skip to Main Content
16 de maio de 2021 | 03:54 am

WAGNER, GERALDO E O PT

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense 

A verdade é filha do tempo. E o tempo, como senhor da razão, vai mostrar que os seguidos erros de Geraldo Simões – alguns até infantis – podem levá-lo para o isolamento político.

O governador Jaques Wagner faz um esforço sobrenatural para entender o político Geraldo Simões. Fica mais abismado quando compara o Geraldo de ontem com o Geraldo de hoje.

O irreverente jornalista Eduardo Anunciação diria que o Geraldo Simões de priscas eras, na época de “minha pedinha”, é o oposto do Geraldo Simões de agora.

Anunciação, comentarista político do Diário Bahia, tem razão quando diz que GS “está precisando com urgentíssima-urgência perceber alguns episódios, alguns erros, alguns fatos, falhas”.

Wagner também não entende como é que Geraldo Simões consegue, concomitantemente, se atritar com as legendas da base aliada, suas respectivas lideranças e com os próprios companheiros.

Das agremiações partidárias de maior expressão, obviamente do cenário baiano, apenas o PSB e o PDT de Acácia Pinho acompanharam a então candidata Juçara Feitosa na última sucessão municipal.

O fato de Juçara ser a suplente da senadora Lídice da Mata, que é a comandante-mor do PSB, contribuiu para que petistas e socialistas ficassem no mesmo palanque.

O PSB, no entanto, assim como o PDT, ficou dividido entre as candidaturas de Juçara e Vane do Renascer. A ala histórica do brizolismo grapiúna decidiu pelo apoio ao candidato do PRB.

Vale ressaltar que Acácia Pinho foi protagonista de uma enxurrada de discursos contra o capitão Azevedo e Geraldo Simões. A neopedetista pregava o fim da “mesmice”, aí incluindo o ex-prefeito Fernando Gomes.

Ao romper com a frente partidária, que terminou optando por Wenceslau Júnior como vice de Vane, Acácia se aproximou do capitão Azevedo com o intuito de integrar a chapa majoritária.

O comando estadual do PDT daria o aval para a estranha aliança, já que todas as pesquisas de intenção de voto apontavam Azevedo em uma posição confortável. Sua reeleição era considerada como favas contadas.

Leia Mais

VANE DEFINE SECRETARIADO ATÉ DIA 15

Tempo de leitura: < 1 minuto

Vane: secretariado até dia 15.

O prefeito eleito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), espera anunciar a sua equipe de secretários, no máximo, até dia 15 de novembro. A preferência, disse, será por nomes que se encaixem no perfil da mudança prometido durante a campanha eleitoral. “Estamos conversando com os partidos e queremos anunciar todo o secretariado até dia 15 [de novembro]”, afirmou em entrevista exclusiva ao PIMENTA. A íntegra será publicada na segunda, 5.

A partir da definição do secretariado e com o diagnóstico inicial da máquina administrativa, o prefeito eleito quer articular as ações prioritárias para os primeiros cem dias de governo. Uma das grandes preocupações é a área da Saúde. Ele afirmou que buscará um quadro técnico e a conversa com os partidos aliados tem avançado. Mas fez um alerta:

– Certos (definidos) até agora na equipe, só os eleitos [em 7 de outubro] –  respondeu, numa referência a ele próprio e ao vice, Wenceslau Júnior (PCdoB), que acompanhou a entrevista.

Nesta quinta, 1º, Vane e o vice, Wenceslau Júnior (PCdoB), devem ter encontro com o prefeito Capitão Azevedo (DEM) para tratar de transição de governo. O prefeito eleito afirma ter sido muito proveitoso o contato inicial da sua equipe de transição com o atual governo, ocorrido há duas semanas.

CONTRATOS TERÃO DE SER PRORROGADOS PARA CONCLUSÃO DE OBRAS EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Durante reunião no Escritório de Negócios, Vane recebeu raio-x de convênios.

Um raio-x da Caixa Econômica Federal repassado ao governo eleito de Itabuna revela que o município recebeu R$ 102 milhões em investimentos federais em áreas como saneamento básico, habitação e saúde.

