João Leão disse que estava "cagando e andando".

João Leão disse que estava “cagando e andando”.

O vice-governador baiano, João Leão, é um dos 47 políticos que constam da “Lista de Janot” relativa à sujeirada na Petrobras (Operação Lava Jato). Um dos principais quadros do PP reagiu de forma emocional à inclusão do seu nome na lista.

Na lata, e mesmo se dizendo um cara sério, fez questão de informar que “estava cagando e andando na cabeça desses cornos todos” que botaram o nome dele “numa zorra dessas”. Lembrou ter recebido dinheiro da OAS na campanha de 2010, quando foi reeleito deputado federal. Doação legal, segundo ele.

Depois da “cagada” ontem à noite, João Leão apareceu numa versão mais light em outra nota oficial nesta manhã de sábado:

“Ao longo de 28 anos de vida pública, posso afirmar que este é um dos momentos mais espinhosos. Estou triste, surpreso e ao mesmo tempo forte para iniciar esta luta: sou inocente e vou provar. Eu acredito em Deus e na Justiça. Tenho a mais absoluta certeza de que a verdade vai aparecer e todos os fatos serão esclarecidos de forma transparente. De cabeça erguida, e com o apoio dos amigos, da família e do povo, continuarei trabalhando em defesa da Bahia e do Brasil.