skip to Main Content
31 de março de 2020 | 08:27 pm

DO FUNDO DO BAÚ

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ontem (18), o governador Rui Costa fez aniversário. Correligionários e amigos prestaram homenagens ao mandatário baiano. Em sua conta no microblog Twitter, o deputado estadual Rosemberg Pinto postou foto de quase 30 anos. Nela, Rosemberg ainda conserva bigode e o governador aparece de óculos, barba e bigode. Os óculos foram abandonados na campanha a governador, em 2014. Ao lado, aparece o ex-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner.

WAGNER DIZ QUE OPOSIÇÃO NÃO TEM TIME PARA 2018: “ESTÁ SOBRANDO VAGA”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Wagner: falta jogador à oposição || Foto Pimenta/Arquivo

Ex-governador da Bahia e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner desconversou sobre a disputa por vagas ao Senado na chapa majoritária do governador Rui Costa em 2018.

“[A chapa] tem dois nomes carimbados, o do governador e o do vice-governador, [João Leão]. Eu não sou o técnico. Eu sou o auxiliar técnico. Dou opinião, mas o técnico é ele”, afirmou em entrevista ao PIMENTA.

Wagner disse que o governador tem o que ele mesmo chamou de “bom problema”: nós temos mais jogadores que vagas no time, enquanto no outro time [de ACM Neto], está sobrando vaga, não tem jogador”, disse, sorridente, o ex-governador baiano.

A base aliada de Rui Costa tem cinco nomes disputando as duas vagas ao Senado. “Tem meu nome, tem o de Lídice [da Mata], o PSD reivindica, [Ronaldo] Carletto (PP) reivindica, o PCdoB reivindica… Agora, nós saberemos ter maturidade, até porque acho que o grupo está muito unido e todos cresceram. Eu não acredito em racha”.

Para Wagner, se for encontrado um critério objetivo para a definição dos nomes para o Senado, “as pessoas [não escolhidas] vão se conformar”. Porém reconhece ser difícil “que todo mundo vá ficar satisfeito”.

GASPARI: WAGNER É O PLANO B DO PT

Tempo de leitura: < 1 minuto

Wagner é o Plano B do PT, diz Gaspari

Quem conhece o PT e as dinâmicas de campanhas eleitorais suspeita que o verdadeiro candidato do comissariado na hipótese do afastamento de Lula é o ex-governando baiano Jaques Wagner. Fernando Haddad seria um biombo.

Com três mandatos de deputado, Wagner governou a Bahia durante oito anos e elegeu seu sucessor. Além disso, foi ministro-chefe da Casa Civil, das Relações Institucionais, do Trabalho e da Defesa. Mais: o baiano é nordestino e carioca.

Jaques Wagner seria o primeiro candidato a presidente judeu.

Da Coluna de Elio Gaspari, na Folha

COM CARAVANA DE LULA, PT CHEGA A 100 MIL FILIADOS NA BAHIA

Tempo de leitura: 2 minutos
Rui Costa, Lula e Wagner durante caravana baiana || Foto Divulgação

Rui Costa, Lula e Wagner durante caravana baiana || Foto Divulgação

Elio comemora "Efeito Lula" na Bahia

Elio comemora “Efeito Lula” na Bahia

O diretório baiano do PT comemorou os resultados obtidos pelo partido, no estado, com a passagem da Caravana de Lula. O ex-presidente teve agenda intensa de compromissos na última semana na Bahia e a exposição rendeu 3.883 novas filiações e outros 1.643 pedidos de filiação partidária.

– A população baiana sempre teve uma relação muito forte com o PT, mas a gente acredita que este grande número, num curto período, é fruto do anúncio da vinda à Bahia da nossa maior liderança, o ex-presidente Lula – avalia o secretário de Organização do PT, Elio Santana.

A população baiana, frisa o secretário de Organização, elegeu e reelegeu o petista Jaques Wagner no primeiro turno. Com relação a Dilma, cita, a presidente eleita foi a mais votada no pleito de 2014, no segundo turno, em 416 dos 417 municípios baianos.

O dirigente petista também enumera a eleição de Rui Costa, a exemplo de Wagner, também no primeiro turno nas eleições de 2014. Para completar, o PT elegeu as maiores bancadas federal e estadual. “Com estes novos integrantes, o PT da Bahia atinge 100 mil filiadas e filiados,” comemora Elio Santana.

ANUNCIAÇÃO E O “VOLTA, WAGNER”

Tempo de leitura: < 1 minuto

marco wense1Marco Wense

 

O PT sabe com quem mexe. E logo quem, o Coronel, que pode a qualquer provocação chutar o pau da barraca.