A Caixa é o agente financeiro de, pelo menos, 22 projetos financiados pelo governo federal em Itabuna. O município tem, formalizado, 12 contratos que serão encerrados em 30 de novembro e 20 deverão ser prorrogados para que as obras possam ser concluídas.

O retrato foi repassado por dirigentes da Superintendência Regional da Caixa em reunião ocorrida hoje, no Escritório de Negócios da instituição, na Avenida do Cinquentenário. Da reunião, participaram o prefeito eleito, Vane do Renascer (PRB), e o vice, Wenceslau Júnior (PCdoB).

O ALVO AGORA É HELENILSON

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado federal Geraldo Simões não para de (tentar) acumular inimigos. Tem obtido muito sucesso na missão. A vítima do momento é o empresário Helenilson Chaves, diretor-presidente do Grupo Chaves.

Geraldo ficou enciumado com a proximidade de Helenilson com Vane do Renascer (PRB), prefeito eleito de Itabuna, e o vice-prefeito Wenceslau Júnior (PCdoB).

A ELEIÇÃO DE VANE

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Vane do Renascer foi eleito prefeito de Itabuna devido a vários fatores. O principal deles, o imprescindível, o “condicio sine qua non”, foi o rompimento político com o deputado Geraldo Simões.

Discordo da opinião de que Claudevane Leite, o Vane do Renascer (PRB), ganharia a eleição se saísse candidato a prefeito pelo PT de Geraldo Simões com Juçara Feitosa na vice.

A intransigência petista, não abrindo mão de uma chapa puro sangue, com PT e PT, provocaria uma cisão, ainda maior, nas intituladas forças de oposição ao governo Azevedo (DEM).

PCdoB, PDT, PPS e o PV formariam uma nova coligação, com Davidson Magalhães (ou Luís Sena) encabeçando a majoritária. A pedetista Acácia Pinho seria a candidata a vice-prefeita.

Não sei se essa formação encarnaria o novo, a tão desejada “mudança”. Mas representaria um chega-pra-lá no governismo e, principalmente, no geraldismo.

Essa divisão oposicionista, com comunistas de um lado e petistas do outro, aí incluindo Vane do Renascer, beneficiaria o projeto de reeleição do capitão Azevedo.

A disputa entre a oposição 1 e a oposição 2 seria mais acirrada. Em decorrência desse equilíbrio, o voto útil, responsável pela vitória de Vane, ficaria inibido.

A certeza, de ambos os lados, de que o seu candidato estaria na frente, afastaria o eleitor do voto útil. O candidato do DEM seria reeleito com a mesma quantidade de votos que obteve nessa sucessão.

Concluindo, diria que Vane do Renascer foi eleito prefeito de Itabuna devido a vários fatores. O principal deles, o imprescindível, o “condicio sine qua non”, foi o rompimento político com o deputado Geraldo Simões.

AUGUSTO CASTRO

Quando o assunto é a sucessão municipal de Itabuna, com o viés direcionado para 2016, o deputado estadual e prefeiturável Augusto Castro (PSDB) é o grande perdedor.

A não-reeleição do capitão Azevedo colocou um monte de areia branca na pré-candidatura do tucano, que tinha o apoio do chefe do Executivo como favas contadas.

O insucesso da vereadora Rose Castro, que é irmã do parlamentar, não conseguindo o segundo mandato, é café pequeno diante da derrota do candidato do DEM.

E mais: o capitão Azevedo, se não for alcançado pela Lei da Ficha Limpa, mantendo seus direitos políticos, será candidato a deputado estadual.

VEREADORES IRRESPONSÁVEIS

Não votam as contas do Executivo, não fazem nada e nada acontece. Apostando na impunidade, debocham da justiça e desdenham a lei orgânica do município.

Conversei com o bom advogado Carlos Sodré sobre a falta de uma exemplar punição para a omissão dos vereadores diante da votação das contas do prefeito.

