rousseff e o governador da Bahia, Jaques Wagner, participam nesta terça-feira, 15, em Salvador, da assinatura do contrato de concessão do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. No mesmo dia, os dois entregam 1.740 residências do programa “Minha Casa, Minha Vida” em Vitória da Conquista.

A cerimônia em Salvador será realizada às 9h30, no Gran Hotel Stella Maris. O contrato de Parceria Público-Privada (PPP), a ser assinado com a Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), prevê a conclusão da Linha 1 e implantação da Linha 2 do metrô. De acordo com os prazos estabelecidos na concessão, o trecho da estação Lapa até a estação Retiro entrará em funcionamento em junho de 2014; já a operação comercial no trecho Lapa – Pirajá está prevista para começar em janeiro de 2014. A concessão terá duração de 30 anos.

A CCR venceu o leilão do metrô em agosto, com proposta que prevê contrapartida anual de R$ 127,6 milhões do Estado. O valor representa um deságio de 5,05% em relação ao teto do edital, que era de R$ 136 milhões.

Conquista – A entrega de apartamentos em Conquista está programada para as 11h30, no bairro Senhoria Cairo. Serão entregues os residenciais Jequitibá, com 500 unidades, Ipê (366), Pau Brasil (374) e Acácia (500). De acordo com o governo baiano, o empreendimento do “Minha Casa, Minha Vida” beneficiará 7 mil pessoas.

PROJETO QUE ATENDE PESCADORES TEM LANÇAMENTO ADIADO EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Em novembro de 2012, Wagner não escondeu sua frustração com a obra do Terminal Pesqueiro (foto Pimenta)

Seria lançado nesta sexta-feira, 11, em Ilhéus, o programa “Ação Cidadã Pescando o Futuro”, que tem como proposta a inclusão social de pescadores, marisqueiras e caranguejeiros.  O lançamento ocorreria no Terminal Pesqueiro da cidade e contaria com as presenças do governador Jaques Wagner; do ministro da Pesca, Marcelo Crivella; e do presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto.

Ontem, dia 10, a Prefeitura de Ilhéus anunciou que o evento fora adiado. Segundo a Bahia Pesca, o motivo do adiamento seria um conflito de agenda do governador.

Em Ilhéus, porém, o tal conflito é visto por alguns como pretexto. A verdadeira razão seria o descontentamento de Wagner com o resultado ainda não percebido do investimento de R$ 13 milhões na instalação do Terminal Pesqueiro de Ilhéus. Uma insatisfação que o governador demonstrou já no dia da inauguração do equipamento.

MINISTRO QUER CONVERSAR COM ÍNDIOS E PRODUTORES RURAIS EM BUERAREMA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Wagner e Cardozo conversaram sobre o conflito em Buerarema

Wagner e Cardozo conversaram sobre o conflito em Buerarema

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, recebeu nesta terça-feira, 8, em Brasília, o governador da Bahia, Jaques Wagner. O assunto tratado pelos dois foi o conflito entre índios e pequenos produtores rurais no sul da Bahia, principalmente em Buerarema.

Cardozo defendeu uma solução dialogada e se comprometeu a visitar a região, sinalizando como data provável da visita o dia 25 de outubro. A intenção do ministro é ouvir ambos os lados envolvidos no conflito, o que foi confirmado por Wagner.

Segundo o governador, a agenda do ministro da Justiça no sul da Bahia “será elaborada de forma que possa ter contato com os índios e com os produtores rurais”.  Wagner elogiou a decisão de Cardozo de verificar a situação pessoalmente.

A audiência em Brasília contou também com a presença do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra.

DEZ SECRETÁRIOS DO GOVERNO WAGNER DEVEM DISPUTAR ELEIÇÕES EM 2014

Tempo de leitura: < 1 minuto
Robinson confirmou desejo de disputar vaga à Câmara Federal.

Robinson confirmou desejo de disputar vaga à Câmara Federal.

Pelo menos dez dos 26 secretários estaduais devem deixar os seus respectivos cargos até dezembro deste ano para disputar as eleições de 2014. O prazo de desincompatibilização vence em 5 de abril do próximo ano, mas o governador Jaques Wagner alertou a quem deseja participar do pleito eleitoral a necessidade de sair até dezembro.

De acordo com matéria d´A Tarde, a fila de secretários-candidatos tem Eduardo Salles (PP), da Agricultura; Wilson Brito (PP), da Integração e Desenvolvimento Regional;  e Paulo Câmera (PDT), da Ciência e Tecnologia. Dois nomes certos na disputa por vaga na Câmara dos Deputados são Jorge Solla (Saúde) e Robinson Almeida (Comunicação Social).

A lista é completada por Moema Gramacho (PT), do Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza; Domingos Leonelli (PSB), secretário do Turismo. Outros nomes são tidos como potenciais candidatos: Cícero Monteiro, do Desenvolvimento Urbano; Almiro Sena (PRB), da Justiça; Ney Campello (PCdoB), da Secopa; e Elias Sampaio (PT), da Promoção da Igualdade.

Back To Top