 

Jaqueses Wagner, de maneira incisiva, descartou qualquer possibilidade de sair candidato ao Palácio de Ondina na eleição de 2018.

“Chance zero”, disse o ex-governador e atual secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, se mostrando surpreso com o assunto e até irritado.

“Não existe nenhum movimento neste sentido na base aliada. Isso deve ter partido do lado de lá”, desabafou o não menos chateado Everaldo Anunciação, presidente do PT da Bahia.

Até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que só tem uma hipótese que poderia levar Wagner para a disputa: uma acentuada impopularidade do governo Rui Costa.

O risco de uma não reeleição levaria o petismo a convencer Wagner a sair candidato. A última pesquisa aponta um empate técnico entre Rui e ACM Neto, com o prefeito de Salvador na frente.

Acontece que o “Volta Wagner” não foi parido na oposição, como insinua Anunciação. Surgiu pela voz do inquieto Ângelo Coronel, filiado ao PSD do senador Otto Alencar.

Como o Coronel é o presidente da Assembleia Legislativa, e desses que não tem papas na língua, o PT preferiu atribuir a origem do “Volta Wagner” ao oposicionismo.

O PT sabe com quem mexe. E logo quem, o Coronel, que pode a qualquer provocação chutar o pau da barraca.

Marco Wense é editor d’O Busílis.

E AGORA, PT?

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

 

O PT vai ser solidário com Wagner ou ficar do lado de Fernando Gomes, que não quer saber de PT, PT, PT de jeito nenhum?

 

Esse Fernando Gomes não é fácil. Esperou o resultado final do julgamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para dizer que não tem compromisso nenhum com o PT.

Cozinhou o PT em banho-maria. Usou, usou e agora descartou. E para mostrar sua independência, ainda disse, com todas as letras maiúsculas, que não vai votar em Jaques Wagner para o Senado.

“Eu apoio Rui Costa, não tenho compromisso com Wagner e nem com o PT”, verberou o prefeito de Itabuna, deixando claro que o ex-governador é adversário político.

E mais: em conversas reservadas, no chamado núcleo duro do fernandismo, já há uma decisão de não apoiar uma eventual candidatura de Lula – ou de qualquer outro petista – na eleição presidencial de 2018.

E agora? Como é que o comando estadual do PT, sob a batuta de Everaldo Anunciação, vai se comportar diante da “rebeldia” do alcaide?

O PT vai ser solidário com Wagner ou ficar do lado de Fernando Gomes, que não quer saber de PT, PT, PT de jeito nenhum?

Fernando Gomes pode até usar a expressão da ex-presidente Dilma Rousseff: Nem que a vaca tussa eu apoio Lula, Wagner e nem deputado do PT.

Que coisa, hein! Coisas da política. Do movediço e traiçoeiro mundo político.

Marco Wense é o editor d´O Busílis.

WAGNER NA FRENTE

Tempo de leitura: < 1 minuto

marco wense1Marco Wense

 

Para os partidos políticos – e aí não tem exceção, são todos iguaizinhos –, pesquisa boa é a que coloca os seus candidatos na frente.

 

 

Na coluna de ontem, comentei sobre a sondagem do instituto Paraná Pesquisas que aponta ACM Neto (DEM) na dianteira na disputa pelo Palácio de Ondina.

Disse que a consulta foi boa para a oposição, que passa a acreditar que a reeleição de Rui Costa não é favas contadas, e para o governismo, que deve colocar os pés no chão e frear o desaconselhável “já ganhou”.

Assim que saiu o resultado da enquete, o PT tratou logo de desqualificar a empresa, que a Paraná Pesquisas não tem credibilidade.

Quando os petistas souberam que Jaques Wagner lidera as intenções de voto para o Senado, amenizaram as críticas. O instituto passou a ser confiável.

O desdém inicial rapidamente se transformou em uma incontida vontade de saber a posição do ex-governador, principalmente em relação ao senador Otto Alencar (PSD).

Para os partidos políticos – e aí não tem exceção, são todos iguaizinhos –, pesquisa boa é a que coloca os seus candidatos na frente.

Vale lembrar que o levantamento da Paraná Pesquisas foi encomendado pela Rede Record. Só falta dizer que a televisão é antipetista e cabo eleitoral de ACM Neto.

Marco Wense é editor d´O Busílis.

CAMACAN: FÁBRICA DE CALÇADOS ENTRA EM OPERAÇÃO EM JULHO

Tempo de leitura: 2 minutos
Chave de imóvel para unidade da Sua Cia foi entregue hoje (Foto João Ramos/SDE-BA).

Chave de imóvel para unidade da Sua Cia foi entregue hoje (Foto João Ramos/SDE-BA).