Ficamos de ter uma segunda conversa. Mas adiantei que defendo a dissolução da Câmara com os suplentes tomando posse.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

VANE FAZ CAMINHADA E FALA EM GRANDE VITÓRIA NO DIA 7

Tempo de leitura: 2 minutos

Caminhada de Vane do Renascer agitou a Avenida do Cinquentenário (Foto Pimenta).

O candidato a prefeito pelo PRB, Vane do Renascer, repeliu os ataques sofridos na reta final de campanha e conclamou a militância e eleitores a trabalhar pelo voto “para mudar Itabuna”. À tarde, o candidato promoveu grande caminhada pela Avenida do Cinquentenário.

Na Praça Adami, Vane deu rápida parada e fez discurso lembrando a condição de liderança na última pesquisa eleitoral registrada divulgada em Itabuna, pelo Instituto Gasparetto. Nela, o candidato do PRB aparece com 38,5% e o principal adversário, Capitão Azevedo (DEM), pontua com 35,9%. Vane ainda agradeceu o que considerou “ótima receptividade” na região central.

O candidato a vice-prefeito da chapa de Vane, Wenceslau Júnior, disse que a caminhada surpreendeu. Ele calcula, aproximadamente, 20 mil pessoas no evento que foi encerrado na Praça da Liberdade, na Califórnia. Vane deixou o evento antes do seu final para preparar-se para o debate na TV Santa Cruz, às 23h15min. Além de candidatos a vereador, alas de profissionais da educação davam apoio ao candidato do PRB.

Vane faz o “’10” na hora de acenar, enquanto é carregado por apoiadores (Foto Pimenta).

DIÁRIAS NA CÂMARA: NOVA AÇÃO DO MP PROVOCA REBULIÇO NA SUCESSÃO EM ITABUNA

Tempo de leitura: 4 minutos

1 – PROMOTORIA CITA DIÁRIAS EM CIDADES TURÍSTICAS

2 – VANE DO RENASCER ESTRANHA COMPORTAMENTO DE INOCÊNCIO

3 – WENCESLAU PROMETE REPRESENTAR CONTRA PROMOTOR

Vane e Wenceslau reconhecem papel do MP, mas criticam promotor público (Foto Pimenta).

Promotor cita curso de qualificação em cidades turísticas.

A ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público estadual contra todos os vereadores de Itabuna e 14 funcionários e assessores da Câmara foi motivada por supostas irregularidades no uso de diárias. O promotor Inocêncio de Carvalho disse em entrevista exclusiva ao PIMENTA que constatou irregularidades em diárias de vereadores para cidades turísticas.

De acordo com o promotor, irregularidades foram descobertas ao confrontar os históricos das diárias e informações repassadas pelas companhias aéreas e hotéis que sediaram cursos de qualificação. “Mandei ofício para os hotéis onde ocorreriam os cursos. Pedi [informações] de todos os eventos, como lista de presença, ficha de inscrição”, afirma ao blog.

Segundo o promotor, vereadores e funcionários registraram frequência nos cursos, mas não obtinham certificados por causa da baixa carga horária. “O curso tinha 40 horas e o vereador frequentava apenas oito”, exemplificou. Inocêncio de Carvalho afirma que em muitos dos lugares informados como locais do curso não houve aula, conforme resposta dos hotéis.

Questionado pelos vereadores Vane e Wenceslau, o promotor disse que a ação pode ser movida em qualquer momento e frisa não ter denunciado apenas quem é candidato, mas todos os vereadores.

Inocêncio de Carvalho citou, em sua defesa, que nomes como Didi do INSS e Ricardo Bacelar, que não disputam reeleição, também responderão à ação civil por improbidade. Todos os outros vereadores também são citados: Ruy Machado (PTB), Milton Gramacho (PRTB), Rose Castro (PSDB), Milton Cerqueira (PRB), Roberto de Souza (PR), Clóvis Loiola (PSDC), Raimundo Pólvora (DEM), Solon Pinheiro (DEM) e Gérson Nascimento (PSB).

COMENTE! » |

VANE DIZ QUE ESTÁ TRANQUILO E COBRA
CUIDADO DE PROMOTOR EM DENÚNCIAS

Vane considera ação “estranha” (Foto Pimenta).

