skip to Main Content
1 de abril de 2020 | 08:42 pm

CONSIDERAÇÕES SOBRE O ARTIGO DE RAMIRO

Tempo de leitura: 2 minutos

Nelson Simões |

Caro Ramiro, como seu admirador e leitor, e por dever de ofício, cumpro o dever de responder ao seu artigo no PIMENTA, Cerimonial e Truculência não Combinam. Em primeiro lugar para registrar minha dispensável concordância com o título do artigo, que por si só diria tudo.
O conteúdo também é digno de elogios, pois enfoca um tema de quase nenhum foco na mídia em geral, a não ser quando é para receber críticas. Você, como profissional exitoso da área, sabe perfeitamente dos melindres e rococós que o cercam, e noves fora o folclore e até deboche que o profissional de cerimonial é visto, por puro desconhecimento geral de suas atibuições.
Dito isso, e como chefe de cerimonial do Governador, diretamente citado em seu artigo, quero fazer os seguintes esclarecimentos:
– sobre o evento em 2009, na Santa Casa, em Itabuna, nenhum reparo, a não ser mais uma vez desculpar-me pelo erro; embora não tenha sido eu, ou algum membro do cerimonial que cometeu a descortesia, mas um membro da segurança pessoal do Governador, é minha responsabilidade conduzir os eventos em que S.Exa. está presente; ficou como um aprendizado;
– sobre o evento do SEST/SENAT, no último dia 28/07, comemoração aos 101 anos de fundação de Itabuna, aí sim, um reparo; o evento era privado, da CNT, em que o senhor governador era o principal convidado, portanto, minha responsabilidade de executar o cerimonial; porém, mesmo assim, minha equipe tem a orientação de fazer isso em comum acordo com o dono do evento, seja quem for; a execução do hino e a exibição do vídeo constavam do texto do mestre de cerimônia e ele solicitou ambos no microfone; porém, o técnico de som e imagem contratado pelo promotor do evento, naquele exato momento precisou ir ao banheiro; convenhamos, a mesa não podia ficar esperando ele retornar, e nem tampouco podíamos anunciar isto no microfone; tivemos que improvisar em cima da hora; quanto à formação da mesa principal, sempre o fazemos ouvindo a sugestão do promotor, neste caso a CNT.
O promotor nos sugeriu as seguintes personalidades: prefeito Capitão Azevedo, presidente da CNT Senador Clésio Andrade, presidente da federação das empresas de transportes da BA e SE, Antonio Carlos Knittel, e homenageado sr. Pedro de Freitas Barros Júnior, todos acatados por este cerimonial, acrescidos das autoridades institucionais, vice-governador Otto Alencar, presidente da AL, Marcelo Nilo, e senador Walter Pinheiro; quanto às falas, de fato, pelo horário e agenda corrida do governador, propusemos falar apenas o senador Clésio e o governador Wagner, mas, depois revimos e foram acrescidas as falas de Pinheiro e Azevedo, sem nenhum sentimento de exclusão.
Bem, feitos os registros, quero colocar-me ao seu inteiro dispor. E pela sua experiência e competência reconhecida na área sempre aberto a qualquer crítica ou sugestão. Como sabe, jamais fui ou pretendi ser “cerimonialista”. “Estou”, por vontade exclusiva do senhor governador, que entende que na função deve ter alguém com um mínimo de visão política, o que é o meu caso.
Sempre seu leitor e do Pimenta na Muqueca, para continuar antenado às coisas e fatos da nossa nação grapiúna.
Cordial abraço.
Nelson Simões Filho, chefe de Cerimonial do Governador.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Boa resposta, Nelsinho. A humildade é um dos atributos mais reconhecidos nos homens sérios e desprovidos de sentimentos negativos. Você cresceu como profissional e como pessoa com atitudes como esta.
    Não à toa, os seus cabelos brancos indicam que a cada dia que passa você se torna um homem sábio. As críticas do Ramiro Aquino, as quais até me associei, deram a oportunidade de sua resposta elegante e sensata. Valeu!!!

  2. Este é o Nelson Simões que conhecemos.
    Responsável, elegante, comprometido e consequente.
    Se todos os administradores públicos agissem desta forma, prestando conta dos seus atos à sociedade, sem medo, mas com respeito e altivez, o nosso país seria outro.
    Parabéns Nelsinho.
    Carlos Mascarenhas

