Projetos agroindustriais também foram visitados por missão do Banco Mundial

Projetos produtivos voltados para o fortalecimento da cacauicultura no Território Litoral Sul da Bahia, que obtiveram investimentos do Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, recebem, desde esta segunda-feira (4), a visita de representantes do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD/Banco Mundial).

A visita integra a Missão de Supervisão do projeto Bahia Produtiva, que tem o objetivo de apresentar os avanços obtidos pelo projeto, nos três anos de execução, e os impactos na renda e na qualidade de vida das famílias beneficiadas.

O grupo, composto pelo diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser, a Gerente do Projeto e Especialista Sênior em Desenvolvimento Rural, Fátima Amazonas, foi acompanhado pelo secretário de Desenvolvimento Rural, Jeandro Ribeiro, pelo diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, e pelo coordenador do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, suas respectivas equipes, e o diretor da AMMA Chocolates, Rafael Fernans.

A programação desta segunda contou com visita ao Assentamento Terra Vista, no município de Arataca, onde o grupo visitou o plantio de cacau pelo método Cabruca. O assentamento, vinculado à Cooperativa Pau Brasil, foi um dos 53 empreendimentos contemplados no edital Alianças Produtivas Territoriais, que visa estimular o crescimento produtivo da agricultura familiar da Bahia, por meio de parcerias com o setor privado.

A expectativa com o edital é que o Terra Vista firme parceria comercial com a AMMA Chocolate, empresa localizada na região Metropolitana de Salvador, para fornecer amêndoas de qualidade à empresa.

Para Wilson Dias, a visita do Banco Mundial é mais uma oportunidade de avaliar e monitorar o estágio atual da execução do projeto: “É um momento para identificarmos os desafios e gargalos para realizarmos os investimentos necessários nos empreendimentos assistidos pelo Bahia Produtiva”.

O representante do assentamento Terra Vista, Joelson Ferreira, apresentou o desenvolvimento que o local teve nos últimos anos: “Os investimentos do Governo do Estado foram importantes para que melhorássemos nossa produção e tivéssemos êxito em nossas ações. Hoje temos uma área reflorestada e produtiva”.

FÁBRICA DE CHOCOLATE

Em Ibicaraí, foi realizada uma visita à Bahia Cacau, primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do país, administrada pela Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), onde foi apresentado o trabalho de melhoramento da amêndoa e da agroindustrialização do cacau, que levou o chocolate da fábrica a se destacar como um dos melhores da Bahia.

De acordo com o secretário da SDR, Jeandro Ribeiro, a secretaria, por meio da CAR, investiu mais de R$70 milhões em projetos produtivos nessa região: “Desse investimento, quase 50% foi na cadeia produtiva do cacau e a visita à fábrica representa esse investimento em um empreendimento já consolidado, que apresenta a variedade de produtos fabricados a partir do cacau”.

O diretor do Banco Mundial no Brasil, Martin Raiser, avaliou positivamente os locais visitados: “Fiquei impressionado com o assentamento, que foca no esforço comunitário e na educação dos jovens, e com a fábrica de chocolate que utiliza produtos dos agricultores da região. São bons exemplos dos esforços do Bahia Produtiva de integrar produtores rurais nas cadeias de valores até chegar aos mercados mais lucrativos e até exportação. Trabalhamos para construir cadeias em que produtores tenham mais renda, apliquem novas tecnologias em sua produção e que os consumidores tenham um produto melhor. Na cadeia do cacau, vejo que isso está dando certo”.

Nesta terça-feira (05), em Ilhéus, o grupo visita o Instituto Biofábrica do Cacau – OSCIP, que tem como objetivo o cultivo e disseminação de mudas de frutas de espécies subtropicais.