No final da manhã, Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB), dois dos vereadores acionados na Justiça, concederam entrevista coletiva e colocaram sob suspeição o gesto do promotor neste momento da campanha eleitoral. Vane é candidato a prefeito e tem Wenceslau como vice.

Vane disse que está “tranquilo, sossegado” quanto às acusações do Ministério Público estadual. “O promotor está no papel dele, mas eu acho estranho [a ação] nesse momento da campanha eleitoral. Ele terá que provar se há coisa indevida, mas asseguro que não tenho nada a esconder nem a temer”.

Quando perguntado pelo jornalista Ederivaldo Benedito, o candidato a prefeito disse não querer acreditar que a denúncia da forma como foi elaborada tenha a ver com possíveis relações do promotor com o ex-juiz Luiz Bezerra e com o deputado federal Geraldo Simões.  “As pessoas comentam isso, mas eu não posso falar, porque desconheço essa aproximação”, disse Vane.

Vane afirmou que a ação foi movida em momento crucial da campanha e lamenta não ter sido ouvido pelo Ministério Público. “O promotor tem família, familiares e eu também tenho família. Tenho 26 anos de igreja. Acho que as pessoas precisam ter cuidado com o que colocam. A conduta melhor seria chamar cada um para dar explicações”.

O candidato do PRB disse que as diárias que usou foram todas a serviço do município ou para participar de cursos de qualificação. “Em todas as diárias minhas, eu estava a bem do serviço público”.

COMENTE! » |

WENCESLAU DIZ QUE REPRESENTARÁ
CONTRA PROMOTOR NA CORREGEDORIA

Wenceslau prometeu representar contra Inocêncio.

Vereador e candidato a vice na chapa de Vane, Wenceslau Júnior (PCdoB) disse que irá representar contra o promotor Inocêncio de Carvalho na corregedoria do Ministério Público estadual. “O comportamento do promotor, em si, dá margem para representação”, afirmou, acrescentando que entrará com a representação na próxima semana. o candidato já havia sido acionado pelo mesmo promotor por falsa notícia-crime, o que ele nega ter ocorrido.

Wenceslau acredita que não tenha havido, por parte do promotor, uma seleção na denúncia à Justiça. “Me parece que ele entrou com ações contra todos (funcionários e vereadores) que receberam diárias”. O parlamentar não sabia, até o momento da coletiva, se a ação era movida por uso excessivo ou irregularidades na concessão de diárias.

Antes da coletiva, Vane e Wenceslau reuniram a militância no comitê central de campanha para falar do processo de improbidade. Seguiram a mesma linha da entrevista.

Wenceslau foi além e enxergou tentativa de interferência do promotor no processo eleitoral. “Ele não pode interferir na vontade popular. Eu não tenho dúvidas que o povo já escolheu. Agora, isso vai interferir na campanha de Vane? Eu digo que isso foi um tiro no pé. Vamos vencer [a eleição]”. A reunião com a militância foi encerrada aos gritos de “não tem jeito, Vane é o prefeito”.

O promotor disse que somente responderá a Wenceslau quanto á representação quando (e se for) acionado pela Corregedoria.

CADA QUAL COM SUA ARMA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Wenceslau Júnior, candidato a vice-prefeito na chapa de Vane do Renascer, espalhava ironia, ontem, ao falar das posturas dos candidatos Capitão Azevedo (DEM) e Juçara Feitosa (PT), que adotaram a tática de obrigar o servidor público contratado ou ocupante de cargo de confiança a ir as suas caminhadas.

– Enquanto eles se preocupam em oprimir para dar número aos eventos deles, do lado de cá, nós fazemos convites aos irmãos, sindicalistas e à população para que caminhem conosco.

Para ele, os tempos são outros e os opressores tendem a levar resposta dura no tempo certo (“7 de outubro, nas urnas”).

JULGAMENTO NO TJ-BA GERA TENSÃO ENTRE VEREADORES DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Vereadores sob tensão pelo julgamento do TJ-BA.

