skip to Main Content
26 de fevereiro de 2020 | 06:53 am

RUI DECRETA LUTO PELA MORTE DE ZEZÉU

Tempo de leitura: < 1 minuto

rui costa 2O governador Rui Costa decretou luto oficial de três dias no estado pela morte, nesta quarta-feira (25), do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Zezéu Ribeiro, aos 65 anos. Ao ser comunicado sobre o falecimento, ele lembrou a recente visita que fez a Zezéu, em São Paulo, e destacou a atuação dele na defesa de políticas de habitação e na superação das desigualdades regionais no país. Leia a nota de pesar na íntegra abaixo.

“Ainda ontem, estive no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, visitando o companheiro Zezéu Ribeiro, que lutava pela vida. Quis o destino que hoje ele viesse a falecer e que aquele encontro fosse nossa despedida. Lembro de quando nos conhecemos, mais jovens e iniciando a luta por uma Bahia mais justa, companheiros de ideais e do Partido dos Trabalhadores. A memória é de um companheiro exemplar, de sorriso fácil e de grande dedicação a causa pública e ao bem comum. Zézeu foi um grande homem, um político de destacada atuação por onde passou, sua partida é uma grande perda para a Bahia e para o Partido dos Trabalhadores. Arquiteto e urbanista foi um dos maiores defensores das políticas de habitação e da superação das desigualdades regionais no país. Fica aqui o agradecimento por tudo que passamos juntos, pelas contribuições que deu ao partido e a Bahia. Em sua memória decretamos três dias de luto oficial”.

GOVERNO TEM VITÓRIA APERTADA EM INDICAÇÃO DE ZEZÉU AO TCE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Zezéu Ribeiro era bom nome, mas foi aprovado no "aperto".

Zezéu Ribeiro era bom nome, mas foi aprovado no “aperto”.

Do Ba24horas
O governador Jaques Wagner quase leva uma bola nas costas na noite desta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa. Em clima de traição, deputados da base deixaram de votar no deputado federal Zezéu Ribeiro (PT), indicado por Wagner para uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE).
Em uma primeira votação, Zezéu teve apenas 27 votos, enquanto o deputado estadual Carlos Gaban (DEM) somou 28. Apesar da pequena vantagem, o número não é suficiente para fazer um conselheiro, cuja escolha exige maioria absoluta. Ainda assim, o susto para o governo foi grande.
Deputados da base, a exemplo da ilheense Ângela Sousa (PSD), ausentaram-se do plenário na hora da votação, dificultando a vida do governo. Ainda assim, na segunda tentativa Wagner conseguiu eleger Zezéu, pelo placar de 35 a 28. Na segunda-feira (26), o governador esteve na AL para conversar com os deputados sobre a escolha dos conselheiros do TCE  e do TCM.
A quase derrota acende luz amarela na articulação política do governo. Ao que tudo indica, alguma coisa está fora da ordem.
Leia mais

ESPIRAL DO SILÊNCIO OU PRÉVIAS NO PT

Tempo de leitura: 2 minutos

sócrates santanaSócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

No vácuo das manifestações de junho e, principalmente, das reivindicações de mais instrumentos de participação popular, os 97 mil filiados do PT baiano podem e devem escolher entre Rui Costa, Walter Pinheiro, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano.

Um rolo compressor – desgovernado – bagunçou o jogo sucessório na Bahia. De uma hora para outra, dois parlamentares petistas resolveram – arbitrariamente – ajoelhar publicamente três pré-candidatos do partido a uma taciturna preferência do governador por um nome, nada mais que um nome. Um deles, por sinal, declarou que o secretário da Casa Civil já alcançou a preferência da maioria dos petistas no estado. Trata-se do deputado federal Walmir Assunção. Um simulacro fora do lugar, sem sentido e totalmente descolado das nuances do PT.

Qualquer observador minimamente envolvido com a vida do partido percebe a diferença entre as declarações do deputado petista e a realidade. Hoje, o PT possui 10 deputados federais e 13 deputados estaduais. Na Câmara Federal, além de Walmir, apenas Josias Gomes e Waldenor Pereira estão publicamente com Rui Costa, enquanto o senador Walter Pinheiro detém o apoio dos deputados Amauri Teixeira e Afonso Florence e o secretário de Planejamento, José Sérgio Gabrielli conta com o empenho de Zezéu Ribeiro, Luiz Alberto e Emiliano José. De fora desta conta, ainda restam Geraldo Simões e Nelson Pelegrino.

Leia Mais

INTERIOR NO ALVO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário estadual de Planejamento, Zezéu Ribeiro, afirmou ao Valor que a Bahia receberá aproximadamente R$ 70 bilhões em investimentos até 2016. Mais de 60% desse montante terá como destino o interior do estado, segundo o secretário. Ainda de acordo com o secretário, os maiores investimentos devem ocorrer nas áreas da indústria naval, mineração, petróleo, celulose e borracha.
Dentre os projetos, a reportagem destaca o Complexo Porto Sul, em Ilhéus, que atrairá recursos superiores a R$ 8,1 bilhões e compreende construção de porto, ferrovia e aeroporto.

ZEZÉU RIBEIRO ASSUME SEPLAN DIA 4

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado federal Zezéu Ribeiro assumirá a Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan) no próximo dia 4 (sexta), às 10 horas, em solenidade na Fundação Luís Eduardo Magalhães.

Arquiteto e urbanista, Zezéu assume em lugar de Alberto Valença e após licenciar-se do mandato para o qual foi reeleito em outubro passado. Ele foi escolhido pelo governador Jaques Wagner há dez dias, mas preferiu somente assumir após tomar posse para um novo mandato na Câmara Federal, dia 1º.

Zezéu tem atuação destacada no parlamento federal como membro da Comissão de Desenvolvimento Urbano e coordenador da bancada parlamentar do Nordeste desde 2007.

ZEZÉU SENTE (NOVO) CHEIRO DE TRAIÇÃO AO ‘GALEGO’

Tempo de leitura: < 1 minuto
Zezéu: críticas a Wagner e neoaliados.

Zezéu: críticas a Wagner e neoaliados.

O deputado federal e coordenador da bancada nordestina na Câmara, Zezéu Ribeiro, considera que o governador Jaques Wagner tem se arriscado muito em suas alianças partidárias – e pode sofrer nova traição política. O parlamentar concedeu entrevista ao Jornal Bahia Online e soltou o verbo, mirando o PP baiano:

– O governo tem se submetido à chantagem de uma direita retrógrada que não vai ficar com a gente e que tem estado pela vantagem pessoal, pelo cargo, pela obra, pela facilidade de sobrevida da política passada.

Segundo Zezéu, esta observação foi feita, pessoalmente, ao governador, que acredita que não será traído por duas vezes (a primeira foi com o PMDB, que abandonou a base em agosto deste ano e fazia campanha dentro do governo).

A entrevista está imperdível e pode ser conferida em www.jornalbahiaonline.com.br

Back To Top