  3. Com o querido amigo Nelsinho Simões (aliás tenho no PT muitos amigos e irmãos, dentre eles o Nelsinho) não quero travar um “duelo”. Acredito até em suas ponderações, mas não retiro nada do que disse no artigo. Não devo e não quero envolver os dirigentes do SEST/SENAT que poderiam comprovar tudo o que disse. O mesmo roteiro que o MC do Governador tinha em mãos eu também o tinha, pois a direção do SEST/SENAT me forneceu cópia. E como chefe do cerimonial da Prefeitura comuniquei ao prefeito que estava prevista a sua fala. O vídeo não poderia ser exibido depois de formada a mesa pois a parede de projeção ficava atrás da mesa e os seus componentes não poderiam ver a exibição. Ademais, no roteiro, havia um texto sobre o SEST/SENAT e mesmo o operador tendo “sumido” quando o MC pediu hino e vídeo (este não seriam apresentados juntos) ele poderia ler o texto, o que não o fez.
    Meu caro Nelson, compreendo perfeitamente as agruras de um cerimonial desse tipo, pois no meu currículo são mais de 2.400 eventos de toda a ordem e também já cometi equívocos, todos admitidos. Quanto à fala do prefeito o MC do governo disse textualmente: “não está prevista a fala do prefeito”, quando na verdade estava, pelo cerimonial do dono da festa.
    Por fim, custa-me crer que um cerimonial chefiado por você, a quem conheço e admiro há muito, se submetesse a tal regime de exclusão. Mas você está no seu papel.
    Fico por aqui e não pretendo voltar ao assunto. Agradeço as manifestações de carinho.
    Com um grande abraço,
    Ramiro Aquino
    P.S. Quando o governador voltar por aqui não esqueça de me avisar e para fazer como de outras vezes e para trocarmos algumas idéias.
    A descida do helicóptero no Estádio Luiz Viana Filho foi tratada diretamente comigo por um tenente da casa militar do overnador.

  4. OLA BOA NOITE!
    SEM CERIMONIA, FICO FELIZ EM SABER QUE AS PAGINAS DO PIMENTA NA MUQUECA CHAGAM A LUGARES QUE NEM IMAGIANARIAMOS, COMO O ESPAÇO OCUPADO PELO GOVERNO E SEUS COLABORADORES. ENTÃO O SENHOR TAMBEM LÊ O SITE ITABUNENSE, SR GOVERNADOR? SE LÊ, PEÇO, COMO ITABUNENSE (E BAIANO!!!!), QUE O SR NOS TRATE COM UM POUCO MAIS DE ATENÇÃO. NA SEGURANÇA, NA SAUDE E NA EDUCAÇÃO SÃO AS ÁREAS ONDE MAIS NECESSITAMOS DA ATENÇÃO DO NOSSO (NOSSO!!) ILUSTRE GOVERNADOR. E ESSA DUPLICAÇÃO DA 415 QUE NÃO SAI DO PAPEL, SR GOVERNADOR? A NOSSA CIDADE ESTA CHEIA DE BURACOS, NA ÉPOCA EM QUE O SR ASSINAR OS PAPEIS PARA INICIO DA RECUPERAÇÃO DO TRECHO QUE LIGA ITABUNA A IBICARAI, BEM QUE O SR PODERIA, OFERECER UM BUCADIN DE ASFALTO PRO PREFEITO JOGAR AQUI PELAS RUAS DA CIDADE, MAS POR FAVOR, PEÇO, NÃO MANDE EM DINHEIRO, MANDE EM ASFALTO MESMO. CERTO? UMAS DUAS GALIOTAS (KK). FICARIAMOS CHEIOS DE CERIMONIA SE O SR NOS AJUDASSE A TER UMA VIDA MELHOR NESSA CIDADE. QUE DESDE JÁ O ILUSTRE GOVERNADOR E TODOS OS QUE PARTICIPAM DESSE GOVERNO, DURMAM EM PAZ E NA PROTEÇÃO DOS ANJOS. AQUI VAMOS TENTANDO SOBREVIVER, NO BAIRRO QUE MORO ACABOU DE TER UM ENORME TIROTEIO, MAS FICAREMOS BEM, ATÉ… ATÉ!
    TRADUÇÃO DA CARTA DE RESPOSTA AO RAMIRO:
    “- EU FIZ AQUELA MERDA DE CERIMONIAL DAQUELE JEITO PORQUE O TEMPO ERA CURTO, QUE DROGA! Ô RAMIRO, ME RESPEITA, CARA, EU CHEFE DE CERIMONIAL DO GOVERNADOR! TA IRRITADO? VAI CATAR COQUINHOS! EU SOU O MELHOR, POR ISSO FUI ESCOLHIDO PELO GOVERNADO E VC NÃO! EU TENHO MAIS VISÃO(PADRINHO) POLÍTICA, MOROU?”
    O MEU SINCERO RESPEITO AO SR RAMIRO AQUINO, QUE SE MOSTRA PESSOA DE CARATER ILIBADO NA NOSSA NAÇÃO GRAPIUNA. MUITO COMPETENTE NO QUE FAZ E TEM UM EXCELENTE VOZ!
    FORTE ABRAÇO!
    KKKKKKKKKKKK

  5. Nelson Simões deu ar da graça!Liderança do sul da bahia! Seus amigos continuam aqui. Estamos ao seu inteiro dispor pois você nos ensinou a fazer politica. Porém não se deve fugir dos amigos.

  6. Que nada Nelsinho você é apadrinhado e não cerimonialista, se vende por pouco, o que ELTON falou foi a verdade, era isso que você quis dizer, mais essa equipe do PT só faz merda, tira-se pela Presidente que fez o ministério dos ladrões!

  7. Nelsinho já disse que não é cerimonialista, mas um político na chefia do cerimonial do governo. Explicada está, portanto, a tentativa de exclusão de Azevedo (DEM) entre os oradores do evento em que o “principal convidado” era o governador petista. Fora isso, o que mais gostei foi a história sobre o técnico de som, o cagão!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top