A sessão de julgamentos do pleno do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), na quarta-feira, 11, está sendo aguardada sob tensão em Itabuna. Dois processos, com agravos regimentais do Ministério Público do Estado, contêm nitroglicerina pura.

O primeiro diz respeito a agravo do procurador-geral adjunto de Justiça, José Gomes Brito, contra a decisão do presidente do TJ-BA, Mário Alberto Hirs, que devolveu seis vereadores à Câmara em maio passado.

A decisão afeta os vereadores Solon Pinheiro e Raimundo Pólvora (DEM), Clóvis Loiola (PSDC), Roberto de Souza (PR), que concorrem à reeleição, Wenceslau Júnior (PCdoB), candidato a vice-prefeito, e Ricardo Bacelar (PSC), que desistiu de concorrer. Os acusados tinham sido afastados por suposta participação na “Máfia dos Consignados” (relembre o caso aqui).

O segundo processo se refere a agravo do Ministério Público pela manutenção de liminar concedida à Promotoria pela 2ª Vara Cível. A decisão obriga a Prefeitura de Itabuna a se abster de admitir qualquer candidato aprovado nos processos simplificados 04 e 10/2010 e 06/2011 e suspenda os contratos de trabalho vigentes.

O MP alega que os editais não tinham autorização legal e não havia necessidade para contratações temporárias. No entendimento da promotoria, a prefeitura deveria abrir concursos públicos em vez de processos simplificados para admissão de pessoal.

SENA FORA DA DISPUTA ELEITORAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sena descarta disputa.

O ex-vereador Luís Sena (PCdoB) jogou água fria na fervura (e na guerra) eleitoral em Itabuna ao anunciar que, legalmente, não poderá disputar o cargo de vice-prefeito este ano, substituindo o colega de partido, Wenceslau Júnior, na chapa encabeçada por Vane do Renascer (PRB).

– Nem desincompatibilizado eu estou, como vou ser candidato? Além de tudo, já oficializei para a imprensa: em 2012 não serei candidato. Estarei à disposição da coligação para coordenar, pedir votos e ajudar no plano de governo – disse em entrevista ao Políticos do Sul da Bahia.

Quanto à reunião ocorrida no sábado, Sena disse que se tratou de encontra para planejar a campanha de Vane. Ele ainda falou do imbróglio envolvendo o PSD. “Vamos aguardar para ver como fizeram a ata”. O partido é disputado pela Frente Partidária, encabeçada por Vane, e pelo PT de Juçara Feitosa.

SUCESSÃO, PARTIDOS E CANDIDATOS

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

Em Itabuna, salvo algum acidente de percurso, teremos uma disputa acirrada entre o prefeito Azevedo, que busca a reeleição pelo DEM, Juçara Feitosa (PT) e Vane do Renascer (PRB).

A primeira conclusão do processo sucessório, também a mais escancarada e inquestionável, é que os diretórios municipais e as comissões provisórias não têm autonomia nenhuma.

Partido político e nada é a mesma coisa. Só na escolha dos candidatos a vereador é que as legendas ainda mostram um pouco de independência, de insubordinação.

Os dirigentes tupiniquins não passam de bonecos de engonço, pobres marionetes do traiçoeiro e movediço jogo político. A ditadura no comando estadual das legendas é monstruosa.

As articulações interioranas são como moedas de troca para alimentar os interesses dos que se acham donos dos partidos. É o vergonhoso toma-lá-dá-cá, quase sempre pecuniário.

Os políticos – com as honrosas e pouquíssimas exceções – são como prostitutas. O pior é que os “homens da lei”, que deveriam impedir todo o lamaçal eleitoral, terminam protegendo os ladrões do dinheiro público, carinhosamente chamados de ficha suja.

O Tribunal Superior Eleitoral autorizou o registro dos candidatos com contas eleitorais rejeitadas. É bom lembrar que esses candidatos tiveram o direito ao contraditório.

A decisão do TSE é, no mínimo, um absurdo. A consequência imediata é a banalização das contas eleitorais. A impunidade, cada vez mais forte e robustecida, causa maior da corrupção, agradece.