A unidade da Sua Cia em Camacan, no sul da Bahia, entrará em fase de montagem de linha de produção e treinamento de funcionários e deverá começar a fabricar calçados em julho. Serão gerados 600 empregos no município, de acordo com a Lia Line, indústria detentora da marca Sua Cia.

Nesta segunda (29), Irivan Soares, diretor do Grupo Lia Line, recebeu as chaves do galpão. A entrega foi feita pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, acompanhado de prefeitos e dos deputados Rosemberg Pinto (PT) e Davidson Magalhães (PCdoB).

– A parceria com o Governo do Estado tem sido a melhor possível. Nossos investimentos dão o retorno esperado e, em contrapartida, empregamos milhares de pessoas em várias regiões. Todos saem ganhando – afirmou Irivan.

O investimento na unidade em Camacan, no sul da Bahia, será de R$ 5,8 milhões de acordo com o diretor. A estimativa é de que a empresa produza em torno de 600 mil pares de calçados femininos em Camacan.

A unidade vai ocupar um galpão antes utilizado pela Malwee. A inauguração da fábrica está prevista para o início do segundo semestre deste ano. O Grupo Lia Line gera 2,5 mil empregos na Bahia, com unidades no centro-sul e na região sisaleira baiana.

EMPENHO

Citado por Irivan e pelo prefeito Oziel da Ambulância pelo empenho em trazer a unidade da Sua Cia para o município de Camacan, o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) ressaltou o compromisso dos governos petistas na Bahia em gerar empregos e renda. Já o deputado federal Davidson Magalhães, citou os novos empreendimentos, apesar da crise econômica nacional.

EM CAMACAN, WAGNER DEFENDE ELEIÇÃO DIRETA EM OUTUBRO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Wagner defende realização de eleições diretas em outubro deste ano (Foto Daniel Thame).

Ladeado por Rosemberg e Davidson, Wagner defende eleições diretas em outubro deste ano.

O ex-governador Jaques Wagner (PT) defendeu, hoje (29), em Camacan, no sul da Bahia, a votação de emenda constitucional que permita a antecipação da eleição direta a presidente da República, com o pleito ocorrendo em outubro deste ano. “A situação [do Brasil] é muito difícil”, disse ele, reforçando que o país precisa de presidente eleito com a “chancela do voto popular”.

– Nenhum presidente que sente na cadeira sem a chancela do voto popular terá o peso e a representatividade para fazer as modificações necessárias – justificou.

Hoje secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Wagner disse que, ao defender as eleições diretas, não está desqualificando o Congresso. “Se o Temer renunciar ou cair, qualquer nome que se apresentar será de brasileiros com valor, mas, [por eleição indireta, com o presidente sendo escolhido por deputados e senadores], faltará o essencial: a legitimidade do voto popular para conduzir o Brasil”.

Nesta segunda, Wagner esteve em Camacan para a entrega de galpão onde funcionará mais uma unidade da Lia Line. No município sul-baiano, serão produzidos calçados femininos de uma das marcas da empresa catarinense, os calçados Sua Cia. A estimativa é de que sejam produzidos mais de 600 mil pares de calçados ao ano.

WAGNER ENTREGA GALPÃO À LIA LINE; EMPRESA VAI GERAR 600 EMPREGOS EM CAMACAN

Tempo de leitura: 2 minutos
Protocolo para instalação de indústria em Camacan foi assinado em março (Foto Divulgação).

Protocolo para instalação de indústria em Camacan foi assinado em março (Foto Divulgação).

Wagner fará a entrega do galpão em Camacan.

Wagner fará a entrega do galpão em Camacan.

Na próxima segunda-feira (29), às 10h, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, fará a entrega de um galpão ao Grupo Lia Line no município de Camacan, sul da Bahia, para produção de calçados femininos da marca Sua Cia. O galpão fica na Avenida dos Pioneiros e será a 10ª unidade do grupo no estado.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, serão investidos R$ 5,8 milhões na fábrica que vai gerar 600 novos empregos na região, com a estimativa de produzir 600 mil pares por ano, quando a unidade estiver com sua capacidade plena de operação.

“Na preferência das empresas calçadistas, a Bahia atrai mais uma unidade do grupo Lia Line, nosso parceiro há quatro anos. Vamos levar incremento socioeconômico e produtivo para região, proporcionado a redução das desigualdades sociais”, afirma Wagner.

O grupo já produz cerca de 20 mil pares de calçados por dia no Estado, gerando 2.200 empregos diretos. Concentra mais de 90% de sua produção na Bahia, que é destinada para clientes em todo o Brasil e para o exterior.

Back To Top