Agora vem o pós-convenção, com os candidatos oficialmente lançados e liberados para a campanha de rua, principalmente para o indispensável corpo a corpo.

Em Itabuna, salvo algum acidente de percurso, teremos uma disputa acirrada entre o prefeito Azevedo, que busca a reeleição pelo DEM, Juçara Feitosa (PT) e Vane do Renascer (PRB).

O vereador Vane, que é o candidato da Igreja Universal do Reino de Deus, acredita que vai encarnar o novo. Ou seja, o candidato sem nenhuma ligação com o fernandismo e o geraldismo.

Juçara Feitosa acha que o diferente nessa eleição é a possibilidade de Itabuna ser administrada – pela primeira vez – por uma mulher, dando um chega-pra-lá nos marmanjos.

O democrata José Nilton Azevedo, com o maior tempo no horário eleitoral, aposta todas as fichas no trabalho que vem fazendo na periferia da cidade.

RENATO, ACÁCIA E WENCESLAU

Acácia, Wenceslau e Renato.

O médico Renato Costa, a professora Acácia Pinho e o vereador Wenceslau Júnior são os vices, respectivamente, de Azevedo, Juçara Feitosa e Vane do Renascer.

A escolha do vice não é assentada no desejo e na vontade de quem ocupa a cabeça de chapa. São as circunstâncias políticas que apontam a melhor opção ou a única.

O PRB, por exemplo, não queria Wenceslau como vice de Vane. Republicanos continuam achando que o comunista, em decorrência do imbróglio no Legislativo, pode prejudicar a campanha do representante da IURD.

O PRB já tem um plano B. O ex-vereador Luis Sena, que já foi candidato a vice-prefeito de Renato Costa e Juçara Feitosa, é o nome do PCdoB para substituir Wenceslau.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

“VOU NÃO VOU”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os vereadores itabunenses Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB) tiveram audiência com o vice-governador e secretário estadual de Infraestrutura, Otto Alencar, ontem.

Oficialmente, foram tratar (só) de obras para Itabuna. Extra-oficialmente, o assunto poderia ser (ainda) a adesão do PSD de Otto à Frente Partidária, que tem Vane como candidato a prefeito e Wenceslau a vice.

Nos bastidores, rola briga de foice, martelo e estrelinha entre a Frente e o PT de Juçara Feitosa pelo tempo (precioso) de TV e Rádio do PSD: 1min59s.

ITABUNA SOB RISCO DE PERDER SEDE DA UFESBA

Tempo de leitura: 2 minutos

Wenceslau Júnior: reação (Foto Pimenta).

Cresce o burburinho em Salvador e Brasília de que Itabuna corre sério risco de perder a reitoria da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba) para Porto Seguro. Lideranças regionais comunistas, como a deputada Alice Portugal e o vereador Wenceslau Júnior, ouviram da boca de grandes figuras do governo baiano a confirmação de que, realmente, há “movimentação nesse sentido”. Ou seja, o município ficaria com o campus, mas a reitoria seria deslocada para o extremo-sul.
O vereador Wenceslau Júnior acredita que a movimentação para retirar de Itabuna a reitoria da Ufesba tenha a participação de políticos do Sudeste do país, que ainda não engoliram o fato de o sul da Bahia receber grandes projetos como o Porto Sul e a Ferrovia Oeste-Leste. “Ainda não saberia dizer se tem ingrediente político nesse bolo, mas há movimentação, sim”, afirma o vereador itabunense.
Wenceslau defende mobilização regional para que o município sedie a reitoria. Para ele, qualquer mudança significaria desgaste para a presidente da República, Dilma Rousseff, pois o próprio governo federal anunciou Itabuna como destino da reitoria (relembre aqui), além do campus. O vereador, no entanto, reconhece que o município tem caminhado lentamente para não perder o projeto.
Na próxima segunda (19), às 14h30min, o pré-projeto da Ufesba será apresentado na reitoria da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em Salvador. Uma comissão criada pela Ufba para acompanhar a instalação da universidade federal sul-baiana estará em Itabuna na sexta 23. “Se essa ideia de tirar a reitoria de Itabuna se configurar, vamos resistir”, diz o vereador.
Itabuna tem pelo menos quatro áreas para instalar o campus da universidade (veja aqui). A estas opções, Wenceslau Júnior acrescenta uma área nas proximidades da indústria téxtil Trifil, entre as BRs 415 e 101. “Teríamos ali um grande semianel rodoviário”, diz, apontando o campus como indutor de desenvolvimento.

PELA BEIRADA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense 
Fernando Gomes vai continuar dizendo que não será, em hipótese nenhuma, candidato a prefeito de Itabuna. Pessoas bem próximas do ex-alcaide murmuram que não é bem assim.
Os órfãos renitentes do fernandismo apostam que Fernando Gomes muda de ideia se o cenário ficar favorável.
“Tem que acontecer quatro coisas: a inelegibilidade do prefeito Azevedo, candidatura própria do PCdoB, apoio total do PMDB e uma boa colocação nas pesquisas”, diz um entusiasmado defensor da candidatura de FG.
MINA DE OURO
A ordem no staff político do governo Azevedo é explorar o acontecimento mais inusitado da sucessão de 2012: a aliança entre os ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões.
Os azevistas acham que a inesperada aproximação entre FG e GS vai prejudicar a campanha da ex-primeira dama e pré-candidata Juçara Feitosa. O tiro vai sair pela culatra.
Já tem gente até dizendo que Fernando Gomes já conhece a casa de praia de Geraldo. Um irritado ex-fernandista chega a dizer que uma foto com Geraldo, Fernando e Juçara vale uma boa grana.
Pois é. Coisas da política. Do movediço, teatral e traiçoeiro jogo político.
SEM RETORNO
Os meninos do PCdoB, com as peremptórias e incisivas declarações de que o partido terá candidato a prefeito de Itabuna, não tem mais como recuar e apoiar o PT.
O posicionamento mais duro em relação à importância do PCdoB sair da aba do petismo foi do prefeiturável Wenceslau Júnior: “Se o partido não lançar candidato rasgo minha ficha de filiação”.
Petistas e comunistas vão caminhar por estradas diferentes. Os meninos não querem mais o papel de coadjuvantes.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

O SONHO DELAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Acácia, Leninha e Juçara: quem terá fólego até o sprint final?

A eleição de 2012 já é a que tem o maior número de pré-candidatas ao cargo de prefeita de Itabuna. Até aqui, são duas veteranas e uma caloura. Acácia Pinho, hoje no PDT, lançou-se em 2008 pelo PRB, mas acabou coligando com o PMDB e tornando-se vice de Capitão Fábio. A chapa não foi até o fim. Fábio, como todos lembram, desistiu da disputa em apoio a Juçara Feitosa (PT).
A petista tentará novamente a principal cadeira do Centro Administrativo Firmino Alves. É a pré-candidata do partido, embora muitos desconfiem que o esposo, deputado Geraldo Simões, seja o nome da “estrelinha” na peleja de 2012. A caloura é Leninha Alcântara (PMDB). Ela venceu disputa interna com Maruse Xavier, Ruy Côrrea e Edmilton Carneiro, tornando-se o nome peemedebista da pré-campanha.
Os perfis – Leninha é empresária e esposa de Anísio Alcântara, falecido em 11 de janeiro de 2009 e então presidente do PPS. Juçara Feitosa é suplente da senadora Lídice da Mata (PSB), e ex-secretária de Desenvolvimento Social de Itabuna, entre 2001 e 2004. Acácia Pinho, professora e empresária, já foi pró-reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e secretária de Administração de Itabuna no último governo do ex-prefeito Fernando Gomes.
As três terão fôlego para a disputa? Do outro lado, elas poderão enfrentar nomes como o prefeito e candidato à reeleição, Capitão Azevedo (DEM), e os vereadores Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB). Vane, Wenceslau e Acácia integram uma frente e há acordo para que seja candidato o nome que aparecer melhor na disputa em junho, conforme pesquisa. Mas política é política…

Back To Top